Oi aprova grupamento de ações, Energisa adquire Infra Gás por R$ 890 mi e mais

Confira os destaques do noticiário corporativo desta segunda-feira (13)

Felipe Moreira

Operadora Oi abriu seu segundo processo de recuperação judicial apenas três meses depois de sair do primeiro. Foto: Divulgação

Publicidade

O radar corporativo desta segunda-feira (13) tem como destaque a aprovação de grupamento de ações da Oi (OIBR3) na proproção de 10 para 1. Além disso, a Energisa comprou 100% das ações da Infra Gás e Energia por R$ 890 milhões.

A Fleury (FLRY3), por sua vez, aprovou a emissão de debêntures simples, não conversíveis em ações, no valor total de R$ 1 bilhão.

No que diz respeito a temporada de balanços, a Cemig (CMIG4) teve queda de 17,5% no lucro no primeiro trimestre.Lucro da M. Dias Branco (MDIA3) mais que dobrou no primeiro trimestre, para R$ 154,9 milhões. Yduqs (YDUQ3) tem lucro líquido de R$ 150,7 milhões no 1º trimestre.

Continua depois da publicidade

Confira mais destaques:

Descubra o passo a passo para viver de dividendos e ter uma renda mensal previsível, começando já nas próximas semanas. 

Energisa (ENGI11)

A Energisa (ENGI11) comunicou que a sua controlada Energisa Distribuição de Gás (EDG) firmou acordo para a aquisição de 100% das ações da Infra Gás e Energia por R$ 890 milhões.

Continua depois da publicidade

Fleury (FLRY3)

O Conselho de Administração do Fleury (FLRY3) aprovou a realização da 9ª emissão de debêntures simples, não conversíveis em ações, no valor total de R$ 1 bilhão.

Oi (OIBR3)

Os acionistas da Oi (OIBR3), em recuperação judicial, aprovaram o grupamento das ações ordinárias de emissão da companhia na proporção de 10 para 1. O capital social passará a ser divido em 66 milhões de ações, sendo 64,4 milhões de ações ordinárias e 1,6 milhão de ações preferenciais. Na sexta, OIBR3 fechou a R$ 0,66 e OIBR4, a R$ 1,82. Levando em conta o grupamento, OIBR3 e OIBR4 passariam a valer R$ 6,60 e R$ 18,20, respectivamente.

Os acionistas terão entre 13 de maio e 14 de junho para ajustarem as suas posições, sendo que a partir de 17 de junho as ações passarão a ser negociadas com o grupamento.

Continua depois da publicidade

CCR (CCRO3)

A CCR (CCRO3) informou nesta que o tráfego total em abril de 2024 cresceu 6,9% frente a igual mês de 2023.

São Carlos (SCAR3)

A São Carlos aprovou novo programa de recompra, de até 1 milhão de ações ordinárias de emissão da companhia, para cancelamento ou manutenção em tesouraria, sem redução de capital social. O prazo do programa é de 365 dias, com início em 13 de maio de 2024 e encerramento em 12 de maio de 2025.

Cemig (CMIG4)

A Cemig registrou lucro líquido de R$ 1,15 bilhão no primeiro trimestre de 2024, uma diminição de 17,5% frente ao lucro do mesmo trimestre de 2023.

Continua depois da publicidade

PDG (PDGR3)

A PDG (PDGR3) reportou prejuízo líquido de R$ 66,9 milhões no primeiro trimestre de 2024 (1T24), o que representa uma redução 68% em relação ao mesmo período do ano passado.

Yduqs (YDUQ3)

O grupo educacional Yduqs (YDUQ3) registrou lucro líquido consolidado de 150,7 milhões de reais no primeiro trimestre, ligeiro avanço de 0,8% na comparação ano a ano.

M. Dias Branco (MDIA3)

O lucro da M. Dias Branco (MDIA3) mais do que dobrou no primeiro trimestre de 2024 em comparação ao mesmo período do ano passado. O resultado cresceu 121,6%, para R$ 154,9 milhões.