Restrições

Reino Unido eliminará petróleo e derivados russos até final de 2022

Separadamente, os Estados Unidos, o maior consumidor de petróleo do mundo, anunciaram a proibição das importações de petróleo russo

Por  Reuters -

LONDRES (Reuters) – O Reino Unido eliminará gradativamente as importações russas de petróleo e derivados até o final de 2022, disse o ministro dos Negócios, Kwasi Kwarteng, nesta terça-feira, pedindo às empresas que usem o período para garantir uma transição suave.

“Esta transição dará ao mercado, companhias e cadeias de suprimentos tempo mais do que suficiente para substituir as importações russas, que representam 8% da demanda do Reino Unido”, disse Kwarteng no Twitter.

Na segunda-feira, o primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, disse que seu governo estabeleceria uma nova estratégia de fornecimento de energia à medida que a invasão russa da Ucrânia e a subsequente alta nos preços da energia acelerassem a necessidade de novas fontes de energia e maior autossuficiência.

Separadamente, os Estados Unidos, o maior consumidor de petróleo do mundo, anunciaram a proibição das importações de petróleo russo.

Antes do anúncio formal das medidas do Reino Unido e dos Estados Unidos, os preços do petróleo já subiam, com o Brent ultrapassando 132 dólares o barril, antecipando a oferta menor.

Também na terça-feira, a Comissão Europeia publicou planos para reduzir a dependência da UE do gás russo em dois terços este ano e encerrar sua dependência do fornecimento russo do combustível “bem antes de 2030”.

Kwarteng disse que está explorando opções para acabar com as importações britânicas de gás russo, que representam cerca de 4% da oferta no país.

Procurando uma boa oportunidade de compra? Estrategista da XP revela 6 ações baratas para comprar hoje.

Compartilhe