Entenda

O que é a criptomoeda ApeCoin e quem está por trás do projeto?

Uma campanha de marketing cuidadosamente coordenada tenta distanciar a moeda dos criadores da coleção NFT Bored Ape Yacht Club

Por  CoinDesk -

No início da semana passada, foi anunciado que os membros da coleção de NFTs “Bored Ape Yacht Club” receberiam sua própria criptomoeda, a ApeCoin (APE).

A voz passiva no parágrafo acima é intencional. A ApeCoin está explicitamente ligada aos Bored Apes e muito envolvida com a Yuga Labs, a empresa que administra a propriedade intelectual desses tokens não fungíveis extremamente caros. Mas uma campanha de marketing cuidadosamente coordenada teve um grande esforço para dissociar a ApeCoin de qualquer empresa convencional.

Até onde as criptomoedas vão chegar? Qual a melhor forma de comprá-las? Nós preparamos uma aula gratuita com o passo a passo. Clique aqui para assistir e receber a newsletter de criptoativos do InfoMoney

Em vez disso, as mensagens de relações públicas insistem que a ApeCoin é um produto da ApeCoin DAO, uma nova unidade organizacional governada inteiramente por detentores de tokens. Manter a APE faz de você um membro da DAO (que é a abreviação de organização autônoma descentralizada, um tipo de coletivo online centrado em criptomoedas); você nem precisa possuir um NFT Bored Ape para participar.

O site oficial da ApeCoin anuncia o token como “uma camada de protocolo descentralizada para iniciativas lideradas pela comunidade que impulsionam a cultura para o metaverso”.

Vamos decodificar o que isso significa exatamente?

O que é ApeCoin?

ApeCoin é um token ERC-20, um tipo particular de criptomoeda construída na blockchain do Ethereum (ETH). A maioria dos tokens sociais baseados no Ethereum que decolaram no ano passado foram desenvolvidos usando essa estrutura. Pense no token FWB, feito para o clube social “Friends with Benefits”, e no WRITE, da plataforma de crowdfunding Web 3 da Mirror.

Ao contrário dos NFTs, esses tokens devem ser “fungíveis” – como no caso do Bitcoin (BTC), qualquer ApeCoin deve valer exatamente o mesmo que qualquer outra ApeCoin, e você pode comprá-los e vendê-los livremente em exchanges descentralizadas, plataforma onde os usuários podem trocar criptos sem intermediários.

Quase todas as principais exchanges centralizadas listaram o token imediatamente após o lançamento. Essa foi uma conquista por si só, dada a natureza notoriamente meticulosa de grandes players como a corretora Coinbase.

Após apenas um dia de negociação, o token ApeCoin tinha uma capitalização de mercado de quase US$ 2 bilhões; um APE vale atualmente cerca de US$ 10 e o fornecimento total de tokens é limitado a um bilhão (nem todos estão atualmente em circulação).

Quem está por trás do projeto ApeCoin?

De acordo com o site da ApeCoin e os materiais de imprensa que a acompanham, a ApeCoin está sendo lançada pela ApeCoin DAO, um novo órgão de governança do qual todos os detentores de APE são membros. Ser parte desse grupo significa poder apresentar propostas da comunidade, nas quais os detentores de tokens podem votar.

Outros projetos NFT tentaram criar estruturas de votação semelhantes. A compra de um NFT de uma coleção chamada “Nouns” faz de você um membro do Nouns DAO, um coletivo de investimentos online que acumulou um tesouro de US$ 62 milhões. Proprietários de Nouns podem decidir em grupo o que gostariam de fazer com esse dinheiro. Uma proposta típica é a seguinte: “E se fizéssemos uma história em quadrinhos NFT?”.

Há também uma organização separada chamada Ape Foundation, que lidará com a administração do dia a dia da DAO, gerenciamento de propostas e “outras tarefas que garantem que as ideias da comunidade DAO tenham o apoio necessário para se tornarem realidade”. Na prática, é o suporte legal para a ApeCoin DAO.

Um subcomitê da Ape Foundation também servirá como “conselho” da ApeCoin DAO, que supervisionará certas propostas.

O conselho inicial é composto por cinco investidores de criptomoedas conhecidos: o cofundador do Reddit, Alexis Ohanian; Amy Wu, que lidera a unidade de capital de risco da exchange de criptomoedas FTX; Maaria Bajwa, da Sound Ventures; Yat Siu, da Animoca Brands; e Dean Steinbeck, da Horizen Labs.

