5 assuntos

Inflação no Brasil, nos EUA e na China; PEC vai ao Senado e mais assuntos que vão movimentar o mercado hoje

Confira os 5 assuntos mais relevantes para ficar de olho nesta quarta-feira (10/11/2021)

Por  Equipe InfoMoney -

SÃO PAULO – Enquanto os investidores repercutem o noticiário político movimentado no Brasil com a aprovação na noite da véspera do texto da PEC dos precatórios em segundo turno na Câmara, que agora terá uma batalha difícil no Senado, a agenda econômica conta com importantes de inflação, com a divulgação do IPCA de outubro nesta manhã.

Os dados de inflação também são esperados com atenção nesta quarta-feira (10) nos EUA, com a divulgação do índice de preços ao consumidor de outubro por lá. A China também divulgou seus números de inflação, com as bolsas por lá em baixa depois dos dados mostrarem que os preços ao produtor no país atingiram o nível mais elevado em 26 anos no mês passado, reduzindo as chances de um corte dos juros pelo banco central no curto prazo.

A temporada de resultados também segue movimentada por aqui em sua reta final, com os investidores repercutindo os números de Braskem, RD, MRV, entre outras companhias, e à espera dos dados de JBS, BRF e mais uma bateria de balanços após o fechamento. Confira os destaques:

1. Bolsas mundiais

Estados Unidos

Os índices futuros americanos operam praticamente estáveis nesta quarta à espera de dados sobre inflação.

Na terça, o Dow recuou 0,3%; o S&P perdeu 0,4%; e o Nasdaq perdeu 0,6%.

O Departamento de Emprego informou na terça uma alta de 0,6% no Índice de Preços ao Produtor relativo a outubro, em linha com a estimativa do consenso da Dow Jones. Nesta quarta, a instituição informará o Índice de Preços ao Consumidor (CPI na sigla em inglês), assim como pedidos semanais de seguro desemprego. A expectativa é de que o CPI tenha avançado em 0,6% na comparação mensal, o que pode ser a maior alta em 30 anos.

Ásia

As bolsas asiáticas tiveram desempenhos variados entre si nesta quarta, com investidores repercutindo dados de inflação relativos a outubro na China e notícias do setor imobiliário.

Os papéis da incorporadora Fantasia Holdings negociados em Hong Kong tiveram queda de 36,61%. As negociações dos papéis da empresa ficaram suspensas por mais de um mês após a incorporadora não ser capaz de pagar títulos no valor de US$ 206 milhões que amadureceram no início de outubro.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Dados oficiais divulgados na quarta indicaram alta de 1,5% no Índice de Preços ao Consumidor em outubro em comparação com o mesmo período do ano anterior, frente a expectativa de 1,4% de analistas ouvidos pela agência internacional de notícias Reuters. Já o índice de preços ao produtor disparou 13,5% em outubro na comparação contra o ano anterior, de 10,7% em setembro, reduzindo mais as margens de lucros para produtores e intensificando os temores de estagflação

Europa

As bolsas europeias têm resultados variados entre si nesta quarta. O índice Stoxx 600, que reúne as ações de 600 empresas de todos os principais setores de 17 países europeus, avança 0,4%, e os papéis dos setores de viagem e lazer perdem 1%.

Veja os principais indicadores às 7h30 (horário de Brasília):

Estados Unidos

Dow Jones Futuro (EUA), -0,17%
*S&P 500 Futuro (EUA), -0,17%
*Nasdaq Futuro (EUA), -0,19%

Europa

*FTSE 100 (Reino Unido), +0,55%
*Dax (Alemanha), -0,06%
*CAC 40 (França), -0,29%
*FTSE MIB (Itália), +0,23%

Ásia

*Shanghai SE (China), -0,41% (fechado)
*Hang Seng Index (Hong Kong), +0,74% (fechado)
*Kospi (Coreia do Sul), -1,09% (fechado)

Commodities e Bitcoin

*Petróleo WTI, -0,46%, a US$ 83,76 o barril
*Petróleo Brent, estável, a US$ 84,78 o barril
*Bitcoin, -1,8% a US$ 66.864,63
*Sobre o minério de ferro: **O minério negociado na bolsa de Dalian teve queda de 4,61%, a 536,5 iuanes, o equivalente a US$ 88,19

2. Agenda

Brasil

9h: IPCA de outubro divulgado pelo IBGE, com projeção de alta de 1,05% na base mensal e de 10,45% na comparação anual
14h30: Fluxo cambial semanal

