Temporada de balanços

Itaúsa (ITSA3; ITSA4) tem lucro recorrente de R$ 4,185 bilhões, alta de 53,2%; investidas apresentaram sólidos avanços operacionais

Conselho de Administração aprovou pagar em 11 de março juros sobre o capital próprio declarados novembro e dezembro do ano passado

Por  Equipe InfoMoney -

A Itaúsa (ITSA3;ITSA4) registrou um lucro recorrente de R$ 4,185 bilhões no quarto trimestre do ano passado, um desempenho 53,2% superior ao registrado um ano antes.

O lucro líquido contábil somou R$ 4,117 bilhões, um incremento de 12,4% sobre o quarto trimestre de 2020.

Segundo a Itaúsa, as empresas investidas apresentaram sólidos avanços em desempenho operacional.

No setor bancário, o lucro foi impulsionado pelo crescimento da carteira de crédito, que superou R$ 1 trilhão, a melhor margem financeira e o menor volume de perdas esperadas com operações de crédito, combinado com o controle eficiente das despesas gerais e administrativas.

O Itaú Unibanco (ITUB3;ITUB4) teve lucro R$ 7,159 bilhões no 4º trimestre, desempenho 32% maior e acima do esperado.

Leia também: resultado do Itaú surpreende projeções já otimistas e analistas veem “divisor de águas”

Em bens de consumo e materiais para construção civil, Alpargatas e Dexco aproveitaram as suas estruturas eficientes e o bom momento de mercado para alavancar suas vendas, bem como a receita líquida e o Ebitda, mesmo com pressões no custo de alguns insumos.

“Cabe destacar que este foi o melhor ano da história da Dexco em desempenho de Ebitda e rentabilidade e, também, o maior Ebitda histórico da Alpargatas.”

Os segmentos de distribuição e transporte de gás, compostos por Copa Energia e NTS, também apresentaram incremento de receita.

Já a Aegea, do segmento de saneamento básico, cujos resultados passaram a ser reconhecidos pela Itaúsa a partir do terceiro trimestre, apurou ganhos expressivos de Ebitda e lucro líquido.

Adicionalmente, os resultados da XP Inc. também contribuíram positivamente para o resultado da holding.

ROE, ativos e dívida

O retorno sobre patrimônio líquido ficou em 25,6% entre outubro e dezembro do ano passado, recuo de 0,6 ponto percentual na comparação com iguale tapa de 2020.

Os ativos totais somaram R$ 74,602 bilhões no 4T21, elevação de 18,4% em relação ao mesmo período de 2020.

O endividamento líquido cresceu 171% no trimestre, atingindo R$ 3,793 bilhões.

Leia também:

Itaúsa anuncia JCP

O Conselho de Administração da Itaúsa (ITSA4) aprovou pagar em 11 de março de 2022, os juros sobre o capital próprio declarados em 08 de novembro de 2021, tendo como data-base a posição acionária final do dia 23. de novembro de 2021, no valor de R$ 0,15472 por ação e os JCPs declarados em 13 de dezembro do ano passado, tendo como data-base a posição acionária final do dia 14 de janeiro deste ano, no valor de R$ 0,13334 por ação.

O Conselho de Administração da Itaúsa, reunido em 13 de dezembro de 2021, aprovou o aumento do capital social da companhia mediante a capitalização de reserva de lucros de R$ 7,9 bilhões, resultando em um capital social de R$ 51,5 bilhões.

A capitalização foi feita com a emissão de 420.540.747 novas ações (sendo 144.491.889 ordinárias e 276.048.858 preferenciais), que foram atribuídas gratuitamente aos acionistas, a título de bonificação, na proporção de 5 novas ações para cada 100 ações da mesma espécie que os acionistas possuíam na posição acionária final do dia 20 de dezembro de 2021.

Oportunidade de compra? Estrategista da XP revela 6 ações baratas para comprar hoje. Assista aqui.

Compartilhe