Em mercados

Zona do euro concorda em medidas para aliviar dívida da Grécia

As medidas, propostas pelo ESM, visam aliviar a dívida da Grécia, estendendo alguns prazos e bloqueando os juros de alguns empréstimos para protegê-la de aumentos dos juros

Grécia - Bloomberg
(Yorgos Karahalis)

Os ministros de Finanças da zona do euro (Eurogrupo) concordaram nesta segunda-feira em um pacote de medidas de curto prazo para aliviar a dívida da Grécia e reduzi-la em cerca de um quinto até 2060.

As medidas, propostas pelo Mecanismo Europeu de Estabilidade (ESM, na sigla em inglês), o fundo de resgate da zona do euro, visam aliviar a dívida da Grécia, estendendo alguns prazos e bloqueando os juros de alguns empréstimos da Grécia para protegê-la de futuros aumentos de taxas de juros. As mudanças começarão a ser implementadas nas próximas semanas.

Estas variam desde a troca de obrigações de taxa variável, mantidas por bancos gregos como parte das recapitalizações bancárias do país, para dívidas de taxa fixa e pelo uso de swaps de taxa de juro para fixar os pagamentos que a Grécia paga em alguns empréstimos do ESM. Incluem também fazer alguns desembolsos futuros para a Grécia em empréstimos a taxa fixa.

Os ministros, reunidos em Bruxelas para sua reunião mensal, esperavam aproximar-se de um conjunto de reformas que a Grécia deve aprovar sob o seu resgate, que poderia chegar a 86 bilhões de euros, bem como uma série de medidas de alívio da dívida de seus países europeus credores. Ambos os passos são necessários para que o Fundo Monetário Internacional (FMI) participe do resgate.

Em maio, os credores da Grécia acordaram num quadro de medidas de curto, médio e longo prazo para reduzir a dívida da Grécia para níveis considerados sustentáveis, sem sobrecarregar os contribuintes europeus.

No entanto, a Alemanha e outros países da zona do euro têm relutado em discutir uma nova reestruturação da dívida para além das medidas de curto prazo até 2018, após as eleições na Alemanha e nos Países Baixos.

O alívio da dívida a curto prazo inclui três conjuntos de medidas, das quais a mais eficaz seria bloquear a taxa de juro que a Grécia paga sobre alguns empréstimos correntes e futuros.

 

Contato