Estados Unidos

10h30: Inflação ao consumidor de outubro, com projeção de alta de 0,6% na base mensal de de 5,8% na comparação anual
12h: Dados do estoque no atacado de setembro
12h30: Dados de estoques de petróleo semanais apresentados pelo AIE, com projeção de alta de 1,9 milhão de barris

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

3. Covid no Brasil

Na segunda (9), a média móvel de mortes por Covid em 7 dias no Brasil ficou em 243, queda de 30% em comparação com o patamar de 14 dias antes, segundo informações do consórcio de veículos de imprensa, às 20h. Em apenas um dia, foram registradas 214 mortes.

A média móvel de novos casos em sete dias foi de 12.104, o que representa queda de 9% em relação ao patamar de 14 dias antes. Em apenas um dia foram registrados 12.104 casos.

No total, chegou a 156.324.440 o número de pessoas que receberam a primeira dose da vacina contra a Covid no Brasil, o equivalente a 73,28% da população.

A segunda dose ou a vacina de dose única foi aplicada em 121.764.779 pessoas, ou 57,08% da população. A dose de reforço foi aplicada em 10.794.448 pessoas, ou 5,06% da população.

4. Precatórios e emendas de relator

O plenário da Câmara dos Deputados aprovou na noite de terça, em segundo turno, o texto da PEC (proposta de emenda à Constituição) dos Precatórios por 323 votos a favor, 15 a mais do que o mínimo necessário para realizar alterações na Constituição. Agora, a medida segue para o Senado, onde deve enfrentar uma difícil batalha.

Rodrigo Pacheco, presidente do Senado, disse que não irá impor empecilhos à tramitação da matéria, mas não garantiu que o texto sairá da casa como entrou. Segundo apurou o Estadão, a visão dos senadores é que a PEC representa saída melhor do que um plano alternativo, como a reedição do auxílio emergencial.

Precatórios são títulos de dívidas que o governo tem que pagar a pessoas físicas e empresas por conta de decisões judiciais definitivas. O Orçamento de 2021 prevê o pagamento de R$ 54,7 bilhões em Precatórios, e o de 2022, sem a aprovação da PEC, de R$ 89 bilhões.

O texto aprovado na Câmara permite ao governo adiar o pagamento de parte dos precatórios devidos em 2022. Esta mudança traria folga de R$ 54,6 bilhões em 2022, segundo cálculos do Tesouro.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O documento também altera a regra do teto de gastos, o mecanismo aprovado durante o governo de Michel Temer que limita a despesa pública ao Orçamento do ano anterior corrigido pela inflação. O texto prevê que este novo limite deixe de ser determinado pela inflação de 12 meses encerrados em junho do ano anterior, e passe a ser calculado pela taxa de 12 meses encerrados em dezembro do ano anterior. A mudança contábil traria folga de R$ 47 bilhões em 2022.

Antes de aprovar o texto principal da PEC em 2º turno, a Câmara analisou mais de dez emendas pendentes de análise em 1º turno, ocasião em que deputados aprovaram um destaque que retira do texto da proposta dispositivo que permitiria “contornar” a regra de ouro por meio de lei orçamentária e não apenas por créditos suplementares ou especiais com finalidade precisa com autorização do Congresso, como determina a Constituição atualmente.

A regra de ouro impede que o governo se endivide para pagar despesas correntes como salários, benefícios sociais e o custeio da máquina pública. Para descumprir a regra, o governo precisa pedir autorização ao Congresso Nacional. A PEC trazia um dispositivo que permitia flexibilizar o cumprimento da regra de ouro, retirado na votação desta terça.

O espaço fiscal aberto pela PEC é essencial para garantir o programa Auxílio Brasil em R$ 400 entre dezembro até o fim de 2022, e é prioridade do governo Bolsonaro. Para que o auxílio seja iniciado até o mês que vem a expectativa é de que a PEC seja promulgada pelo Legislativo em até duas semanas, afirma reportagem de capa desta quarta publicada no jornal Folha de S. Paulo. O próprio presidente Jair Bolsonaro (sem partido) avalia que a proposta deve enfrentar mais resistência no Senado.

A postergação do pagamento de precatórios pela imposição de um teto anual para essa conta fará com que as volumosas obrigações não pagas sejam corrigidas pela Selic à frente, com potencial impacto bilionário para as contas públicas.

