Perspectivas

Reunião do Copom, ‘payroll’, balanços de Bradesco (BBDC4) e Embraer (EMBR3): o que acompanhar na semana

Tudo o que o investidor precisa saber antes de operar na semana

Por  Mitchel Diniz -

A temporada de resultados das empresas se confunde com indicadores econômicos e decisões de política monetária na primeira semana de agosto. O começo de mês agitado vai ser marcado também por novas pesquisas eleitorais e o fim das convenções partidárias. O Comitê de Política Monetária do Banco Central (Copom) começa sua quinta reunião do ano na terça-feira (2) e no dia seguinte deve anunciar uma nova elevação na taxa Selic. A média de projeções do mercado, de acordo com o consenso Refinitiv, aponta para uma alta de 50 pontos base para 13,75% ao ano. Se o ajuste for confirmado, os juros no Brasil serão os maiores em cinco anos.

Para o Itaú, aumentar os juros em 50 pontos é uma decisão coerente em relação à minuta da reunião de junho, em que o BC apontou para um ajuste da mesma magnitude do último encontro. “Esperamos que o Copom indique um provável cenário de encerramento do ciclo de aperto, mas deixando a porta aberta para uma alta final no encontro de setembro, em caso de deterioração do cenário inflacionário”, escreveu o economista Mario Mesquita.

Ele também destaca o relatório Focus do Banco Central que vai ser divulgado nesta segunda-feira (1). “Esta será uma divulgação particularmente relevante, pois acreditamos que as incertezas sobre a inflação estão maiores que o normal, considerando recentes cortes de impostos”. Para Mesquita, uma deterioração nas perspectivas do mercado sobre a inflação pode levar o comitê a fazer um novo ajuste em setembro.

Na mesma terça em que começa a reunião do Copom, sai também a produção industrial referente a junho. O Itaú prevê uma queda de 0,2% em relação a maio, com um resultado ligeiramente negativo na parte de manufaturas e alta no segmento de mineração e extrativismo. “É importante salientar as incertezas quanto a esse último segmento, que recuou 5,6% em maio na comparação com abril e pode apresentar uma retomada maior que a esperada em junho”, diz a análise do economista do Itaú.

A semana também traz números importantes da indústria automotiva. As vendas de veículos referentes à julho devem ser divulgadas também na terça-feira pela Fenabrave, a associação das distribuidoras. Já a Anfavea, que reúne as fabricantes, divulgará seus números na sexta-feira.

Dados do mercado de trabalho são destaque nos EUA

Descrito como “apertado” pelo Federal Reserve, o Banco Central dos Estados Unidos, o mercado de trabalho americano terá seus números oficiais divulgados na sexta-feira (5). O consenso Refinitiv prevê uma desaceleração na criação de vagas, de 372 mil em junho para 250 mil em julho. A taxa de desemprego deve permanecer em 3,6%.

Antes do payroll, tem o relatório JOLTS, na terça-feira, e a média das projeções do mercado aponta para 11 milhões de vagas em aberto nos Estados Unidos, ainda no mês de junho. A pesquisa ADP, de emprego no setor privado, está suspensa até o final de agosto, pois o instituto responsável pela publicação está revisando sua metodologia.

Ainda nos Estados Unidos, os investidores devem acompanhar os índices de gerente de compras (PMI) da indústria (na segunda-feira) e de serviços (na quarta-feira) que, na última leitura, apresentou número abaixo de 50, o que indica retração.

Previsão de alta de juros na Europa

Na quinta-feira (4), o Banco Central da Inglaterra (BoE, na sigla em inglês) também tomará uma decisão sobre os  juros. De acordo com o consenso Refinitiv, a autoridade monetária deverá elevar a taxa pela sexta vez consecutiva, em 25 pontos base, para 1,5%. A inflação no Reino Unido acumula alta de 9,4% em 12 meses, maior taxa desde 1985.

Na zona do euro, onde o Banco Central Europeu elevou juros pela primeira vez em 11 anos, tem o índice de preços ao produtor, na quarta-feira. O consenso Refinitiv aponta para uma variação positiva de 1% em julho, na comparação mensal. Em junho, a inflação ao produtor europeu acumulava alta de 36,3% em 12 meses.

Semana de resultados tem Bradesco, Embraer e TIM

A temporada de resultados do segundo trimestre de 2022 ganha fôlego, com diversas divulgações previstas ao longo da semana. Enquanto Bradesco (BBDC4), Embraer (EMBR3) e TIM (TIMS3) são destaques na agenda brasileira. Companhias populares também divulgam balanços nos Estados Unidos: Uber, Starbucks, AirBnB e Paypal divulgarão seus resultados na terça-feira.

Confira, a seguir, como fica o calendário de divulgações na semana e veja a agenda completa da temporada aqui:

Segunda-feira (1)

  • TIM
  • Grupo SBF
  • Movida
  • Marcopolo
  • Blau Farmacêutica
  • Pague Menos

Terça-feira (2)

  • Engie Brasil
  • Cielo
  • Copasa
  • GetNet
  • Iguatemi
  • JSL

Quarta-feira (3)

  • 3R Petroleum
  • Gerdau
  • Metalúrgica Gerdau
  • PetroRio
  • Quero-Quero
  • Ultrapar
  • Totvs
  • Tegma

Quinta-feira (4)

  • Embraer
  • Porto Seguro
  • Sanepar
  • Tenda
  • AES Brasil
  • Alpargatas
  • Bradesco
  • Fleury
  • Lojas Renner
  • Simpar
  • Grendene
  • Tupy

Sexta-feira (5)

  • Celesc

Oportunidade de compra? Estrategista da XP revela 6 ações baratas para comprar hoje. Assista aqui.

Compartilhe