Fique de olho

Os 5 assuntos que vão movimentar o mercado nesta terça-feira

Bolsas mundiais têm recuo moderado após forte alta da véspera em meio a otimismo com vacina; feriadão em SP em foco

Aprenda a investir na bolsa

Os mercados passam por um movimento de ajuste após os fortes ganhos do pregão anterior e o aumento das tensões entre China e Estados Unidos. Apesar do otimismo com a possibilidade de uma vacina para o coronavírus, há o temor de uma segunda onda de contágio da doença em países que estão em processo de abertura da economia. Por isso, o testemunho do presidente do Federal Reserve (Fed, o bc americano) será observado de perto, uma vez que poderá trazer maior tranquilidade aos investidores.

No Brasil, a Bolsa brasileira, a B3, tenta evitar o fechamento dos pregões de quarta-feira e quinta-feira na esteira da decisão da Câmara dos Vereadores da capital paulista de antecipar feriados. Os investidores também acompanham o final da temporada de balanços e a busca por um novo ministro da Saúde.

1. Bolsas mundiais

Em um dia de acomodação, os futuros das bolsas americanas passaram a operar em queda nesta terça-feira. A possibilidade de uma vacina contra o coronavírus e o pronunciamento do presidente do Federal Reserve (Fed, o bc americano), Jerome Powell, ao Senado americano estão no radar dos investidores, mas a cautela impera após os fortes ganhos do pregão anterior. O mesmo ocorre na Europa, onde os principais índices abrirem em alta, mas perderam força no decorrer do pregão.

Aprenda a investir na bolsa

O fator de maior otimismo segue sendo o teste preliminar positivo de uma vacina contra o coronavírus em estudo pela Moderna. A reabertura das economias europeias e de algumas regiões dos Estados Unidos também são fatores vistos como positivos. No entanto, investidores seguem atentos ao risco de uma segunda onda de contágio.

“Com mais de 100 tratamentos e vacinas em desenvolvimento, uma inovação médica, rastreamento mais sofisticado e o apoio do governo podem gerar mais vantagens. Mas nosso cenário negativo não pode ser descartado. Isso pode ser desencadeado por uma segunda onda significativa de casos de vírus”, afirmou à CNBC Mark Haefele, diretor de investimentos da UBS Global Wealth Management.

Ainda nos Estados Unidos, está prevista a participação de Powell em depoimento ao Senado americano. A sessão deve ter início às 11h (horário de Brasília). O dirigente do Fed deve tratar da recuperação da economia americana e falar sobre a necessidade de maior apoio fiscal para que seja possível enfrentar a crise causada pela pandemia do coronavírus.

Na Europa, os índices abriram em alta, mas perderam força em um movimento de ajuste após os fortes ganhos registrados no pregão anterior.

Apesar desse desempenho, é visto como positivo o empenho da Alemanha e França em estimular um fundo de 500 bilhões de euros (equivalente a US$ 546 bilhões) para lidar com a retração da economia da região.

Na Ásia, os ganhos foram estimulados pela vacina preliminar da Moderna. O Nikkei, de Tóquio, registrou alta de 1,49%. O Hang Sang, de Hong Kong, subiu 1,89% nesta terça-feira, e o índice CSI fechou com ganho de 0,85%.

PUBLICIDADE

O petróleo tem 4ª alta seguida e supera US$ 32; queda recente do preço para abaixo de zero é improvável à medida que a demanda se recupera e quando o vencimento de junho se aproxima.

Veja o desempenho dos mercados, às 7h33 (horário de Brasília):

Nova York

*S&P 500 Futuro (EUA), -0,53%

*Nasdaq Futuro (EUA), -0,29%

*Dow Jones Futuro (EUA), -0,54%

Europa

*Dax (Alemanha), -0,81%

PUBLICIDADE

*FTSE (Reino Unido), +0,03%

*CAC 40 (França), -1,59%

*FTSE MIB (Itália), -1,45%

Ásia

*Nikkei (Japão), +1,49% (fechado)

*Hang Seng (Hong Kong), +1,89% (fechado)

*Xangai (China), +0,85% (fechado)

*Petróleo WTI, +2,20%, a US$ 32,52 o barril

PUBLICIDADE

*Petróleo Brent, +0,14%, a US$ 34,86 o barril

**Contratos futuros do minério de ferro negociados na bolsa de Dalian fecharam em alta de 3,64%, cotados a 711.000 iuanes, equivalente hoje a US$ 100,04 (nas últimas 24 horas).
USD/CNY = 7,1069 (-0,03%)

*Bitcoin, US$ 9.750, +0,91%

2. B3 e o feriado

A B3 tenta manter o seu funcionamento mesmo com a antecipação de feriados para quarta-feira e quinta-feira aprovada pela Câmara de Vereadores de São Paulo. A medida é uma forma de tentar aumentar o índice de isolamento na capital paulista e reduzir o ritmo de contágio pelo novo coronavírus.