Na terça-feira, o presidente Jair Bolsonaro afirmou em entrevista ao site bolsonarista Cidade Online: “A gente não tem como (pagar os precatórios), quebra o Brasil. Porque tem que respeitar o teto, não tem orçamento. Inclusive quem votou contra o parcelamento do precatório votou contra o pessoal do Bolsa Família“. O site é um dos investigados do inquérito das fake news que tramita no Supremo Tribunal Federal (STF).

Emendas de relator

O Supremo Tribunal Federal (STF) formou maioria na tarde de terça-feira para confirmar, em julgamento virtual, a decisão liminar de Rosa Weber de suspender a execução orçamentária das emendas de relator, instrumento de distribuição de recursos que tem sido chamado de “orçamento secreto” diante da dificuldade de rastrear os beneficiários dos repasses.
Coube ao ministro Alexandre de Moraes dar o sexto voto a favor da liminar entre os dez ministros da corte. Até o momento, além da relatora Rosa Weber, votaram nessa linha os ministros Edson Fachin, Luís Roberto Barroso, Cármen Lúcia, Ricardo Lewandowski e Alexandre de Moraes. A votação deve ser concluída nesta quarta.

No total de R$ 16,8 bilhões, as emendas são usadas pelo governo para promover pautas de seu interesse no Congresso, e beneficiam principalmente parlamentares aliados. Para a ministra Cármen Lúcia, “A utilização de emendas orçamentárias como forma de cooptação de apoio político pelo Poder Executivo, além de afrontar o princípio da igualdade na medida em que privilegia certos congressistas em detrimento de outros, põe em risco o sistema democrático”.

A liminar suspendendo as emendas, em ação apresentada por partidos de oposição, foi dada no momento em que parlamentares oposicionistas acusam o governo de estar recorrendo a esses recursos para garantir votos a favor da PEC dos Precatórios.

Em entrevista ao site bolsonarista Jornal da Cidade Online, Bolsonaro afirmou: “Você vê o Supremo Tribunal Federal também, que cada vez mais o Supremo, na verdade, interfere em tudo. Teve interferência agora nessa história do orçamento secreto. Orçamento secreto publicado no Diário Oficial da União, mas tudo bem”.

Em entrevista à GloboNews na terça, o presidente do Congresso e do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), disse discordar que haja um orçamento secreto no país e também da decisão da ministra Rosa Weber. Ele disse que, se a lei que prevê as emendas de relator é boa ou ruim, pode-se discutir uma mudança para garantir maior transparência.

Segundo reportagem do jornal O Globo, após a decisão do STF deputados e senadores começaram a articular uma reação. O presidente da Câmara Arthur Lira (PP-AL) anunciou que criará um grupo de trabalho visando encontrar uma saída legislativa para a questão.

 

5. Radar corporativo

O noticiário corporativo desta quarta-feira (10) tem como destaque os balanços da Braskem (BRKM5), Localiza (RENT3) e Carrefour Brasil (CRFB3). Já a Petz (PETZ3) aprovou uma oferta subsequente de ações no valor de aproximadamente R$ 854 milhões.

A C&A (CEAB3) concluiu negociações com o Bradesco (BBDC4) para a recompra do direito de oferecer serviços e produtos financeiros para os clientes da varejista.

A Qualicorp (QUAL3), por sua vez, concluiu a aquisição 100% do capital social da Elo Administradora de Benefícios e da APM, passando a ser a única sócia do Grupo Elo.

A temporada de resultados está movimentada. Depois do fechamento, Via divulga seus números, assim como JBS e BRF. Equatorial, Aliansce Sonae, Allied,  Allpark, Banrisul, Caixa Seguridade, Copel,  Enauta, Even, Helbor, Hermes Pardini,  Locaweb, Melnick, Moura Dubeux, Notre Dame, Oi, Porto Seguro, Simpar, SLC, Smartfit, Sul América, Taesa, Totvs, Tupy, Valid e Vivara.

Confira os destaques:

Braskem (BRKM5)

A Braskem (BRKM5) reportou um lucro líquido de R$ 3,5 bilhões (ou US$ 677 milhões) no terceiro trimestre, revertendo o prejuízo de R$ 1,3 bilhão do mesmo período do ano passado. No acumulado de 2021 até então, a companhia lucrou R$ 13,4 bilhões (US$ 2,5 bilhões), ante prejuízo de R$ 7,5 bilhões.

