Criptos hoje

Bitcoin cai abaixo de US$ 30 mil e ameaça fechar 10ª semana no vermelho com novo risk-off do mercado; Solana recua 12%

Fatores macroeconômicos voltaram a pesar para investidor, que preferiu se desfazer da criptomoeda na região de US$ 31 mil

Por  Paulo Alves, CoinDesk -

O Bitcoin (BTC) começou a semana em alta, mas agora ameaça renovar sua maior sequência de perdas da história com a 10ª semana consecutiva de queda, recuando novamente abaixo dos US$ 30 mil na manhã desta quinta-feira (2). Às 7h, a criptomoeda era negociada a US$ 29.930, cedendo 5,6% em relação às últimas 24 horas. Segunda maior do mercado, o Ethereum (ETH) ia a US$ 1.819 no mesmo horário, em baixa de 6,3%.

O BTC já vinha mostrando fraqueza ontem, quando não conseguiu superar a barreira dos US$ 32 mil logo depois de um fim de semana positivo. Analistas, dessa forma, não foram pegos de surpresa com o resultado fraco de hoje, em meio a mais um movimento de redução de riscos por parte de agentes de mercado.

Até onde as criptomoedas vão chegar? Qual a melhor forma de comprá-las? Nós preparamos uma aula gratuita com o passo a passo. Clique aqui para assistir e receber a newsletter de criptoativos do InfoMoney

“A ação do preço do Bitcoin hoje não é totalmente surpreendente”, escreveu Joe DiPasquale, CEO da gestora de fundos de criptomoedas BitBull, ao CoinDesk. “Não apenas está enfrentando pressão dos mercados tradicionais, mas também está lutando para romper a zona de resistência entre US$ 31 mil e US$ 32 mil, resultando em uma quebra do intervalo estabelecido no fim de semana”.

Resistência é um termo de análise gráfica que se refere a um preço ou zona de preços que tendem a gerar alta demanda para a venda de um ativo – neste caso, investidores parecem ter considerado os pontos de US$ 32 mil e US$ 32 mil como bons preços para liquidar posições.

A queda do Bitcoin ainda reflete o resultado negativo de ontem no mercado de ações americano. Os principais índices de ações caíram, com o Nasdaq 100 e o S&P 500 fechando em queda de 0,7%. Segundo especialistas, investidores renovaram suas preocupações com a alta inflação e a perspectiva de recessão global. Como resultado, o ouro e o rendimento do Tesouro de 10 anos dos EUA subiram.

Diante desse cenário, analistas começam a projetar mais um mês negativo para o BTC, principalmente após ter fechado o mês de maio no vermelho. “No futuro, o Bitcoin precisará ver uma atividade de compra significativa e uma grande mudança de sentimento para termos qualquer esperança de uma reversão rápida”, escreveu DiPasquale.

Segundo o especialista em análise gráfica Vinícius Terranova, o movimento do Bitcoin nesta semana indica um padrão normalmente associado a topos ou a tentativas frustradas de recuperação. “Ainda não fechamos a semana, e ela pode se recuperar, mas do jeito que o mundo está, acho bem difícil”, explica.

  • Assista no Cripto+: O que acontece quando uma cripto morre? E projeção para o Bitcoin

 

De acordo com o analista gráfico do CoinDesk, Damanick Dantes, o Bitcoin pode encontrar suporte, inicialmente, em US$ 27.500 e depois em US$ 25.000. Por outro lado, aponta, a criptomoeda está a cerca de uma semana de registrar um sinal de exaustão de queda, que ocorreu pela última vez em 7 de junho de 2021 e em 10 de janeiro deste ano, ambos momentos que precederam uma recuperação mais prolongada.

“Ainda assim, é necessário um fechamento semanal acima de US$ 30 mil para confirmar um sinal de alta de curto prazo. Se ocorrerem mais quedas a partir daqui, o suporte secundário é visto em US$ 17.673”, conta.

Contrário da resistência, o suporte é um termo de análise técnica que indica uma zona de preços que atrai demanda de compra de um determinado ativo.

Como de costume, altcoins levam a pior em meio à nova queda do Bitcoin, com a Solana (SOL) recuando 12% após uma pane interromper o funcionamento da rede na tarde de ontem.