O feriado de Corpus Christi foi antecipado para o dia 20 de maio e o da Consciência Negra, para o dia 21 de maio. A sexta-feira (22) será ponto facultativo.

Na segunda-feira à noite, a B3 informou que está dialogando com as autoridades e entidades de mercado para tentar evitar o fechamento do pregão nesses dias, alegando que a maior parte do trabalho da Bolsa brasileira já está sendo realizado de forma remota.

“Acreditamos que, através do trabalho remoto que chega hoje a 95% dos nossos funcionários e das medidas de contingência operacional que já vimos adotando nos últimos 60 dias, seja possível cumprirmos nossa função de infraestrutura crítica e serviço essencial de forma segura”, informou a B3 em comunicado.

Por enquanto, seguem previstas as liquidações de operações programadas para quarta-feira, referente aos negócios realizados na segunda-feira.

Veja mais em: o que funciona no mercado financeiro durante o “novo feriadão” em SP? Ninguém sabe (ainda)

3. Indicadores econômicos

Em dia fraco de indicadores, a Fipe divulgou no início da manhã que a deflação medida pelo IPC foi de 0,47% na segunda quadrissemana de maio, ante 0,40% da medição anterior.

Nos Estados Unidos, será divulgado o índice de construção de casas novas em abril às 9h30. Os números devem mostrar recuo, dado ao fechamento da economia em diversas regiões para lidar com a pandemia do coronavírus.

4. Temperatura política

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Celso de Melllo já tem em mãos o vídeo da reunião ministerial em que o presidente Jair Bolsonaro teria ameaçado de demissão o então ministro Sergio Moro caso ele não alterasse a direção da Polícia Federal. A decisão sobre divulgar parcialmente ou na íntegra o conteúdo dessa reunião deverá ser tomada pelo decano até sexta-feira, mas a expectativa é que ocorra antes.

A divulgação desse conteúdo deve aumentar a temperatura política em Brasília, no momento em que o presidente lida com a busca por um ministro da Saúde e com a pandemia do coronavírus. Além disso, as denúncias feitas pelo ex-aliado Paulo Marinho também servem para aumentar a tensão. Ele revelou um suposto vazamento de informações de uma operação da Polícia Federal às vesperas do segundo turno das eleições de 2018, fato que deverá ser investigado e pode atingir o senador Flavio Bolsonaro, filho do presidente.

5. Noticiário corporativo

A divulgação de resultados corporativos deve movimentar o pregão desta terça-feira.

A Marfrig registrou prejuízo líquido de R$ 136,9 milhões no primeiro trimestre de 2020, revertendo um lucro líquido de R$ 4,3 milhões registrado um ano antes. O resultado foi impacto pela variação cambial, de R$ 632 milhões, e a baixa contábil de R$ 169 milhões dos custos de amortização dos títulos de dívida no exterior que foram recomprados no período.

Assim, o lucro líquido torna-se positivo em R$ 32 milhões após ajustado pela despesa não recorrente de R$ 169 milhões, qual seja, a baixa contábil dos custos amortizados acumulados da emissão das notas sênior com vencimento em 2023, as quais foram recompradas em janeiro. Os analistas destacaram a melhora do lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) ajustado, que ficou em R$ 1,223 bilhão, alta de 109% na comparação anual. A margem Ebitda chegou a 9,1% entre janeiro a março – era de 5,5% no primeiro trimestre de 2019.

Já a Hermes Pardini registrou um lucro líquido de R$ 15,8 milhões no primeiro trimestre de 2020, queda de 48% na base de comparação anual. A receita líquida, por sua vez, foi de R$ 308,3 milhões, queda de 8,1% na base de comparação anual.

A Alliar e o Banco Inter divulgam seus resultados após o fechamento dos mercados.

Fora da temporada de balanços, a B3 informou na noite de segunda-feira que 6ª Vara Federal Cível da Seção Judiciária do Distrito Federal negou seu pedido de anular a multa aplicada pela Receita Federal, no valor de R$ 1,3 bilhão, referente a um contencioso tributário da incorporação da Bovespa pela BM&F. A Bolsa brasileira vai recorrer.

Já as Lojas Renner anunciou que venceu uma ação referenete à exclusão do Imposto sobre Circulação de Mercadorias (ICMS) da base de cálculo do PIS/Cofins. Com isso, a varejista de moda pode reaver, mediante compensação R$ 1,357 bilhão apurados entre novembro de 2001 e fevereiro de 2017 (valor já corrigido).

A Eletronorte, uma das empresas da Eletrobras, concluiu captação de R$ 1 bilhão junto ao Bradesco BBI pelo prazo de 12 meses e custo de CDI mais 2,62% ao ano. Os recursos serão utilziados para a quitação de dívidas de custo mais elevado.

Como ler o mercado financeiro e aproveitar as oportunidades: conheça o curso A Grande Tacada, do Fernando Góes – de graça nos próximos dias!