Cada membro recebe um mandato de seis meses, e o site da ApeCoin promete que os membros da DAO poderão votar em futuros membros.

Flutuando em algum lugar no meio de tudo isso está uma empresa de consultoria com sede nas Ilhas Cayman chamada Cartan Group, que está recebendo US$ 150 mil por mês por um contrato de seis meses. Todos as cinco propostas foram postados por Brian Tang, cofundador da empresa.

Portanto, além do protocolo ApeCoin (o código por trás dos tokens ApeCoin), há a ApeCoin DAO, a Ape Foundation e o conselho da ApeCoin DAO.

Mas o token ApeCoin não foi desenvolvido pela comunidade de investidores do Bored Ape. Há um buraco negro no centro desta galáxia de macacos. Quem realmente montou essa coisa?

A principal empresa por trás da coleção Bored Ape Yacht Club é a Yuga Labs, uma entidade corporativa tradicional registrada em Delaware, nos Estados Unidos. Há informações de que o grupo está conversando com a gestora de capital de risco Andreessen Horowitz (a16z) sobre um investimento que levaria a Yuga a ser avaliada em US$ 5 bilhões. Cabe lembrar que recentemente a firma fez movimentos para se tornar, efetivamente, o primeiro grande monopólio de NFT.

A Yuga Labs também é responsável por todos os principais projetos e aquisições em torno da coleção Bored Ape Yacht Club. Se você quiser fazer alguma coisa com a propriedade intelectual da coleção, terá que passar pela empresa.

Em um comunicado, a CEO da Yuga Labs, Nicole Muniz, disse que “a Yuga Labs continuará sendo construtora de produtos e experiências que trazem novas ideias e energia para a comunidade”.

Ela falou que a empresa deu de presente um NFT especial único para o tesouro da ApeCoin DAO e planeja “adotar a ApeCoin como moeda principal para todos os novos produtos e serviços”, o que vincula o valor do ativo ao sucesso da coleção Bored Ape como um todo.

Mesmo assim, a Yuga Labs insistiu que não é responsável pelo token ApeCoin.

Um outro release divulgado por uma empresa chamada Strange Brew Strategies, alerta os jornalistas que “provavelmente é tentador escrever que a ApeCoin é da Bored Ape Yacht Club para simplificar as coisas, mas (essa informação) não é precisa”.

Distribuição e dinheiro grátis

O modelo de distribuição da ApeCoin complica ainda mais essa questão.

Do total de ApeCoins, 62% estão sendo reservados para detentores de tokens e para o tesouro da DAO. Nos primeiros 90 dias de existência do ApeCoin, qualquer pessoa que tenha alguma combinação de NFTs da Bored Ape Yacht Club e suas duas coleções derivadas – a Mutant Ape Yacht Club e a Bored Ape Kennel Club – pode reivindicar uma certa quantidade de APE no site do ApeCoin.

Como o APE tem um valor discreto e já está sendo negociado nas principais exchanges, reivindicar essas moedas é um pouco como reivindicar dinheiro grátis. Para cada Bored Ape que você possui, você tem direito a 10.094 APE. Isso dá cerca de US$ 100 mil na cotação desta segunda-feira (21) – cerca de um terço do que você precisaria para comprar outro Bored Ape.

Até agora, cerca de 110 milhões de tokens APE foram reivindicados pelos detentores de NFT. Os dados podem ser conferidos em um painel da Dune Analytics.

Os outros 38% de ApeCoin são reservados para “contribuidores iniciais” e também para a Jane Goodall Legacy Foundation, organização que apoia os esforços de conservação de primatas da selva (da vida real).

A Yuga Labs está recebendo 150 milhões de APE, 10 milhões dos quais (“ou valor igual”) irão para a Jane Goodall Legacy Foundation. Em seguida, 140 milhões de APE vão para “as empresas e pessoas que ajudaram a tornar esse projeto uma realidade” – um grupo ainda sem nome que provavelmente inclui membros da equipe do Yuga Labs.

Outros 80 milhões de APE serão destinados para os fundadores da Yuga Labs. Todas essas moedas ficam “bloqueadas” nos primeiros 12 meses, então os detentores não podem simplesmente sacar e embolsar os lucros.

