Pré-mercado

Ibovespa futuro avança após IPCA de novembro abaixo do esperado; juros DI recuam

O índice futuro sobe com mais intensidade do que as Bolsas no exterior; dado de inflação nos EUA também deve movimentar os mercados

Por  Mitchel Diniz

O Ibovespa futuro opera em alta nesta sexta-feira (10), subindo mais que os mercados no exterior, depois do tombo de quase 2% da Bolsa na véspera. Hoje o mercado de ações promete repercutir dados de inflação melhores que o esperado no Brasil e indicadores de preços também nos Estados Unidos. Lá fora, investidores adotam uma postura mais conservadora em relação à variante Ômicron do coronavírus.

Quatro vezes mais transmissível, a nova cepa traz incertezas sobre o avanço da pandemia e possíveis impactos na economia global. Ainda que fabricantes de vacinas tenham declarado que seus imunizantes são eficazes contra a variante, as informações ainda são preliminares, já que os resultados dos estudos mais aprofundados ainda não saíram.

Agora há pouco, aqui no Brasil, saiu o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), referente ao mês de novembro, que apresentou um avanço de 0,95% em relação a outubro. A variação é a maior para o mês de novembro desde 2015, mas veio abaixo do consenso dos economistas consultados pela Refinitiv, que esperavam alta mensal de 1,08% e variação anual de 10,88%.

Desde ontem, a inflação e os juros pautaram os mercados com a decisão, na quarta-feira, do Comitê de Política Monetária do Banco Central (Copom), que elevou a taxa básica de juros a 9,25% ao ano, seu maior patamar desde 2017. O BC também sinalizou que deve fazer um ajuste, com a mesma magnitude (alta de 1,5 ponto percentual) na reunião de fevereiro do ano que vem.

O comunicado pegou o mercado de surpresa, pois os investidores esperavam uma postura mais branda da autoridade monetária diante de indicadores mais fracos da economia.

Às 9h09 (horário de Brasília), o Ibovespa futuro para dezembro de 2021 avançava 1% aos 107.465 pontos.

O dólar comercial operava em queda de 0,18% R$ 5,564 na compra e R$ 5,564 na venda. O dólar futuro para janeiro de 2022 recuava 0,07% a R$ 5,593.

No mercado de juros futuros, os contratos recuam após a divulgação do IPCA: o DI para janeiro de 2023 cai 18 pontos-base para 11,43%; DI para janeiro de 2025 recua 13 pontos-base a 10,51%; e o DI para janeiro de 2027 cai nove pontos-base a 10,45%

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Os índices futuros em Nova York operam com ganhos moderados, após as perdas das Bolsas na véspera. O Dow Jones futuro sobe 0,33%; o S&P 500 futuro avança 0,42%; e os futuros da Nasdaq, que levou um tombo ontem, sobem 0,41%.

Assim como no Brasil, a inflação ao consumidor (CPI) em novembro é o principal indicador da agenda econômica dos Estados Unidos. O consenso Refinitiv aponta para uma alta de 0,7% na variação mensal e 6,8% na anual. O dado é esperado porque pode sinalizar qual postura deve ser adotada pelo Banco Central Americano (Federal Reserve) em relação a retirada de estímulos (tapering).

“O CPI hoje deve confirmar o cenário americano de pressão de preços, que garante a possível majoração do tapering na próxima reunião do Fomc [o Copom do Federal Reserve]”, afirma  Jason Vieira, economista-chefe da Infinity Asset, em relatório.

Na Europa, o efeito da variante Ômicron nas Bolsas parece mais forte, com o aumento no número de infecções que levaram alguns países a adotarem medidas restritivas. Os índices operam em baixa pelo terceiro dia consecutivo. O Stoxx 600, que reúne ações de empresas de 17 países europeus, recuava 0,09%.

As Bolsas asiáticas recuaram hoje repercutindo dados de crédito mais fracos que o esperado na China. Os empréstimos bancários no país em novembro vieram menores do que projetavam os economistas, mesmo com o Banco Central chinês adotando medidas de estímulo. As preocupações com possíveis “calotes” no setor imobiliário, a exemplo do Evergrande Group, continuam no radar, ainda que os riscos de contaminação sejam menores, de acordo com analistas.

No segmento de commodities, os últimos negócios com minério de ferro na Bolsa chinesa de Dalian apontava para queda de 0,70%. As cotações do petróleo operavam em ligeira alta, com o Brent subindo 0,9% a US$ 75,09 e o WTI avançava 1,03% a US$ 71,67.

Radar corporativo

O noticiário corporativo desta sexta-feira (10) tem como destaque a distribuição de proventos pelo Bradesco (BBDC4), B3 (B3SA3), Ambev (ABEV3), Cemig (CMIG4) e Dexco (DXCO3).

A Simpar (SIMH3) divulgou projeções de investimentos para a empresa e suas controladas.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Já a Petrobras (PETR3;PETR4) anunciou que receberá da Equinor a última parcela de US$ 950 milhões referente à venda do bloco BM-S-8.