A diferença se dá, em grande parte, pela melhora da receita líquida, que ficou em R$ 28,2 bilhões entre julho e setembro, valor 77% maior do que os R$ 15,9 bilhões registrados no terceiro trimestre de 2020. Isso se deu, segundo a companhia, pela melhora dos spreads internacionais no Brasil dos seus principais químicos.

Apesar de a receita quase dobrar, a Braskem conseguiu “segurar” suas despesas. Os gastos foram de R$ 543,6 milhões, ante R$ 482,1 milhões entre julho e setembro do ano passado. As despesas gerais e administrativas cresceram mais, saindo de R$ 445,6 milhões para R$ 642,9 milhões, mas ainda longe do crescimento registrado pela receita. A margem operacional ficou em 27%, ante 23% no terceiro trimestre de 2020.

Carrefour Brasil (CRFB3)

O Carrefour Brasil (CRFB3) divulgou lucro líquido do controlador 18% menor no balanço do terceiro trimestre de 2021, somando R$ 621 milhões.

O lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) ajustado, entretanto, aumentou 10,9% no trimestre, para R$ 1,484 bilhão. Já a margem Ebitda ajustado cresceu 0,2 pontos percentuais, para 7,9%.

Segundo a empresa, é resultado “da combinação do desempenho acima do esperado nas novas lojas do Atacadão com a continua tendência de melhora do Banco Carrefour, o que comprova a resiliência de nosso ecossistema”.

Raia Drogasil (RADL3)

A Raia Drogasil (RADL3) reportou crescimento de 0,4% do lucro líquido ajustado do terceiro trimestre de 2021. A rede de drogarias conseguiu R$ 173,567 milhões de lucro neste período, contra R$ 172,871 milhões de um ano atrás.

O resultado, segundo a empresa, decorrente sobretudo dos investimentos em despesas gerais e administrativas.

Localiza (RENT3)

A Localiza (RENT3) lucrou de forma líquida R$ 671,4 milhões no terceiro trimestre de 2021, um avanço de 106,3% na comparação com o mesmo período de 2020, quando faturou R$ 325,5 milhões.

A companhia de aluguel de veículos, em documento publicado na noite desta terça-feira (9), explica que o feito se deu, em grande parte, por conta do momento atípico em que o cenário automobilístico se encontra, com uma “demanda maior que a oferta”.

MRV (MRVE3)

A MRV (MRVE3) registrou lucro líquido de R$ 165 milhões no 3T21, alta de 17,5% em relação ao mesmo período de 2020.

A receita líquida cresceu 1,1%, para R$ 1,8 bilhão.

Aeris (AERI3)

A Aeris (AERI3), companhia que produz equipamentos utilizados na produção de energia eólica, reportou um lucro líquido de R$ 9,3 milhões no terceiro trimestre, queda de 83,5% na comparação com o mesmo período do ano passado, quando este número foi de R$ 56,4 milhões.

A baixa é explicada, em parte, pela queda da receita líquida da empresa, que saiu de R$ 705,8 milhões para R$ 629,3 milhões – o faturamento, entretanto, melhorou ao se levar como base o trimestre imediatamente anterior, com alta de 6,3%.

Mitre (MTRE3)

A Mitre (MTRE3) reportou queda de 76,7% no lucro líquido do terceiro trimestre de 2021 (3TRI21), despencando de R$ 22,982 milhões, no mesmo período do ano passado, para R$ 5,348 milhões.

CSU Cardsystem (CARD3)

A CSU Cardsystem (CARD3) informou crescimento de 31,4% do lucro líquido do terceiro trimestre de 2021 (3TRI21), com R$ 16,029 milhões, contra os R$ 12,199 milhões de um ano atrás.

Vulcabras (VULC3)

Vulcabras (VULC3) apresentou lucro líquido de R$ 126,5 milhões no terceiro trimestre de 2021, o que representa um aumento de 191,5% em relação aos R$ 43,4 milhões de um ano atrás.

Santos Brasil (STBP3)

A Santos Brasil (STBP3) reverteu o prejuízo de um ano atrás e apresentou lucro líquido de R$ 66,6 milhões no terceiro trimestre de 2021. Há um ano, o resultado havia sido prejuízo de R$ 5,4 milhões.

Taurus (TASA4)

A produtora de armas Taurus (TASA4) lucrou de forma líquida R$ 166,4 milhões no terceiro trimestre deste ano, crescimento de 64% na base anual, mas com queda de 14% na comparação com aquilo registrado entre abril e junho deste ano.

