Aumento de concorrência

Meta reafirma plano de disponibilizar NFTs apesar do crash das criptos

Executivo disse que os planos da empresa de oferecer colecionáveis digitais não mudaram “de forma alguma”

Por  CoinDesk -

A Meta (FBOK34), empresa controladora do Facebook, deve prosseguir com seus planos de lançar colecionáveis digitais para seus usuários apesar queda recente no mercado de criptomoedas.

A declaração veio do novo chefe de fintech da Meta, Stephane Kasriel, em entrevista ao Financial Times. Segundo ele, os planos da empresa em torno de tokens não fungíveis (NFTs) não mudaram “de forma alguma”.

“A oportunidade que [a Meta] vê é que as centenas de milhões ou bilhões de pessoas que usam hoje nossos aplicativos poderiam possuir colecionáveis digitais, bem como milhões de criadores por aí poderiam criar bens virtuais e digitais para serem vendidos por meio de nossas plataformas”, disse Kasriel ao jornal.

Ele acrescentou que a indústria de blockchain vê um “ciclo de hype”, no qual o entusiasmo inicial cai em um mercado em baixa e muitos setores não sobrevivem.

Leia mais:
Meta começa a testar integração de NFTs no Facebook

Os NFTs surgem como uma aposta da Meta para atrair criadores de volta ao Facebook e Instagram que, de alguma forma, poderiam estar se voltando para o TikTok, dando a eles um meio de monetizar seu conteúdo.

O novo foco da empresa em ativos digitais ficou claro em outubro do ano passado, quando ela mudou de nome, de Facebook para Meta, em aceno aos planos de construir um metaverso no qual colecionáveis digitais representados por NFTs são comprados, vendidos e colecionados.

No começo deste mês, a Meta começou a testar NFTs construídos nas blockchains Polygon (MATIC) e Ethereum (ETH) entre usuários selecionados no Facebook.

Procurada pelo CoinDesk, a Meta não respondeu imediatamente para mais comentários.

Até onde as criptomoedas vão chegar? Qual a melhor forma de comprá-las? Nós preparamos uma aula gratuita com o passo a passo. Clique aqui para assistir e receber a newsletter de criptoativos do InfoMoney

Compartilhe