A Enjoei (ENJU3) celebrou contrato para aquisição da Gringa Intermediação de Negócios. A Camil (CAML3) adquiriu a Silcom por meio de sua subsidiária SAMAN no Uruguai, enquanto a Vamos (VAMO3) adquiriu a HM Empilhadeiras.

Azul (AZUL4)

A Azul (AZUL4) anunciou seus resultados preliminares de tráfego de novembro de 2021. O tráfego doméstico de passageiros (RPKs) aumentou 22,9% em relação a novembro de 2019, frente a um aumento de 24,2% da capacidade doméstica (ASKs), resultando em uma taxa de ocupação de 81,3%.

O mercado internacional mostrou uma alta de 52% na demanda em relação ao mesmo período de 2020.

“Em novembro, continuamos observando a melhora nas tendências de reservas no Brasil, impulsionada por uma das maiores taxas de vacinação do mundo. Nossos fortes números de tráfego demonstram claramente a sustentabilidade das vantagens competitivas do nosso modelo de negócio, enquanto emergimos da crise ainda mais fortalecidos”, destacou em comunicado John Rodgerson, CEO da Azul.

Petrobras (PETR3;PETR4)

A Petrobras (PETR4;PETR3) anunciou que receberá da Equinor a última parcela de US$ 950 milhões referente à venda do bloco BM-S-8.

A petrolífera realizou a venda do total de sua participação (equivalente a 66%) no bloco BM-S-08 para a Equinor, pelo valor de US$ 2,5 bilhões.

B3 (B3SA3)

A B3 aprovou o pagamento de juros sobre capital próprio, no valor total de R$  302,3 milhões, equivalentes ao valor líquido de R$ 0,04231075 por ação.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O pagamento será realizado em 07 de janeiro de 2022 e tomará como base de cálculo a posição acionária de 30 de dezembro de 2021.

Além do JCP, a B3 distribuirá dividendos no valor total de R$ 907,6 milhões, equivalentes  ao valor de R$ 0,14945197 por ação.

O pagamento de dividendos será realizado em 30 de dezembro de 2021 e tomará como base de cálculo a posição acionária de 20 de dezembro de 2021.

A companhia também aprovou programa de recompra de até 250 milhões de ações ordinárias.

Bradesco (BBDC3;BBDC4

O Bradesco (BBDC4) aprovou o pagamento de proventos no valor total de R$ 2,2 bilhões.

Para os dividendos será distribuído R$ 0,196595372 por ação ordinária e R$ 0,216254909 por ação preferencial.

Já para os JCP o valor correspondente a R$ 200 milhões, sendo R$ 0,019659537 por ação ordinária e R$ 0,021625491 por ação preferencial.

Farão jus aos proventos os acionistas que estiverem inscritos nos registros da companhia em 20 de dezembro. O pagamento está previsto para 30 de dezembro.

Ambev (ABEV3)

Os membros do Conselho de Administração da Ambev aprovaram a distribuição de dividendos no valor de R$ 0,1334 por ação e juros sobre capital próprio no valor de R$ 0,4702 por papel. A distribuição de JCP será tributada na forma da legislação em vigor, o que resultará em uma distribuição líquida de R$ 0,3996 por ação.

Os pagamentos serão efetuados em 30 de dezembro de 2021, com base na posição acionária de 17 de dezembro e 21 de dezembro no que se refere à New York Stock Exchange. As ações e os ADRs passarão a ser negociados ex-dividendos e ex-JCP a partir de 20 de dezembro de 2021.

Cemig (CMIG4

A Cemig (CMIG4) efetuará, no dia 29 de dezembro, o pagamento dos proventos de dividendos e JCP.

A título da segunda parcela de JCP será pago o valor de R$ 276,74 milhões, o que corresponde a R$ 0,18228802764 por ação ordinária/preferencial.

Além disso, referentes à segunda parcela dos dividendos, será pago R$ 464,32 milhões,  correspondente a R$ 0,30584806747 por ação ordinária/preferencial.

Dexco (DXCO3)

A Dexco antecipou o pagamento  de  Dividendos  e  Juros  sobre  Capital  Próprio relativos ao resultado do exercício findo em dezembro no montante de R$ 878,4 milhões.

Este pagamento terá como base de cálculo a posição acionária final do dia 14 de dezembro. Os valores serão pagos no dia 23 de dezembro de 2021.

Simpar (SIMH3)

A Simpar aprovou projeção de Capex líquido para o exercício de 2022 no valor de R$ 10 bilhões a R$ 12 bilhões.

Os recursos serão sobretudo direcionados para a expansão da frota de veículos leves e pesados e não incluem aquisições.

Sanepar (SAPR11)

A Sanepar (SAPR11) aprovou ontem (9) programa de investimentos para o período de 2022 a 2026 no valor de R$ 9,07 bilhões.

Além disso, o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) aprovou empréstimo de R$ 311,6 milhões para investimento da Sanepar, a estatal paranaense de saneamento básico. O financiamento será destinado para o projeto de aumento do sistema de esgoto em Pato Branco e Arapongas, além do incremento na rede de fornecimento de água em Londrina, Dois Vizinhos, Imbituva e Castro, todas as cidades do interior do Paraná.

