Em mercados

Acompanhando cenário europeu, Ibovespa abre pregão no campo negativo

Aversão ao risco aumenta e índice abre em queda de 0,68%; leilão da França e fala do ministro espanhol são referências no dia

SÃO PAULO - Após três pregões consecutivos de alta, o Ibovespa acompanha o desempenho das bolsas europeias e abre as negociações nesta quinta-feira (5) com queda da 0,68%, aos 58.959 pontos. O mercado mostra maior aversão ao risco neste início do dia por conta da intensificação dos temores quanto à dívida do continente europeu.

Nesta sessão, a França emitiu € 7,96 bilhões em papéis de longo prazo, alcançando seu objetivo de venda, mas teve de garantir aos investidores um rendimento maior para os títulos em relação aos últimos leilões. Já o ministro espanhol da Economia, Luis de Guindos, afirmou que os bancos do país precisam de € 50 bilhões de provisões adicionais. Ele acrescentou que, na grande maioria dos casos, os bancos poderiam angariar os recursos extras por conta própria, graças aos lucros.

Por outro lado, alguns dados norte-americanos surpreenderam pela ponta positiva ainda nesta manhã. Os EUA revelaram a criação de 325 mil vagas no setor privado, frente às expectativas de criação de 180 mil postos de trabalho. Do mesmo modo, o Initial Claims marcou 372 mil novos pedidos de auxílio-desemprego, ligeiramente abaixo das projeções de 375 mil.

Tendências para a sessão
Fernando Góes, analista técnico da Rico Corretora, lembra que, no pregão passado, o Ibovespa sofreu com a realização de lucros após um começo de ano positivo, mas, mesmo assim, conseguiu encerrar no azul. Para esta jornada, mesmo que o movimento seja negativo, o suporte está fixado nos 58.100 pontos.

Pode haver, no entanto, várias oportunidades de compra caso o benchmark rompa a resistência entre 59.600 e 60.000 pontos, que, segundo o especialista, é mais forte do que as passadas. O Ibovespa encontra-se no patamar dos 59.364 pontos. Os futuros do Dow Jones e do S&P 500, índices de ações dos EUA, encontram-se também em queda, sinalizando para uma abertura com perdas.

Agenda do dia 
Nesta quinta, o mercado aguarda a divulgação dos pedidos iniciais de auxílio-desemprego e o ADP Employment, que indica a quantidade de postos de trabalho no setor privado. Além disso, serão conhecidos o ISM (Institute for Supply Management) de serviços do país, e os estoques de petróleo, em meio à crise provocada pelo Irã.

No Brasil, o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) informou a pesquisa industrial do mês de novembro, indicando a interrupção de uma sequência de três períodos negativos. Durante os 30 dias, a expansão da produção chegou a 0,3%, na série sem ajuste sazonal.

 



 

Contato