Balanços corporativos

Morgan Stanley e BofA: resultados do 4º tri acima do esperado agradam analistas; ações sobem em Wall Street

Investidores acompanham de perto a divulgação dos balanços para entender as perspectivas para este ano, principalmente em meio à alta dos juros nos EUA

Por  Mariana Zonta d'Ávila -

Na esteira de resultados corporativos do quarto trimestre, Bank of America e Morgan Stanley divulgaram seus números nesta quarta-feira (19), agradando analistas do mercado financeiro.

Em meio a taxas recordes na assessoria de investimentos e em investment banking, o BofA superou as expectativas de analistas consultados pela Refinitiv, apurando um lucro por ação de US$ 0,82, acima dos US$ 0,76 esperados. O lucro líquido no período ficou em US$ 7 bilhões, aumento de 28% ante os US$ 5,5 bilhões apurados no mesmo trimestre de 2020.

Já a receita do banco americano subiu 10% ano sobre ano, para US$ 22,17 bilhões, em linha com os US$ 22,2 bilhões estimados pela Refinitiv.

“Nossos resultados do quarto trimestre foram impulsionados por um forte crescimento orgânico, níveis recordes de engajamento digital e uma economia em recuperação. Aumentamos os empréstimos em US$ 51 bilhões e adicionamos US$ 100 bilhões em depósitos durante o trimestre, fortalecendo ainda mais nossa posição como líder em depósitos de varejo”, escreveu o CEO do BofA Brian Moynihan, em comunicado.

Já no acumulado de 2021, o lucro líquido do BofA totalizou US$ 32 bilhões, aumento da ordem de 79% antes os R$ 17,9 bilhões reportados em 2020.

Após a divulgação do balanço trimestral, as ações do BofA apresentavam alta da ordem de 4% no pré-mercado da bolsa de Nova York por volta das 11h (horário de Brasília), a US$ 48,10.

O balanço do Morgan Stanley também foi bem recebido pelos investidores. Entre os meses de outubro e dezembro de 2021, o banco apurou lucro líquido de US$ 3,7 bilhões, ante US$ 3,4 bilhões no mesmo período do ano anterior.

Leia também: Ibovespa hoje: acompanhe o que movimenta a Bolsa de Valores ao vivo

O lucro por ação ficou em US$ 2,01, acima dos US$ 1,91 esperados pelo consenso Refinitiv.

Já a receita foi de US$ 14,52 bilhões no quarto trimestre, acima dos US$ 13,6 bilhões registrados um ano antes e praticamente em linha com os US$ 14,6 bilhões projetados.

“2021 foi um ano marcante para a nossa empresa. Entregamos um recorde de receita líquida de US$ 60 bilhões e ROTCE de 20%, com resultados de destaque em cada um de nossos segmentos de negócios. O de Wealth Management, por exemplo, teve aumento nos ativos de clientes em quase US$ 1 trilhão, para US$ 4,9 trilhões este ano, com US$ 438 bilhões em novos ativos líquidos”, escreveu o CEO do Morgan Stanley James Gorman, em comunicado.

Na NYSE, as ações do banco operavam em alta de 4,5% por volta das 11h (horário de Brasília), negociadas a US$ 98,34.

Leia também: BofA destaca preferências entre ações de commodities

Na terça (18), o Goldman Sachs reportou seu balanço referente ao último trimestre de 2021. Os resultados, contudo, não agradaram o mercado financeiro, uma vez que vieram abaixo das expectativas por conta das altas despesas.

No período, o lucro líquido do banco somou US$ 3,94 bilhões, ante US$ 4,6 bilhões um ano antes. O lucro por ação ficou em US$ 10,81, abaixo dos US$ 11,76 projetados pelo consenso Refinitiv.

Com a repercussão, as ações do Goldman Sachs encerraram o pregão de terça-feira (18) em baixa de 7%, negociadas a US$ 354,4.

Na semana passada, JPMorgan, Citigroup e Wells Fargo divulgaram seus resultados referentes ao quarto trimestre, que superaram as expectativas do mercado. Apenas as ações de Wells Fargo, contudo, tiveram desempenho positivo em Wall Street.

Os dados dos bancos americanos são acompanhados de perto quanto às perspectivas para este ano, principalmente em relação às taxas de juros e aos sinais sobre empréstimos e impulso nas negociações e nos mercados de capitais.

Ainda não investe no exterior? Estrategista da XP dá aula gratuita sobre como virar sócio das maiores empresas do mundo, direto do seu celular – e sem falar inglês

Compartilhe