Confira o desempenho das principais criptomoedas às 7h07:

CriptomoedaPreçoVariação nas últimas 24 horas
Bitcoin (BTC)US$ 29.930,67-5,6%
Ethereum (ETH)US$ 1.819,20-6,3%
Binance Coin (BNB)US$ 303,16-5,2%
Cardano (ADA)US$ 0,577360-6,5%
XRP (XRP)US$ 0UUS$ 0,396562-5,4%

As criptomoedas com as maiores altas nas últimas 24 horas:

CriptomoedaPreçoVariação nas últimas 24 horas
Evmos (EVMOS)US$ 3,49+9,7%
Waves (WAVES)US$ 9,57+8,2%

As criptomoedas com as maiores quedas nas últimas 24 horas:

CriptomoedaPreçoVariação nas últimas 24 horas
Arweave (AR)US$ 13,00-12,6%
BitDAO (BIT)US$ 0,665740-12,2%
Synthetix (SNX)US$ 2,83-12,2%
Solana (SOL)US$ 39,80-12%
Kusama (KSM)US$ 72,95-11,6%

Confira como fecharam os ETFs de criptomoedas no último pregão:

ETFPreçoVariação
Hashdex NCI (HASH11)R$ 24,90-3,3%
Hashdex BTCN (BITH11)R$ 34,71-2,9%
Hashdex Ethereum (ETHE11)R$ 25,70-5,2%
Hashdex DeFi (DEFI11)R$ 22,56-4,51%
Hashdex Smart Contract Plataform FI (WEB311)R$ 22,79-5,74%
QR Bitcoin (QBTC11)R$ 9,16-3,17%
QR Ether (QETH11)R$ 6,38-4,49%
QR DeFi (QDFI11)R$ 4,00-2,91%

Veja as principais notícias do mercado cripto desta quinta-feira (2):

Solana sofre novo bug e fica fora do ar por mais de 4 horas

A Solana sofreu uma nova pane na quarta-feira, derrubada por mais de quatro horas por um bug na forma como a blockchain processa um tipo de transação que, segundo os desenvolvedores, foi projetada para casos de uso offline da rede.

Os validadores, que processam as transações na blockchain, começaram a reiniciar a rede somente depois de desativar esse tipo de transação, disse o chefe de comunicações da Solana Labs, Austin Federa, ao CoinDesk. A funcionalidade permanecerá desativada até que os desenvolvedores identifiquem e corrijam o problema.

Além de ter sido responsável pelo desligamento da rede momentaneamente, o bug pode ter ramificações para qualquer custodiante offline cujas transações se enquadrem nessa categoria, possivelmente o impedindo de mover criptos até que uma solução seja encontrada, disseram os validadores.

Vortx realiza primeira emissão de dêbentures tokenizadas do Brasil

A Vórtx QR Tokenizadora realizou ontem a primeira emissão de dêbentures tokenizadas do país, coordenada pelo Itaú. A empresa é a primeira tokenizadora regulada do Brasil, operando no âmbito do sandbox da Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

Ao contrário do mecanismo tradicional, a emissão via tokens utiliza ativos digitais em blockchain que garantem ao comprador o direito de posse do ativo – neste caso, de receber os pagamentos futuros relativos à debênture adquirida. Os tokens da Vórtx são emitidos na blockchain Hathor Network, desenvolvida por engenheiros brasileiros.

Além disso, a Vórtx realizou a emissão de cotas de um fundo que investe em Cédulas de Crédito Bancário (CCBs) garantidas por Bitcoin.

Mercado Bitcoin anuncia demissão de funcionários

O grupo 2TM anunciou ontem a demissão de funcionários da exchange Mercado Bitcoin, citando o cenário econômico global adverso.

“A mudança do panorama financeiro global, alta de juros e da inflação, vem tendo grande impacto nas empresas de base tecnológica”, afirmou o 2TM em comunicado, sem mencionar o número de demissões.

Informações que circulam nas redes sociais mencionam que a empresa teria demitido 90 pessoas, mas a 2TM não confirma o número, se limitando a dizer que “o cenário exigiu ajustes que vão além da redução de despesas operacionais, tornando-se necessário também o desligamento de parte de nossos colaboradores”

Os desligamentos ocorrem dias depois que a Bitso, que concorre com o Mercado Bitcoin pela liderança no setor de negociação de criptoativos na América Latina, confirmar a demissão de 80 funcionários citando a necessidade de “repensar as habilidades necessárias para se mover mais rapidamente na indústria de criptomoedas”.

Até onde as criptomoedas vão chegar? Qual a melhor forma de comprá-las? Nós preparamos uma aula gratuita com o passo a passo. Clique aqui para assistir e receber a newsletter de criptoativos do InfoMoney

Compartilhe