Iguatemi (IGTA3)

A Iguatemi (IGTA3) reportou prejuízo de R$ 57,9 milhões no terceiro trimestre de 2021, revertendo lucro de R$ 61,5 milhões no mesmo período de 2020.

Na explicação do resultado líquido a empresa destaca a linha do resultado financeiro, que apresentou perdas de R$ 211,5 milhões, cifra 913% acima da reportada um ano antes, que foi negativa em R$ 20,8 milhões.

Sequoia (SEQL3)

A companhia de logística Sequoia (SEQL3) lucrou de forma líquida R$ 17,1 milhões entre julho e setembro deste ano, alta de 24% na comparação com o mesmo período do ano passado.

Eternit (ETER3)

A Eternit (ETER3) divulgou o balanço do terceiro trimestre de 2021 com alta de 145,3% do lucro líquido. Foram R$ 98,014 milhões de resultado líquido, ante R$ 39,955 milhões do mesmo período do ano passado.

A empresa segue em processo de recuperação judicial.

Alupar (ALUP11)

A Alupar (ALUP11) reportou lucro líquido societário de R$ 240,3 milhões no terceiro trimestre de 2021, 26,3% maior do que os R$ 190,3 milhões de um ano atrás.

Mobly (MBLY3)

A Mobly (MBLY3) registrou um prejuízo líquido de R$ 25,7 milhões no terceiro trimestre de 2021, revertendo o lucro de R$ 1,9 milhão do mesmo período do ano passado.

Mater Dei (MATD3)

A Mater Dei (MATD3) reportou lucro líquido de R$ 43,6 milhões no terceiro trimestre de 2021 (3T21). O resultado representa um crescimento de 19% em relação ao mesmo período de 2020.

Dotz (DOTZ3)

A Dotz (DOTZ3) reportou prejuízo líquido de R$ 24 milhões no terceiro trimestre de 2021 (3T21). O resultado representa uma redução de 21,4% em relação ao mesmo período de 2020.

Petz (PETZ3)

O Conselho de Administração da Companhia Petz (PETZ3) ontem (9) a realização de oferta pública de distribuição primária de 41.000.000 novas ações ordinárias.

Com base na cotação de fechamento das ações da empresa na B3, em 9 de novembro, de R$ 20,83 por ação, a oferta pode atingir R$ 854 milhões.

A empresa está em conversas com Itaú BBA, Santander, BTG Pactual, Morgan Stanley, BofA, Bradesco BBI e XP para uma potencial oferta, disseram as pessoas, que pediram anonimato porque a informação não é pública. Ainda há discussões sobre se haverá uma potencial tranche secundária, de acordo com uma das pessoas.

Qualicorp (QUAL3)

A Qualicorp (QUAL3) anunciou nesta terça-feira (09) a conclusão da aquisição de 100% do capital do Grupo Elo Benefícios e da APM (Assessoria Comercial e Corretora de Seguros). De acordo com a empresa de planos de saúde, a operação contribuiu para o aumento de novas vidas em seu portfólio na linha de divulgação.

O comunicado anterior, divulgado no início de agosto, informou que o valor da compra foi de R$ 129,5 milhões.

C&A (CEAB3)

Em função do lançamento da C&A Pay, a C&A Brasil (CEAB3) concluiu as negociações com o Banco Bradesco (BBDC4) para a recompra do direito de oferecer serviços e produtos financeiros para os clientes da varejista de moda.

De acordo com a C&A, serão investidos R$ 415 milhões para realizar essa operação.

A C&A destaca que haverá um período de transição de dois anos, com a coexistência da C&A Pay e cartão C&A gerenciado pelo Bradesco, para o cumprimento das regras acordadas entre as partes. Além disso, a base atual de cliente dos cartões C&A será mantida para não prejudicar o relacionamento com os clientes.

A companhia destaca que a operação da C&A Pay tem como objetivo ampliar a oferta de crédito para os seus clientes.

Dommo (DMMO3)

A Dommo Energia (DMMO3) informou que produziu 22.528 barris de petróleo em outubro de 2021, alta de 6,5% na comparação com setembro de 2021.

O operador informou à companhia que o Campo de Tubarão Martelo (TBMT) se encontra com dois poços com sua produção interrompida.

Aprenda a transformar a Bolsa de Valores em fonte recorrente de ganhos. Assista a aula gratuita do Professor Su e descubra como.

Compartilhe