Multiplan (MULT3) e Tupy (TUPY3) pagarão JCP, Méliuz (CASH3) propõe grupamento e desdobramento de ações e mais notícias

Confira os principais destaques do noticiário corporativo desta terça-feira (28)

Felipe Moreira

Publicidade

O radar corporativo desta terça-feira (28) traz distribuição de juros sobre o capital próprio, no montante bruto de R$ 75 milhões, da Multiplan (MULT3). Já a Tupy (TUPY3) informou que, conforme deliberado pelo Conselho de Administração, serão pagos JCP no montante de R$ 41,36 milhões.

Já o Méliuz (CASH3) informou que o Conselho de Administração da Companhia aprovou a submissão à Assembleia Geral Extraordinária (AGE) de proposta de grupamento e desdobramento simultâneos de suas ações ordinárias, por meio da qual cada grupo de cem ações será agrupado em uma ação e, ato contínuo, cada ação será desdobrada em dez ações.

Ibovespa hoje: acompanhe o que movimenta Bolsa, Dólar e Juros Ao Vivo

Masterclass

As Ações mais Promissoras da Bolsa

Baixe uma lista de 10 ações de Small Caps que, na opinião dos especialistas, possuem potencial de valorização para os próximos meses e anos, e assista a uma aula gratuita

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

A Hapvida (HAPV3), por sua vez, vendeu dez imóveis para família controladora por R$ 1,25 bi e anuncia potencial oferta de ações

A Rede D’Or (RDOR3) teve lucro líquido de R$ 282,5 milhões no 4º trimestre de 2022, queda de 32,7%.

A Bradespar (BRAP4) registra lucro de R$ 749 milhões no 4º trimestre, queda de 74,7%.

Continua depois da publicidade

A Ânima (ANIM3) reverte prejuízo e tem lucro ajustado de R$ 210,7 milhões no 4º trimestre de 2022.

Depois do fechamento do mercados, saem resultados da Dasa (DASA3), Gafisa (GFSA3), Light (LIGT3), Qualicorp (QUAL3), entre outros.

Confira mais destaques:

Multiplan (MULT3)

A Multiplan (MULT3) aprovou a distribuição de juros sobre o capital próprio, no montante bruto de R$ 75 milhões, correspondente a R$ 0,12814336091 por ação.

Farão jus ao recebimento de juros sobre o capital próprio os acionistas inscritos nos registros da companhia em 30 de março de 2023, sendo que as ações da companhia serão negociadas “ex juros” a partir de 31 de março de 2023. O pagamento será realizado aos acionistas até 31 de março de 2024.

Méliuz (CASH3)

O conselho de administração do Méliuz (CASH3) aprovou a submissão à Assembleia Geral Extraordinária (AGE) de proposta de grupamento e desdobramento simultâneos de suas ações ordinárias, por meio da qual cada grupo de 100 ações será agrupadas em 1 ação e, ato contínuo, cada ação será desdobrada em 10 ações, sem alteração no valor do capital social atual da companhia.

“Vemos a proposta como um movimento da companhia para evitar o risco o enquadramento como ‘penny stock’ na B3 e, consequentemente, exclusão dos índices de referência da B3. Destacamos que em caso de aprovação das operações (Grupamento e Desdobramento) o preço-alvo por ação da companhia seja ajustado de forma a representar o novo capital social”, destacou a XP em relatório. A ação CASH3 fechou a sessão da véspera a R$ 1,01.

Americanas (AMER3)

No Senado, o CEO da Americanas, Leonardo Coelho Pereira, e Sergio Rial, ex-CEO da empresa, confirmaram presença em audiência nesta terça, a partir das 9h. Eles foram convidados a falar na Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) sobre a dívida da empresa. João Pedro Barroso do Nascimento, presidente da CVM (Comissão de Valores Mobiliários), também confirmou presença.

Hapvida (HAPV3)

A Hapvida (HAPV3) informou que celebrou instrumento vinculante para operação de sale and leaseback (SLB) de dez imóveis de propriedade de suas controladas, no valor de R$ 1,25 bilhão, com um veículo de investimento da Família Pinheiro (LPAR), controladora da companhia.

A companhia informou ainda que engajou os bancos BofA, UBS Brasil, BTG Pactual e Itaú BBA, bem como suas respectivas afiliadas no exterior e seus assessores legais, a fim de analisar a viabilidade e estruturar uma potencial oferta pública subsequente de ações ordinárias de emissão da companhia, integralmente primária, a ser realizada no limite de seu capital autorizado, correspondente a 395.207.520 ações.

No âmbito do potencial follow-on, a Família Pinheiro, na qualidade de acionista controladora da HapVida, se comprometeu a exercer seu direito de prioridade, subscrevendo ações a serem emitidas no valor de R$ 360 milhões.