Segundo o BNDES, é a primeira operação aprovada para uma companhia estadual de água e esgoto pelo banco após a aprovação do novo marco regulatório do saneamento, em 2020.

Com os investimentos da Sanepar, 37.670 pessoas passarão a ter acesso à rede de esgoto.

Camil (CAML3

A Camil (CAML3) adquiriu a Silcom por meio de sua subsidiária SAMAN no Uruguai.

Fundada em 1975, a Silcom é uma empresa de alimentos com marcas com liderança em frutas secas, legumes, sementes, molhos e azeites com um faturamento anual de US$ 23 milhões.

Enjoei (ENJU3)

A Enjoei (ENJU3) celebrou contrato para aquisição da Gringa Intermediação de Negócios. Fundada em 2020 por Fiorella Mattheis, a Gringa é uma plataforma online que atua na intermediação da venda de artigos de luxo secondhand.

A operação teve GMV de outubro 2021 anualizando R$18 milhões, um crescimento de 330% ano contra ano, e mais de 140 mil visitas na plataforma por mês.

“Com a aquisição da Gringa, a companhia reforça sua estratégia de crescimento ao ampliar o seu sortimento e se posiciona no crescente e rentável mercado de luxo, continuando a incentivar a extensão da vida útil dos produtos e a promoção da economia circular”, informou a companhia.

Oi (OIBR3;OIBR4)

A Oi, em recuperação judicial, comunicou a aprovação pelo seu Conselho de Administração da contratação da PriceWaterhouseCoopers Auditores Independentes para a prestação de serviços de auditoria independente com relação às informações contábeis da companhia pelo triênio de 2022-2024, em substituição à BDO RCS Auditores Independentes.

“A companhia esclarece que a contratação da PWC é realizada em razão do prazo de 5 anos previsto no art. 31 da Resolução CVM nº 23/2021, e contou com o parecer favorável do Comitê de Auditoria, Riscos e Controles, bem como da anuência da BDO, em atendimento às exigências da Resolução CVM nº 23/2021. Os trabalhos da PWC terão início com a revisão das informações trimestrais da Oi referentes ao primeiro trimestre de 2022”, destacou a empresa em comunicado.

Lojas Renner (LREN3

A Lojas Renner (LREN3) informou sobre direito de recesso que aplica-se aos acionistas que dissentiram da deliberação que aprovou a alteração do objeto social da companhia.

Os dissidentes terão direito ao reembolso de suas ações, no valor de R$ 6,94 por ação. O prazo de 30 dias para o exercício do direito de recesso inicia-se em 10 de dezembro e encerra-se em 09 de janeiro de 2022, inclusive.

Ecorodovias (ECOR3)

A Ecorodovias (ECOR3) informou que foi aprovada, em reunião do Conselho de Administração, a eleição de Gianfranco Catrini para o cargo de Diretor Presidente da empresa.

“Catrini atuou em grandes empresas nos segmentos de infraestrutura, engenharia e construção em diversas regiões e países (incluindo, Ásia, Reino Unido, Alemanha, Holanda, Itália e EUA) e acumula experiência em gestão de operações, com foco em aumento de eficiência, resultados, aquisições e reorganizações. Antes de se juntar à Companhia, atuou como diretor executivo de operações na empresa norte americana Lane Construction, baseada em Connecticut. A nomeação de Catrini consolida a fase de reestruturação da Ecorodovias e reflete as mudanças da nova governança corporativa da companhia”, afirmou a companhia em comunicado.

Vamos (VAMO3)

A Vamos adquiriu a HM Empilhadeiras pelo montante de R$ 150 milhões de Enterprise Value (EV), valor que será ajustado com base na dívida líquida e outros ajustes usuais. O  valor de R$ 50 milhões será pago à vista na data de fechamento e o valor remanescente será pago em 36 parcelas mensais iguais, corrigidas por 100% do CDI.

A aquisição irá adicionar 2.854 ativos aos 964 equipamentos intralogísticos da  VAMOS totalizando 3.818 ativos, crescimento de 296%, tornando a VAMOS a maior locadora  de  equipamentos intralogísticos do Brasil.

Light (LIGT3)

A Light vendeu sua participação de 51% do capital social da Lightger, sociedade que opera a PCH Paracambi, pelo valor de R$ 108,5 milhões.

Também alienou fatia representativa de 51% do capital social da Guanhães Energia, sociedade que opera as PCHs Senhora do Porto, Dores de Guanhães, Fortuna II e Jacaré, pelo valor de R$ 97,9 milhões.

Padtec (PDTC3)

A Padtec conclui estruturação de fundo de investimento em direitos creditórios (Fidc) em conjunto com BNDESPar; capital do fundo será de até R$ 100 milhões.

Analista da Rico Corretora ensina ferramentas práticas a extrair lucro do mercado financeiro de forma consistente. Inscreva-se Grátis.

Compartilhe