Criptos hoje

Negociações de Bitcoin disparam com derrocada do rublo, Ucrânia recebe doações e congela criptos de russos

Moeda digital ganha papel importante nos dois lados da guerra, ora financiando a resistência ucraniana, ora servindo de refúgio para russos

Por  Paulo Alves, CoinDesk -

O Bitcoin (BTC) resistiu a uma queda mais aguda no domingo (27), contida na faixa dos US$ 37 mil, em meio ao cerco das tropas russas em Kiev e às dúvidas em torno das negociações entre Rússia e Ucrânia marcadas para hoje.

Nesta manhã, a criptomoeda voltou a ser negociada a US$ 38.438, com queda de 2,4% nas últimas 24 horas, mas em relativa estabilidade em relação aos últimos dias, à medida em que o encontro entre representantes dos países começa em Belarus. No início da tarde, o preço da criptomoeda recuperou o patamar acima dos US$ 40 mil.

O movimento acontece também enquanto o volume de negociações da moeda digital dispara para níveis recordes na Rússia, em sinal de que os cidadãos do país correm para o criptoativo como forma de tentar preservar capital em meio ao derretimento da moeda nacional. Na maior queda da história, o rublo desvalorizou 28% frente ao dólar nas bolsas asiáticas hoje – a bolsa russa não abriu.

Até onde as criptomoedas vão chegar? Qual a melhor forma de comprá-las? Nós preparamos uma aula gratuita com o passo a passo. Clique aqui para assistir e receba a Newsletter de criptoativos do InfoMoney

No fim de semana, os EUA e aliados intensificaram sanções contra a Rússia, com a intenção de impedir que seus bancos acessem a rede de mensagens SWIFT, que sustenta as transações financeiras globais. A União Europeia também bloqueou todas as transações com o banco central russo em uma tentativa de impedi-lo de vender ativos no exterior.

A procura por Bitcoin já vinha aumentando antes mesmo das medidas. Segundo dados do provedor de pesquisa em criptomoedas Kaiko, o volume de Bitcoin denominado em rublo subiu para quase 1,5 bilhão de RUB na quinta-feira (24), atingindo o maior nível desde maio.

“A atividade estava concentrada na Binance”, disse a analista de pesquisa da Kaiko, Clara Medalie, ao CoinDesk. “O volume do par com o hryvnia ucraniano também aumentou, mas não chegou a ultrapassar os níveis de outubro – o par é negociado apenas em duas exchanges – Binance e LocalBitcoin”, afirmou.

Tendência semelhante foi vista no volume de negociação do Tether (USDT) no par com as moedas russa e ucraniana, apontou a especialista. Os dados da Kaiko mostram que o volume de negociação USDT/RUB também subiu para um recorde de oito meses. de 1,3 bilhão de RUB, também na quinta-feira. O USDT é a maior stablecoin do mundo e mantém preço pareado ao dólar em uma proporção de um para um.

Leia mais:

Enquanto russos correm para o Bitcoin, o governo da Ucrânia contra-ataca e solicita a corretoras de criptomoedas locais que bloqueiem ativos de russos e bielorussos.

“É crucial congelar não apenas os endereços ligados a políticos russos e bielorrussos, mas também sabotar usuários comuns”, declarou, em postagem no Twitter, o vice-primeiro ministro e ministro da transformação digital da Ucrânia, Mykhailo Fedorov.

No entanto, apenas a exchange local DMarket atendeu ao pedido. Corretoras internacionais com presença no país, como Binance e FTX, se recusaram a congelar criptos de usuários.

  • Assista: Bitcoin resiste a colapso em meio à guerra na Ucrânia. O que vem agora?

Em nota ao InfoMoney CoinDesk, a Binance afirma que não irá “bloquear unilateralmente as contas de milhares de usuários inocentes”, e que “decidir unilateralmente proibir o acesso das pessoas às suas criptomoedas iria contra a razão de elas existirem”.

A empresa, no entanto, diz contribuir para a aplicação das sanções contra a Rússia. “Se a comunidade internacional ampliar ainda mais essas sanções, também vamos aplicá-las agressivamente”.

Em termos de preço, o Bitcoin apresenta resiliência, mas especialistas alertam para uma tendência passageira à medida que aumenta a demanda pelo dólar americano, que é a moeda de reserva global e um dos ativos mais líquidos do mundo.

Em sinal de maior procura por renda passiva com criptomoedas, o token Uniswap (UNI) avançava 6,6% hoje pela manhã. A Uniswap é uma corretora descentralizada que oferece juros para quem deposita criptos para serem usadas como liquidez para negociações.