Bradespar (BRAP4)

A Bradespar (BRAP4), empresa controlada pelo Bradesco (BBDC4), registrou lucro líquido de R$ 749,04 milhões no quarto trimestre de 2022, uma queda de 74,7% na comparação com igual período de 2021. Como companhia de investimentos, a Bradespar tem sua receita operacional originada do resultado de equivalência patrimonial e juros sobre o capital próprio da Vale (VALE3).

De outubro a dezembro do ano passado, a empresa registrou receita operacional de R$ 670,7 milhões, queda de 77% na base anual. Já no ano de 2022, a receita operacional foi de R$ 3,7 bilhões, “um dos melhores resultados da sua história”, destaca a empresa no release que acompanha os resultados.

Rede D’OR (RDOR3)

A Rede D’OR (RDOR3) reportou lucro líquido de R$ 282,5 milhões no quarto trimestre de 2022, queda de 32,7% na comparação com igual período do ano imediatamente anterior, quando chegou a R$ 419,5 milhões. Segundo a companhia, os resultados ainda não contemplam o consolidado com SulAmérica, uma vez que a incorporação foi concluída em 23 de dezembro.

De outubro a dezembro do ano passado, o Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) foi de R$ 1,216 bilhão, recuo anual de 3,6%. A margem Ebitda atingiu 21,1% contra 24,6% na mesma base de comparação, 3,4 p.p menor. Sob a base ajustada, o Ebitda chegou a R$ 1,353 bilhão, um aumento de 5,3% ante o registrado no quarto trimestre de 2021.

Ânima (ANIM3)

A Ânima (ANIM3) registrou lucro líquido ajustado de R$ 210,7 milhões no quarto trimestre de 2022 (4T22), revertendo prejuízo de R$ 92,3 milhões no quarto trimestre de 2021.

O lucro antes juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) ajustado totalizou R$ 178,7 milhões no 4T22, um crescimento de 12,3% em relação ao 4T21.

Dotz (DOTZ3)

A plataforma de engajamento omnichannel Dotz (DOTZ3) registrou prejuízo de R$ 30,5 milhões no quarto trimestre de 2022 (4T22), um aumento de 25% em relação ao mesmo trimestre de 2021.

A receita líquida somou R$ 38 milhões no quarto trimestre de 2022, um crescimento de 11% sobre o quarto trimestre de 2021.

Tupy (TUPY3)

A Tupy (TUPY3), do ramo de metalurgia, obteve lucro líquido de R$ 56,4 milhões no quarto trimestre de 2022 (4T22), montante 7,8% inferior ao reportado no mesmo intervalo de 2021, informou a companhia nesta segunda-feira (27).

O lucro antes juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) ajustado totalizou R$ 250,3 milhões no 4T22, um crescimento de 22,8% em relação ao 4T21.

A Tupy ainda informou que, conforme deliberado pelo Conselho de Administração, serão pagos, a partir de 17 de
outubro de 2023, Juros sobre Capital Próprio (JCP) no montante de R$ 41,36 milhões, correspondente a um valor bruto de R$ 0,28693653332 por ação. O pagamento será realizado com retenção de 15% de imposto de renda na fonte, resultando no valor líquido de R$ 0,24389605332.

O pagamento será realizado aos acionistas com posição no papel em 28 de abril de 2023. Assim, os ativos ficarão “ex-JCP” a partir do dia 2 de maio.

ClearSale (CLSA3)

A ClearSale (CLSA3) reportou lucro líquido de R$ 5,2 milhões no quarto trimestre de 2022 (4T22), revertendo prejuízo líquido de R$ 44,3 milhões do mesmo intervalo de 2021.

O lucro antes juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) ajustado totalizou R$ 13,1 milhões no 4T22 ante Ebitda negativo de R$ 31,2 milhões no 4T21.

Dexxos Par (DEXP3)

A Dexxos Par (DEXP3) registrou lucro líquido de R$ 41,5 milhões no quarto trimestre de 2022 (4T22), montante 91% superior ao reportado no mesmo intervalo de 2021.

O lucro antes juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) ajustado totalizou R$ 72,6 milhões no 4T22, um recuo de 13,3% em relação ao 4T21.

Espaçolaser (ESPA3)

A Espaçolaser (ESPA3) reportou prejuízo líquido ajustado de R$ 12,9 milhões no quarto trimestre de 2022 (4T22), revertendo lucro de R$ 23,5 milhões no quarto trimestre de 2021.

O lucro antes juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) ajustado totalizou R$ 33,8 milhões no 4T22, uma redução de 39% em relação ao 4T21.

Saraiva (SLED4)

A livraria Saraiva (SLED4) registrou prejuízo líquido ajustado de R$ 15,2 milhões no quarto trimestre de 2022 (4T22), montante 35% superior ao reportado no mesmo intervalo de 2021.

O lucro antes juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) ajustado foi negativo em R$ 12,7 milhões no 4T22, uma piora de 28,2% em relação ao 4T21.