O conceito de reivindicação de tokens grátis para NFTs não é novo. Em setembro, um desenvolvedor lançou uma criptomoeda chamada “Adventure Gold” (AGLD) associada a uma coleção NFT em alta chamada Loot.

Qualquer pessoa com um NFT da Loot tinha automaticamente direito a uma certa quantidade de AGLD, e reivindicar esses tokens significava ganhar dezenas de milhares de dólares sem nenhum esforço extra. Nesse sentido, um NFT pode funcionar como uma licença para imprimir dinheiro.

Mais uma vez, a Yuga Labs reivindica zero responsabilidade pela ApeCoin – a empresa está apenas tomando uma parte significativa dos lucros.

Isso é legal?

Se a iniciativa respeita ou não as leis, depende de a ApeCoin DAO ser totalmente independente da Yuga Labs. Se a Yuga Labs emitiu um token explicitamente como recompensa para os detentores do Bored Ape, seria possível dizer que um Bored Ape é um tipo de investimento e, portanto, sujeito a regulamentações de valores mobiliários.

Da mesma forma que certas ações pagam dividendos, parte do valor dos NFTs estaria vinculado às vantagens que eles poderiam trazer para você.

Com a ApeCoin viria da ApeCoin DAO e não da Yuga Labs, há uma aparência de legalidade, segundo as leis dos Estados Unidos. Isso porque uma entidade independente aloca tokens para uma empresa e seus fundadores, em vez de essa empresa e seus fundadores lançarem seus próprios investimentos.

É claro que as empresas tradicionais fazem isso o tempo todo, por meio de ofertas públicas iniciais de ações (IPO). A diferença é que a oferta de ApeCoin é essencialmente não regulamentada porque, nos EUA, a Securities and Exchange Commission (SEC, a Comissão de Valores Mobiliários do país) ainda não supervisiona os NFTs. Pelo menos por enquanto.

De acordo com Rohan Grey, professor de direito da Universidade Willamette e observador de regulamentação de criptomoedas, a distinção entre a ApeCoin DAO e a Yuga Labs provavelmente também tem a ver com algo chamado “Teste Hinman”.

O teste, que leva o nome de um ex-funcionário da SEC e que agora trabalha na Andreessen Horowitz, diz que, se um órgão de governo fosse “suficientemente descentralizado”, seria livre para emitir um token sem ter que registrá-lo como um valor mobiliário. A ApeCoin DAO é (pelo menos nominalmente) descentralizada. A Yuga Labs não é.

“É a próxima tentativa do mundo cripto de contornar a regulamentação de valores mobiliários”, disse ele. “Primeiro de tudo, eram as ofertas de moedas. Mas, em 2017, com o relatório de ICO [da SEC], eles (comunidade cripto) não podiam fazer isso, então mudaram para stablecoins. Então houve uma repressão a isso, e aí eles recorrem aos NFTs.”

Na opinião de Grey, a ApeCoin equivale a uma tentativa da indústria de criptomoedas “de quase reiniciar o debate de 2017 (em torno das ICOs, sigla para oferta inicial de moeda).

OK, mas o que posso fazer com a ApeCoin?

No momento, a ApeCoin existe principalmente para especulação e “governança” para a DAO. Mas, a Yuga Labs tem grandes ambições para o token.

Um jogo para celular chamado Benji Bananas, desenvolvido pela Animoca Brands (cujo cofundador, Yat Siu, está no conselho da Ape Foundation), está adotando a ApeCoin como uma espécie de moeda do game. Por 25 ApeCoins, você pode comprar um “Benji Bananas Membership Pass”, que permite ganhar “tokens especiais”. Esses criptoativos podem ser trocados por ApeCoins.

Provavelmente, esse é apenas o começo de todo um ecossistema alimentado pela ApeCoin: a Yuga Labs planeja usar a APE como sua moeda para todos os novos projetos. Isso também faz parte do elemento legal – quanto mais coisas o token puder fazer para além da especulação, melhor será sua chance de escapar da SEC.

Se o preço se mantiver e os traders fora do ecossistema da Bored Ape Yacht Club começarem a tomar posições em APE, os casos de uso têm tudo para se proliferar.

Até onde as criptomoedas vão chegar? Qual a melhor forma de comprá-las? Nós preparamos uma aula gratuita com o passo a passo. Clique aqui para assistir e receber a newsletter de criptoativos do InfoMoney

Compartilhe