São Carlos (SCAR3) lucra R$ 254,8 mi no 4º tri e propõe pagar R$ 100 mi em dividendos

Receita bruta com locações e serviços totalizou R$ 67 milhões, baixa de 24,9%, impactada pelas vendas de ativos realizadas

Felipe Moreira

Prédio da Evergrande na China (Kyle Lam/Bloomberg)

Publicidade

A São Carlos (SCAR3) registrou lucro líquido de R$ 254,8 milhões no 4T23, revertendo prejuízo de R$ 11,2 milhões no mesmo período de 2022.

Já o lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) recorrente alcançou R$ 32,9 milhões no 4T23, uma retração de 50% na base anual.

A receita bruta consolidada com locações e serviços, por sua vez, totalizou R$ 67 milhões no 4T23, uma redução de 24,9% em relação ao mesmo período do ano anterior, impactada pelas vendas de ativos realizadas nos últimos 12 meses.

Continua depois da publicidade

O NOI (Receita Operacional Líquida) consolidado com locações atingiu R$ 53,7 milhões no 4T23 com margem de 81,6%.

As despesas gerais e administrativas alcançaram R$ 27,0 milhões no 4T23, um aumento de 56,7% quando comparadas com o mesmo trimestre do ano anterior, impactada pela provisão de despesas operacionais dos ativos vendidos e provisões relacionadas ao atingimento de metas anuais da Companhia, decorrente do volume de vendas
realizado no ano.

O resultado financeiro no trimestre foi uma despesa de R$ 36,7 milhões, 31,0% inferior à despesa do 4T22, decorrente da menor dívida líquida no período.

Continua depois da publicidade

A São Carlos encerrou o trimestre com uma dívida líquida de R$ 552,5 milhões, representando uma redução de 68,2% em 12 meses. “Essa diminuição reflete o resultado da reciclagem de ativos realizada nos últimos 12 meses, que reforçou a posição de caixa e o contas a receber da Companhia, em virtude de vendas com recebimento parcelado”, explica a empresa.

A companhia também aprovou a proposta de destinação do lucro líquido do exercício encerrado em 31 de dezembro de 2023 que será submetida à aprovação dos acionistas na Assembleia Geral Ordinária da Companhia que será realizada em 26 de abril de 2024, prevendo a distribuição de R$ 100 milhões, a título de dividendos, montante que representa 32,8% do lucro líquido e é superior ao dividendo mínimo obrigatório.