Em mercados

Radar: acompanhe alguma das principais oscilações na bolsa nesta segunda-feira

Ibovespa consolida perdas e se aproxima dos 58.000 pontos; Petro, imobiliárias, Marfrig e Redentor são destaque

SÃO PAULO - O Ibovespa operava com queda de 0,66% por volta das 13h54 (horário de Brasília) nesta segunda-feira (14) véspera de feriado nacional, indo para os 58.161 pontos, acompanhando a trajetória das bolsas internacionais. Além do noticiário europeu e dados da economia asiática, os investidores também repercutem os resultados corporativos divulgados por aqui, com destaque para os números trimestrais da Petrobras (PETR3, PETR4).

Na Europa, além da nomeação de Mario Monti no lugar de Silvio Berlusconi para o cargo de primeiro ministro italiano, anunciada no fim de semana, os investidores também repercutem o dicurso da chanceler alemã Angela Merkel, que pregou pela união dos líderes europeus para enfrentar a pior crise vista no continente desde a Segunda Guerra Mundial, segundo ela própria definiu. Ainda por lá, o mercado fica no aguardo da apresentação do programa política do novo primeiro ministro grego, Lucas Papademos.

Na agenda econômica internacional, destaque par a produção industrial da Zona do Euro, que recuou menos que o esperado entre agosto e setembro, e para o PIB (Produto Interno Bruto) japonês, que cresceu 1,5% no terceiro trimestre de 2011 em relação ao trimestre anterior e acabou de vez com a recessão que o país entrou após os terremotos que assolaram o país no começo do ano.

Por aqui, o relatório Focus mostrou queda nas estimativas para a inflação e o PIB deste ano. O relatório semanal do Banco Central também mostrou que a mediana das projeções para a taxa básica de juros para 2012 passou de 10,50% ao ano para 10,09% ao ano.

Petrobras vê lucro cair 26%
No pregão pós-divulgação de seus resultados trimestrais, a Petrobras vê suas ações ON e PN recuarem entre 0,1% e 0,2% nesta tarde, após elas terem avançado mais de 1,3% no começo do dia. Segundo os números reportados na noite de sexta-feira, a estatal registrou lucro líquido de R$ 6,336 bilhões no terceiro trimestre, valor 26% inferior ao que foi reportado no mesmo período de 2010. O resultado da estatal também veio 19% abaixo da média das projeções compiladas pela InfoMoney.

Ainda sobre a Petro, a companhia confirmou o potencial de extração de petróleo no bloco BM-S-9, no poço conhecido como Abaré (4-SPS-81A), próximo à área do Carioca. A descoberta mostra petróleo de qualidade, observado a uma profundidade de cerca de 4.830 metros.

Por fim, o conselho de administração da estatal aprovou a incorporação de três empresas para simplificar a estrutura societária do grupo. São elas: Companhias Termorio, Usina Termelétrica de Juiz de Fora e Fafen Energia.

Imobiliárias caem após resultados
Quem também soltou seus números trimestrais foi a PDG (PDGR3). A companhia viu seu lucro ficar praticamente estável em relação ao que foi reportado no terceiro trimestre de 2010, fechando este quarto com ganhos na casa dos R$ 261,6 milhões. Diferentemente da Petrobras, a PDG vê suas ações mostrarem uma das maiores quedas do Ibovespa nesta segunda-feira, recuando cerca de 2,4% nesta tarde, cotadas a R$ 7,35.

Outra imobiliária que cai forte após divulgar seus dados trimestrais é a Brookfield (BISA3). A companhia reportou um lucro líquido 26,1% superior ao que foi visto no 3T10, ficando em R$ 108 milhões. As ações, no entanto, recuam 3,81% - a maior desvalorização do Ibovespa - cotadas a R$ 6,06.

Outras empresas do setor aparecem entre as maiores perdas do índice nesta segunda, como é o caso da Rossi (RSID3, R$ 10,25, -2,75%) e da MRV (MRVE3, R$ 11,26, -2,51%).

Marfrig: momentum positivo após resultados
Embora tenha divulgado seu resultado apenas na semana passada, a Marfrig (MRFG3) segue em destaque no mercado por conta do bom momentum gerado após a divulgação do seu balanço trimestral. Após já terem disparado mais de 16,5% na sexta-feira, os papéis da companhia lideram com folga os ganhos do Ibovespa na tarde desta segunda-feira, com valorização de 6,80%, cotados a R$ 7,85.

Na ocasião, a companhia reportou um prejuízo líquido maior do que o esperado pelos analistas de mercado, sobretudo por conta da apreciação do dólar no período. No entanto, o desempenho operacional da empresa ficou bem acima das expectativas, alimentando um certo otimismo em relação aos seus próximos trimestres.

Outra empresa do setor frigorífico, a JBS (JBSS3) vê suas ações subirem 2,72%, cotadas a R$ 5,28.

Redentor: ações disparam após OPA
A Redentor (RDTR3) anunciou nesta segunda que seu acionista controlador, a Parati S.A., pretende realizar uma OPA (Oferta Pública de Aquisição) da totalidade de suas ações por R$ 6,50 - valor 20,37% acima do fechamento do pregão anterior (R$ 5,40), com o 
propósito de saída do Novo Mercado e cancelamento do registro da Companhia como companhia aberta.

Diante do anúncio, as ações da companhia operam com alta de 14% nesta tarde, cotados a R$ 6,16. Na máxima do intraday (R$ 6,90), esses ativos apontavam valorização de 27,78%

Mais resultados trimestrais
A BR Properties (BRPR3) também mostrou seus números, chegando a um lucro de R$ 83,7 milhões, contra R$ 11,6 milhões 12 meses antes. As ações operam estáveis a R$ 18,75 nesta tarde.

Já a Restoque (LLIS3), dona da marca Le Lis Blanc e que mostrou prejuízo líquido de R$ 3,14 milhões, vê seus papéis avançarem 0,35%. Já a Qualicorp (QUAL3, R$ 14,99, -1,70%) viu seu resultado reverter para um lucro líquido de R$ 12,19 milhões. A Anhanguera (AEDU3, R$ 21,13, +4,76%), por sua vez, registrou queda de 63,6% no lucro líquido em relação ao 3T10, fechando o terceiro trimestre desse ano com ganhos de R$ 17,6 milhões.

 

Contato