Criptos hoje

Bitcoin perde US$ 30 mil em novo dia de criptos no vermelho após “efeito Luna”; Chiliz vai na contramão e dispara 12%

Moeda digital segue enfraquecida após criptomoedas Luna e UST praticamente desaparecerem e gerarem crise de confiança no mercado

Por  Paulo Alves, CoinDesk -

Após tentar recuperar com mais força o preço de US$ 30 mil ontem, o Bitcoin (BTC) volta a recuar nesta quarta-feira (18) e é negociado abaixo deste patamar. Às 7h5, a criptomoeda opera em queda de 2,4% nas últimas 24 horas, a US$ 29.965. O Ethereum (ETH), segunda cripto mais valiosa do mercado, segue ritmo similar e cai 2,7% no mesmo horário, para US$ 2.034 – na semana, porém, o ETH atinge perdas de 13,2%, contra 3,4% do BTC.

O desempenho do Ethereum aponta mais uma vez para um momento de maior risco entre as altcoins, como são chamadas as criptomoedas além do Bitcoin – quase todas as 100 com maior valor de mercado registram queda nesta manhã. O destaque negativo vai para a Chain (XCN), uma moeda menos conhecida que alcançou sua máxima histórica por volta de 1h da manhã, mas despencou 40% logo na sequência, mostrando grande apetite de traders por realização rápida de lucros. Em 24 horas, o criptoativo cai 9%.

Até onde as criptomoedas vão chegar? Qual a melhor forma de comprá-las? Nós preparamos uma aula gratuita com o passo a passo. Clique aqui para assistir e receber a newsletter de criptoativos do InfoMoney

Segundo analistas, o mercado segue refletindo os efeitos da crise da blockchain Terra (LUNA), que entrou em colapso após a stablecoin TerraUSD (UST) perder paridade com o dólar – hoje, a cripto que deveria valer US$ 1 é negociada por menos de US$ 0,10.

“A queda da stablecoin UST anunciou o fim de uma importante corrida de touros”, escreveu o CEO e fundador da Yield App, Tim Frost, em um e-mail. “O mercado está 54% abaixo” da “máxima histórica e não subirá muito em breve, pois enfrentaremos o que parece ser um mercado de baixa dolorosamente prolongado”.

“Qualquer avaliação completa de due diligence teria revelado que esse ativo não poderia resistir a uma corrida bancária”, escreveu o especialista, que ainda vê com o otimismo a oportunidade de outros protocolos aprenderem com a crise para “desenvolver a próxima geração de produtos financeiros descentralizados”. “Quando entrarmos na próxima corrida de touros, os frutos do trabalho serão o novo sistema financeiro mundial”.

  • Assista: Trader ex-JPMorgan condena Ethereum e dispara: “Pode não se recuperar da próxima queda de 90%”

Um dos poucos bons resultados do dia é da Chiliz (CHZ), criptomoeda usada para comprar os fan tokens da plataforma Socios.com, incluindo de times brasileiros como Flamengo, Corinthians e São Paulo. O ativo dispara 12.2% hoje após a empresa lançar uma rede de testes compatível com aplicativos DeFi.

O cenário de baixa desencadeou um aumento no volume de realização de perdas entre os detentores de Bitcoin, que atingiu seu nível mais alto desde o sell-off de criptomoedas em maio do ano passado. Normalmente, um pico nas perdas ocorre durante o estágio inicial ou final de um mercado em baixa, semelhante a 2018 e 2019.

A realização de perdas é registrada quando o preço de mercado do Bitcoin cai abaixo do custo média dos detentores de BTC, segundo dados públicos da blockchain. O preço realizado (base de custo agregado) é calculado dividindo a soma de todos os valores das moedas no momento em que foram movimentadas pela última vez, pela oferta circulante, segundo a casa de análise Glassnode.

Atualmente, o preço realizado do Bitcoin está entre US$ 23 mil e US$ 24 mil, o que pode ser um importante nível de suporte para a criptomoeda. De acordo com ciclos anteriores do mercado de baixa, no entanto, o BTC pode negociar abaixo do preço realizado por cerca de 100 dias antes que os compradores comecem a acumular posições de longo prazo. Se isso se repetir desta vez, é possível que o preço da moeda digital caia para abaixo de US$ 23 mil.

