Retaliação

Putin firma decreto proibindo importação e exportação para alguns países

Anúncio ocorre um dia antes da reabertura de alguns mercados

Por  ANSA Brasil

(ANSA) – O presidente da Rússia, Vladimir Putin, firmou nesta terça-feira (8) um decreto que permite o governo de impor, em até duas semanas, uma lista de países para os quais serão vetadas as importações e as exportações, informa a agência estatal Tass.

A decisão afetará tanto produtos finalizados como matérias primas e é uma resposta às inúmeras sanções sofridas por Moscou de países ocidentais por conta da invasão na Ucrânia, iniciada em 24 de fevereiro.

A medida segue a aprovação, realizada nesta segunda-feira (7), de uma lista de “países hostis” que inclui todas as nações da União Europeia, os Estados Unidos e a Ucrânia, bem como Albânia, Andorra, Austrália, Canadá, Coreia do Sul, Islândia, Japão, Liechtenstein, Macedônia do Norte, Micronésia, Mônaco, Montenegro, Noruega, Nova Zelândia, Reino Unido, San Marino, Singapura, Suíça e Taiwan.

O anúncio da Rússia ocorre poucas horas depois do Banco Central do país anunciar a reabertura dos mercados de câmbio, monetário e recompra fechados desde 28 de fevereiro, primeiro dia útil após o anúncio das sanções europeias e norte-americanas. Todos voltarão a operar às 10 horas (hora local) desta quarta-feira (9).

Leia também:

No entanto, a Bolsa de Valores de Moscou continuará fechada sem previsão de reabertura. Desde a imposição dos pacotes de sanções, o mercado russo foi fortemente abalado.

O rublo se desvalorizou em patamares recordes, chegando a bater a cotação de 154 rublos por dólar.

Além disso, o dinheiro do Banco Central no exterior, cerca de US$ 643 bilhões, foram congelados e bancos russos foram excluídos do sistema Swift, o mais importante do mundo. Também o próprio Putin, seu chanceler, Sergei Lavrov, e oligarcas e empresas do país foram sancionados. (ANSA).

Procurando uma boa oportunidade de compra? Estrategista da XP revela 6 ações baratas para comprar hoje.

Compartilhe