Cripto+

Vale a pena comprar Ethereum em meio à expectativa por atualização? Especialistas respondem

Criptomoeda chegou a disparar 50% em julho, enquanto Bitcoin valorizou no máximo cerca de 15%

Por  Paulo Alves -

O Ethereum (ETH) é o destaque do mês no mercado de criptoativos após chegar a acumular alta de 50% apenas em julho. Seu desempenho é muito superior ao do Bitcoin (BTC), por exemplo, que, mesmo sem seu melhor momento, não ultrapassou ganhos de 15% no mesmo período.

O motivo, dizem especialistas, é a expectativa em torno de uma atualização marcada para a semana do dia 19 de setembro que é esperada por muito tempo e promete abandonar o mecanismo atual de mineração para adotar o modelo mais ecológico chamado de Proof-of-Stake (Prova de Participação).

A atualização é chamada de “The Merge” (A Fusão), em alusão à combinação da rede atual da moeda com uma rede secundária que já está em funcionamento no novo padrão. Após adiamento no ano passado, a mudança era esperada para junho e, ao que tudo indica, deve estar prestes a ser implementada

Mas, com quase dois meses pela frente, será que vale a pena entrar agora para tentar aproveitar o rali? Segundo especialistas ouvidos pelo Cripto+ na segunda-feira (26), provavelmente não neste momento.

“Hoje é o rumor, é a especulação que está forçando essa alta. É importante lembrar que, quando chegar a Fusão, vai haver mais ETH no mercado, porque tem várias pessoas com ETH travado e podem querer vender. Então eu acredito bastante que logo após o Merge termos uma queda considerável”, avalia Ney Pimenta, CEO do marketplace de criptomoedas BitPreço.

“Mas, no médio e longo prazo, acredito que veremos um crescimento proporcionado pela tecnologia nova, especialmente em DeFi“, comenta o executivo do setor cripto, que confessa ter trocado seus bitcoins por Ethereum há algum tempo para aproveitar a valorização vista em julho.

Segundo o trader Vinícius Terranova, o momento é delicado para comprar Ethereum após a disparada de 50% neste mês. O especialista aponta que a criptomoeda está em uma zona de difícil transposição no par com o BTC – ou seja, a tendência agora é que o ETH perca valor em relação à principal cripto do mercado.

“Batemos no topo de um canal de queda, no momento tem muito mais chance de buscar o fundo do canal. Principalmente depois de um movimento de subida de 31% com pico de 34% [contra o Bitcoin]”, apontou o analista técnico em participação no programa do InfoMoney CoinDesk dedicado aos criptoativos.

“Não é um movimento natural para um mercado de queda. Resumindo: não compre Ethereum agora”.

Situação no longo prazo é diferente

Se comprar agora pode ser arriscado após um rali de 50%, o Ethereum segue na lista dos ativos digitais com alto potencial de valorização no longo prazo, na opinião do CEO da BitPreço. Para Pimenta, a atualização marcada para setembro deve ter eventualmente impacto nos custos de operação da blockchain, o que deve ajudar a atrair mais usuários.

“Essa inovação remove um inibidor de crescimento da blockchain do Ethereum. [No longo prazo] não é especulação, é realmente um divisor de águas na parte tecnológica”, aponta Pimenta, para quem uma nova queda de preços do ativo pode representar mais uma oportunidade de compra dado o potencial da novidade.

Se a Fusão do Ethereum for um sucesso, avalia o especialista, a criptomoeda pode disparar a ponto de alcançar um valor de mercado até mesmo superior ao do Bitcoin.

“Acredito que [o sucesso da atualização] vá trazer mais pressão para a forma de mineração do Bitcoin. Existe sim a chance de o mercado de ETH ficar mais valioso que o de Bitcoin. Talvez num horizonte de cinco ou 10 anos, mas existe sim o risco”.

Até onde as criptomoedas vão chegar? Qual a melhor forma de comprá-las? Nós preparamos uma aula gratuita com o passo a passo. Clique aqui para assistir e receber a newsletter de criptoativos do InfoMoney

Compartilhe