Confira o desempenho das principais criptomoedas às 7h5:

CriptomoedaPreçoVariação nas últimas 24 horas
Bitcoin (BTC)US$ 29.965,04-2,4%
Ethereum (ETH)US$ 2.034,59-2,7%
Binance Coin (BNB)US$ 301,72-2%
XRP (XRP)US$ 0,429710-0,9%
Cardano (ADA)US$ 0,562721-4%

As criptomoedas com as maiores altas nas últimas 24 horas:

CriptomoedaPreçoVariação nas últimas 24 horas
Chiliz (CHZ)US$ 0,134558+12,2%
Klaytn (KLAY)US$ 0,449033+4,5%
Waves (WAVES)US$ 7,00+4%
KuCoin Token (KCS)US$ 14,99+4,3%
Convex Finance (CVX)US$ 11,94+4,2%

As criptomoedas com as maiores quedas nas últimas 24 horas:

CriptomoedaPreçoVariação nas últimas 24 horas
Chain (XCN)US$ 0,087629-9%
Maker (MKR)US$ 1.529,41-8%
Polkadot (DOT)US$ 10,42-7,3%
The Graph (GRT)US$ 0,175320-7,1%
Terra (LUNA)US$ 0,00018045-5,3%

Confira como fecharam os ETFs de criptomoedas no último pregão:

ETFPreçoVariação
Hashdex NCI (HASH11)R$ 26,35-0,75%
Hashdex BTCN (BITH11)R$ 35,60-2,19%
Hashdex Ethereum (ETHE11)R$ 30,40-0,45%
Hashdex DeFi (DEFI11)R$ 25,19+0,35%
Hashdex Smart Contract Plataform FI (WEB311)R$ 25,10-18,13%
QR Bitcoin (QBTC11)R$ 9,40-1,57%
QR Ether (QETH11)R$ 7,40+0,40%
QR DeFi (QDFI11)R$ 4,07-1,21%

Veja as principais notícias do mercado cripto desta quarta-feira (18):

Coinbase realiza evento para seleção de engenheiros brasileiros

Como parte de sua estratégia de expansão no país, a Coinbase Brasil realiza na próxima terça-feira (24), às 19h, o evento virtual “Cracking the Coding Interview: System Design (Quebrando a Codificação)”. O objetivo é preparar potenciais candidatos a vagas de engenheiro de software.

O evento contará com palestras dos engenheiros de software sênior brasileiros Giovani Demartini e Bernardo Heynemann. “Iniciativas como essas nos aproximam das pessoas, descomplicam o processo seletivo e tornam as entrevistas cada vez mais eficazes”, explica a recrutadora da Coinbase Brasil Priscilla Rossi.

Para participar do evento é necessário fazer a inscrição prévia pelo site crackingthecodinginterviewsd.splashthat.com.

Time jurídico abandona projeto Terra

A equipe jurídica da Terraform Labs, empresa por trás do projeto Terra (Luna), abandonou o barco.

Os membros da equipe de advogados Marc Goldich, Lawrence Florio e Noah Axler pararam de trabalhar na empresa em maio, mostraram seus perfis no LinkedIn na terça-feira (17).

Os funcionários deixaram a Terraform Labs após colapso da stablecoin TerraUSD (UST) e do token Luna.

“A semana passada foi desafiadora para a Terraform Labs e um pequeno número de membros da equipe se demitiu nos últimos dias. A grande maioria dos membros da equipe permanece firmemente comprometida em cumprir a missão do projeto. A Terra é maior que  o UST, com uma comunidade incrivelmente apaixonada e uma visão clara de como reconstruir. Nosso foco agora está em executar nosso plano para reviver o ecossistema Terra”, disse um porta-voz da Terraform Labs ao CoinDesk.

Hackers movem criptos roubadas da rede Ronin, do Axie Infinity

Os endereços conectados ao ataque hacker de US$ 625 milhões da rede Ronin, do jogo Axie Infinity, mostram que mais de US$ 10 milhões em Ethereum foram movidos durante a madrugada, de acordo com dados consultados via blockchain.

Um endereço foi abastecido por uma carteira envolvida na ofensiva à Ronin com 5.505 ETH. O valor havia vindo de outra carteira que foi financiada diretamente pelo endereço principal do hacker.

Nas primeiras horas da manhã, a carteira principal enviou ETH em lotes de 55 transações com 100 ETH cada para o serviço de privacidade Tornado Cash, que esconde a origem de criptomoedas.

Atualmente, a carteira contém apenas 3,4 ETH, avaliados em mais de US$ 7 mil, sugerindo que a maioria dos fundos foi transferida para o Tornado e vendida.

Até onde as criptomoedas vão chegar? Qual a melhor forma de comprá-las? Nós preparamos uma aula gratuita com o passo a passo. Clique aqui para assistir e receber a newsletter de criptoativos do InfoMoney

Compartilhe