Confira o desempenho das principais criptomoedas às 8h15:

CriptomoedaPreçoVariação nas últimas 24 horas
Bitcoin (BTC)US$ 38.438,11-2,4%
Ethereum (ETH)US$ 2.644,80-6%
Binance Coin (BNB)US$ 368,26-2,7%
XRP (XRP)US$ 0,728655-3,4%
Solana (SOL)US$ 90,18-0,3%


As criptomoedas com as maiores altas nas últimas 24 horas:

Uniswap (UNI)US$ 9,82+6,9%
Arweave (AR)US$ 30,71+4,7%
Chiliz (CHZ)US$ 0,181189+3,6%
Flow (FLOW)US$ 6,01+3%
Frax Share (FXS)US$ 21,64+1,6%

As criptomoedas com as maiores quedas nas últimas 24 horas:

Convex Finance (CVX)US$ 17,65-8,2%
THORChain (RUNE)US$ 3,51-8,5%
Juno (JUNO)US$ 33,19-9,5%
Polkadot (DOT)US$ 17,00-8%
Harmony (ONE)US$ 0,142129-7,9%

Confira como fecharam os ETFs de criptomoedas no último pregão:

ETFPreçoVariação
Hashdex NCI (HASH11)R$ 36,00+3,15%
Hashdex BTCN (BITH11)R$ 48,20+4,32%
Hashdex Ethereum (ETHE11)R$ 41,33+4,21%
Hashdex DeFi (DEFI11)R$ 41,10+0,90%
QR Bitcoin (QBTC11)R$ 12,72+2,58%
QR Ether (QETH11)R$ 10,20+3,03%
QR DeFi (QDFI11)R$ 7,32+7,64%

Veja as principais notícias do mercado cripto desta segunda-feira (28):

Binance anuncia doação de US$ 10 milhões para refugiados ucranianos

A Binance doará US$ 10 milhões para organizações intergovernamentais e não governamentais para fornecer ajuda emergencial a refugiados da guerra na Ucrânia.

Em comunicado, a corretora disse que fará as doações por meio de repasses a organizações como UNICEF, ACNUR, Agência da ONU para Refugiados, iSans e People in Need.

A doação se soma a um projeto de crowdfunding cripto, “Humanity First – Ukraine Emergency Relief Fund”, que tem uma meta de quase US$ 20 milhões. Até o momento, a campanha arrecadou US$ 5,9 milhões.

“Para ajudar o povo da Ucrânia, junte-se a nós doando criptomoedas diretamente”, disse Binance. As doações podem ser feitas em BNB, BUSD, Bitcoin e Ethereum. Outras instituições de caridade podem ser adicionadas no devido tempo, disse um porta-voz da Binance por e-mail.

Os fundos doados serão usados ​​”para apoiar a logística no terreno, como alimentos, combustível e suprimentos para refugiados em países que fazem fronteira com a Ucrânia e muito mais”.

Ucrânia recebe US$ 10 milhões em criptomoedas

O governo ucraniano vem recebendo doações diretas em criptomoedas desde a semana passada. O valor arrecadado até aqui, conforme mostram dados em blockchain, chegam a quase US$ 10 milhões.

Até agora, US$ 5,2 milhões foram recebidos na carteira Ethereum do governo, incluindo US$ 1,1 milhão em USDT e US$ 109 mil em USDC.

Um dos doadores foi o fundador da corretora FTX, Sam Bankman-Fried, que depositou US$ 250 mil em USDT na carteira.

Até o momento, nenhuma criptomoeda foi sacada da carteira de Ethereum.

Já a carteira de Bitcoin, que já recebeu US$ 4,2 milhões em doações, registra retiradas de US$ 2,9 milhões nos últimos dias.

No fim de semana, o coletivo de arte russo Pussy Riot ajudou a formar uma Organização Autônoma Descentralizada (DAO) que arrecadou US$ 3 milhões em ETH para a ajuda humanitária à Ucrânia.

Além disso, uma carteira para doações ao exército ucraniano, administrada pela instituição de caridade Come Back Alive, já acumula US$ 6 milhões em doações desde sua criação, em meados de 2021.

Até onde as criptomoedas vão chegar? Qual a melhor forma de comprá-las? Nós preparamos uma aula gratuita com o passo a passo. Clique aqui para assistir e receba a Newsletter de criptoativos do InfoMoney

Compartilhe