Conteúdo editorial apoiado por

PETR4: Até que ponto pode ir a correção das ações da Petrobras pela análise técnica?

Papéis da Petrobras passam por movimento de correção; atenção encontra-se na perda da região de R$ 32,73

Rodrigo Petry

Ações da Petrobras (PETR4) em 2024. Gráfico diário. Fonte: Clear Trader

Publicidade

Desde a troca de comando, as ações da Petrobras (PETR4) desabam na Bolsa. Apenas nesta semana, que não só foi marcada pela saída de Jean Paul Prates e a indicação de Magda Chambriard, como também pela divulgação do balanço e dos dividendos, as ações caem mais de 11%.

Nesta sexta-feira (17), as ações seguem em queda, recuando cerca de 1,8%, por volta das 13h30, cotadas a R$ 36,60. Segundo o analista técnico Guilherme Schrepel, da Investimentos 4YOU, o ponto de atenção das ações, agora, está na região dos R$ 32,73.

Schrepel diz que, caso esse patamar seja perdido, seria anulada a região de suporte e também a média móvel de 200 períodos (veja em rosa, no gráfico logo abaixo), que vem servindo como suporte móvel.

Continua depois da publicidade

“Nesse contexto o alvo projetado iria para a região de R$ 31,77 a R$ 30,56”, aponta. Isso representaria uma queda potencial de até 19%, com base na análise técnica.

Descubra o passo a passo para viver de dividendos e ter uma renda mensal previsível, começando já nas próximas semanas.

PETR4: Análise técnica Petrobras

Gráfico diário PETR4. Fonte: Nelogica. Elaboração: Guilherme Schrepel

O analista reforça que, após sofrer uma forte queda no preço, em que abriu com gap de baixa no dia 08/03/24 (por conta da decisão da empresa de não distribuir dividendos extraordinários, naquela data – o que acabou sendo revertido para pagamento de 50%), o papel passou a operar de forma lateral.

Continua depois da publicidade

“Após esse processo, PETR4 conseguiu romper a resistência de R$ 35,19 e foi romper o topo histórico, na região do R$ 40,04”, descreveu.

Leia também: Com tendência de baixa, Índice de Small Caps recua mais que Ibovespa em 2024

No entanto, neste momento, o cenário é de correção. “Atualmente, vem se mantendo dentro das regiões de retração de Fibonacci entre R$ 38,23 e R$ 37,12. Perdendo essa região, o próximo alvo está em R$ 34,73, antiga região de resistência que virou suporte e tem confluência com a média móvel de 200 períodos.”

Continua depois da publicidade

Petrobras semanal

Na análise do gráfico semanal, a tendência é idêntica, acrescenta ele, “com uma grande força vendedora, que foi desenvolvida esta semana”.

Entretanto, reforça, ainda há uma média rápida de 19 períodos que poderá servir como suporte móvel e vem dentro de uma confluência do tempo gráfico diário, que estão com as regiões de 38,2% e 50% de Fibonacci.

Gráfico semanal PETR4. Fonte: Nelogica. Elaboração: Guilherme Schrepel

“Caso não tenha força para segurar o preço, as regiões projetadas são as mesmas do diário entre R$ 31,77 e R$ 30,56, que, perdidas, podem levar a ação ainda a R$ 29,49, na projeção de 141% de Fibonacci.”

Continua depois da publicidade

Para ele, a região de R$ 29,49 é bastante relevante. “Caso haja força para essa região, o alvo para baixo seria entre R$ 26,75 a R$ 23,62, uma queda bastante significativa.”

Guias de análise técnica:

Confira mais conteúdos sobre análise técnica no IM Trader. Diariamente, o infomoney publica o que esperar dos minicontratos de dólar e índice. As melhores plataformas para operar na Bolsa. Abra uma conta na XP.