Em mercados

Ibovespa abre em alta com noticiário político internacional movimentado

Bolsa segue mercado europeu após repercussão de morte de líder norte-coreano e expectativa sobre reunião na Zona do Euro

SÃO PAULO - O Ibovespa inicia o pregão regular desta segunda-feira (19) em alta de 0,29%, aos 56.258 pontos, acompanhando o desempenho positivo do mercado acionário europeu, em meio as expectativas políticas no continente asiático e na Zona do Euro.

No início da manhã, as atenções ficaram voltadas para o front político da Ásia, após a morte do líder máximo norte-coreano, Kim Jong-Il, segundo noticiado pela mídia estatal da Coreia do Norte nesta sessão. Os mercados daquela região mostraram apreensão sobre o futuro político do país, entre outros fatores pelo seu conhecido programa nuclear militar. O sucessor será seu filho, Kim Jong-Un, que na opinião de Jason Vieira, analista da Cruzeiro do Sul Corretora, pode começar um processo de abertura do país, o que abriria um nicho de consumo potencial no continente.

Zona do Euro segue em foco
Já na Europa, é aguardada a reunião entre os ministros das finanças da Zona do Euro, que realizarão uma teleconferência às 12h30 (horário de Brasília), para chegarem a um acordo sobre maior integração fiscal entre os países membros e para reforçarem o caixa do FMI (Fundo Monetário Internacional) em € 200 bilhões.

Destaques da abertura
Entre as maiores altas do benchmark da bolsa brasileira no início do primeiro pregão da semana de Natal estão as ações de JBS (JBSS3, R$ 5,93, +2,24%), LLX (LLXL3, R$ 3,35, +2,13%), Petrobras ON (PETR3, R$ 23,05, +1,10%), BR Foods (BRFS3, R$ 36,09, +1,09%) e preferenciais da Petrobras (PETR4, R$ 21,52, +1,03%). 

Tendências para o dia
Para o chefe de análise técnica da Rico Corretora, Fernando Goés, o Ibovespa testa neste pregão o suporte de 56.000 pontos, que, se quebrado, terá como segunda mínima os 54.500. “Ficou bem difícil acreditar que [o benchmark] vai romper a resistência principal, em 59.600 e 60.000 pontos”, afirma o grafista.

Já Octavio de Barros, diretor de pesquisas e estudos econômicos do Bradesco, o mercado acionário brasileiro deve fechar em alta, corrigindo as perdas apresentadas pelo principal índice durante a semana anterior - a baixa atingiu os 3,67%.

Indicadores mais relevantes
Enquanto o Banco Central soltou o último relatório Focus nesta manhã, revelando previsões mais pessimistas para este ano - IPCA (Índice de Preços ao Consumidor - Amplo) estourando o teto da meta, a 6,52%, neste ano e crescimento menor do PIB (Produto Interno Bruto), de 2,92% -, os investidores aguardam a balança comercial referente à última semana.

No exterior, a expectativa fica por conta do índice do mercado habitacional nos Estados Unidos, bem como o grau de confiança do consumidor britânico, medido pela agência GFK.

 

Contato