Mudanças no radar

Vale faz mudanças na diretoria com foco em ESG; analistas veem impacto neutro para ação

Gustavo Pimenta será novo CFO, enquanto Luciano Siani assumirá divisão de Estratégia

Por  Equipe InfoMoney -

SÃO PAULO – A sessão é movimentada para a Vale (VALE3), em um dia de recuperação para o papel da companhia com a alta do minério de ferro após fortes quedas e um pequeno alívio na crise da Evergrande (veja mais clicando aqui). Por outro lado, o ceticismo com o minério continua para algumas casas de análise.  Desta vez, o Bank of America reduziu a recomendação para os ADRs (na prática, os ativos da companhia negociados na Bolsa dos EUA) da mineradora de compra para neutra.

Mas, para além do cenário macroeconômico, a Vale fez um anúncio importante na noite da véspera. Gustavo Pimenta assumirá a vice-presidência executiva de Finanças e Relações com Investidores da mineradora, com a mudança de Luciano Siani para o cargo de vice-presidente executivo de Estratégia e Transformação de Negócios, conforme comunicado divulgado na terça-feira.

Siani está à frente da divisão financeira desde 2012 e agora será o responsável por liderar iniciativas para posicionar a Vale para o futuro, agregando as áreas de Exploração Mineral, Desenvolvimento de Negócios, Inovação e Transformação Digital, além de outros desafios, disse a empresa.

A vice-presidência executiva também deverá integrar os esforços de transformação da companhia para atingir suas ambições de ser “benchmark” em segurança, operador confiável de classe mundial, organização orientada a talentos, líder na mineração de baixo carbono e referência em criação e compartilhamento de valor, adicionou a Vale.

O Itaú BBA destaca que Siani sempre foi bem visto pelo mercado, mas a equipe de análise avalia que a mudança é neutra para a empresa do ponto de vista de impacto na ação.

“Não esperamos nenhuma mudança de estratégia e salientamos que a política de alocação de capital tem sido consistente ao longo dos últimos anos. O fato de a Vale ter i) níveis baixos de endividamento e nenhum vencimento de dívida relevante no curto prazo; e ii) poucos desembolsos relevantes de capex para expansão reduzem os riscos de uma transição no curto prazo”, aponta a equipe de análise.

O Bradesco BBI aponta que Siani tem um profundo conhecimento da empresa e do setor e é um executivo ideal para continuar a conduzir os próximos passos estratégicos da Vale.

“Além disso, acreditamos que a função anterior de Pimenta como CFO da AES, liderando a estratégia de reposicionamento ESG global da empresa, também deve contribuir para o caminho da Vale para se tornar uma mineradora mais verde, enquanto a empresa está atualmente em uma posição financeira sólida”, avaliam os analistas.

(com Reuters)

Analista TOP 3 em rentabilidade de curto prazo compartilha seu método exclusivo na Bolsa

Compartilhe