Funcionalismo público

Delegados da PF convocam assembleia em protesto contra possível reajuste de 5%

Governo Bolsonaro decidiu dar um aumento linear a todos os servidores públicos federais em vez de priorizar a PF e a PRF, como havia sido prometido

Por  Estadão Conteúdo -

A Associação Nacional dos Delegados de Polícia Federal (ADPF) convocou uma assembleia extraordinária para amanhã, terça-feira (19), para debater medidas contra a proposta do governo de reajustar em 5% os salários de todos os servidores federais.

O governo Jair Bolsonaro (PL) decidiu na semana passada conceder um reajuste de 5% a todos os servidores públicos federais a partir de julho, em vez de priorizar a Polícia Federal (PF) e a Polícia Rodoviária Federal (PRF) com um aumento mais amplo, como havia sido prometido pelo presidente.

O jornal “O Estado de S. Paulo” apurou que o ministro da Justiça, Anderson Torres, pode se reunir nesta segunda-feira (18) com associações de classe em Brasília, para tentar costurar um acordo.

Leia também:

Desde que o governo anunciou um pacote único para o funcionalismo, as principais entidades de policiais, delegados e peritos criminais federais passaram a criticar Bolsonaro e prometeram reagir. Os sindicatos esperavam uma recomposição mais ampla e tratamento diferenciado para as categorias, como várias vezes o presidente.

Pressão e recuo do governo

Mas, diante da pressão de outras categorias — como os servidores do Banco Central, que estão em greve desde o 1º —, Bolsonaro sinalizou que poderia abandonar a promessa de um reajuste mais robusto para a PF e PRF se outras categorias que também reivindicam aumento não abrissem mão do pleito.

Até então, o presidente vinha repetindo que os R$ 2 bilhões reservados no Orçamento para o aumento dos servidores iriam para a reestruturação das carreiras de policiais federais, policiais rodoviários federais e agentes penitenciários.

“Tudo indica que, mais uma vez, o presidente da República não parece ter a intenção de cumprir o compromisso de enviar ao Congresso Nacional uma Medida Provisória nesse sentido”, afirma o delegado Luciano Leiro, presidente da ADPF.

Foi Leiro quem convocou os associados a encaminharem sugestões para serem deliberadas amanhã. Ele prometeu aos colegas continuar em contato com sindicatos e autoridades para marcar o descontentamento com o anúncio de Bolsonaro.

Cadastre-se na IMpulso e receba semanalmente um resumo das notícias que mexem com o seu bolso — de um jeito fácil de entender:
Concordo que os dados pessoais fornecidos acima serão utilizados para envio de conteúdo informativo, analítico e publicitário sobre produtos, serviços e assuntos gerais, nos termos da Lei Geral de Proteção de Dados.
check_circle_outline Sua inscrição foi feita com sucesso.
error_outline Erro inesperado, tente novamente em instantes.
Compartilhe