5 assuntos

Bolsas da Europa avançam e índices dos EUA operam mistos; minério cai e mais assuntos que vão movimentar o mercado hoje

No noticiário brasileiro, atenção para os números do Caged e do relatório Focus; Europa ainda repercute dados do PIB da região

Por  Equipe InfoMoney -

O último pregão do mês é de recuperação para as principais bolsas mundiais, em uma semana que promete ser movimentada com diversos indicadores e decisão de política monetária no Brasil.

Os índices europeus chegam a subir cerca de 1% nesta segunda-feira (31), enquanto os índices futuros dos EUA operam sem sentido definido, mas com o Nasdaq futuro registrando alta de cerca de 0,5%. Mesmo com a melhora registrada dos índices desde o fim da semana passada, as preocupações sobre a alta de juros do Federal Reserve devem levar os índices de Wall Street a fechar o mês com perdas expressivas, com o Nasdaq a caminho de registrar seu pior mês desde março de 2020. Esta semana conta ainda com dados do relatório de emprego nos EUA, que devem movimentar o mercado.

Já o Ibovespa registra ganhos expressivos no mês, com alta de mais de 6%, em meio à entrada de fluxo estrangeiro. Nesta sessão, atenção para os dados do mercado de trabalho do Caged referentes a dezembro, além dos dados do tradicional relatório Focus. A semana conta com o início da temporada de resultados do quarto trimestre de 2021 com os números de Santander Brasil (SANB11) e Cielo (CIEL3), além da reunião do Copom.

Confira os destaques:

1. Bolsas mundiais

Estados Unidos

Os índices futuros americanos operam em sentidos diferentes nesta segunda, que marca o último dia de negociações de janeiro, com o Nasdaq futuro registram ganhos, enquanto Dow Jones e S&P500 futuros oscilam entre leves ganhos e perdas. 

No mês, os mercados vêm sendo afetados por preocupações sobre inflação, problemas ligados à cadeia de suprimentos e a perspectiva de altas de juros pelo Federal Reserve. Na quarta-feira passada, o Fed indicou que é provável que eleve sua taxa de juros pela primeira vez em três anos para combater a inflação.  

Foi uma semana volátil para os mercados. O Dow perdeu 1,3%; o S&P avançou 0,8%; e o Nasdaq se manteve estável. 

Até o momento, o S&P acumula queda de 7% em janeiro, que pode ser seu pior mês desde março de 2020, no início da pandemia; o Dow perde 4,4% e caminha para seu pior mês de janeiro desde o início da pandemia; e o Nasdaq perde 12%, cerca de 15% abaixo de seu fechamento recorde de novembro de 2021 e caminha para seu pior desempenho mensal desde outubro de 2008 e seu pior mês de janeiro da história. 

Até o momento, cerca de um terço das empresas componentes do índice S&P 500 já divulgaram seus resultados, dentre as quais 77% superaram as expectativas do mercado, segundo o FactSet. Entre as empresas que divulgam seus resultados nesta semana estão Alphabet, Starbucks, Meta Platforms, Amazon e outras. 

Veja os futuros americanos às 7h20 (horário de Brasília):

Dow Jones Futuro (EUA), -0,18%
S&P 500 Futuro (EUA), +0,05%
Nasdaq Futuro (EUA), +0,52%

Ásia

As bolsas asiáticas fecharam em alta na segunda-feira. Os mercados da China e da Coreia do Sul permaneceram fechados por conta da véspera do Ano Novo Lunar. 

Divulgado no domingo, o Índice do Gerente de Compras (PMI na sigla em inglês) oficial do setor fabril na China ficou em 50,1 pontos, frente a 50,3 em dezembro. Qualquer patamar acima de 50 indica expansão; abaixo, retração. Já o PMI de manufatura Caixin/Markit, que é independente do governo, pontuou 49,1 no mês. 

Shanghai SE (China), não abriu
Nikkei (Japão), +1,07% (fechado)
Hang Seng Index (Hong Kong), +1,07% (fechado)
Kospi (Coreia do Sul), não abriu

Europa

Na Europa, o índice Stoxx 600, que reúne as ações de 600 empresas de todos os principais setores de 17 países europeus, avança, com destaque positivo de papéis do setor de tecnologia e negativo do de viagem e lazer. O movimento ocorre após as altas na Ásia e nos índices futuros americanos. 

Os investidores também se mantêm atentos para o impasse com a mobilização de tropas pela Rússia e a perspectiva de invasão da Ucrânia. O Conselho de Segurança da ONU se reúne nesta segunda-feira para discutir a tensão. 

Atenção ainda para os dados da economia da região. O PIB da zona do euro cresceu 5,2% em 2021, segundo estimativa preliminar divulgada nesta segunda pela agência de estatísticas da União Europeia, Eurostat. No quarto trimestre de 2021, o PIB avançou 0,3% na área do euro e 0,4% no conjunto de países da União Europeia (UE), na comparação com o trimestre anterior.

FTSE 100 (Reino Unido), +0,09%
DAX (Alemanha), +1,13%
CAC 40 (França), +0,55%
FTSE MIB (Itália), +1,2%

Commodities

Os preços do petróleo continuam a avançar, também influenciados pela crise na fronteira da Ucrânia, assim como pela perspectiva de redução de estoques da Organização dos Países Produtores de Petróleo (Opep).

Já a bolsa de Dalian, na China, que negocia contrato futuro do minério, não abriu na segunda-feira. Os preços do minério de ferro avançaram na última semana com a perspectiva de retomada do mercado de construção da China com o corte de juros pelo governo e notícias sobre surtos de Covid que afetam a oferta de mão de obra na Austrália.

Já nesta data, em Singapura, o minério de ferro corrige seu preço em mais de 6%, após reguladores chineses dizerem que buscarão medidas para suavizar o preço da commodity, que se valoriza mais de 12% em janeiro.

Petróleo WTI, +0,81%, a US$ 87,52 o barril
Petróleo Brent, +0,82%, a US$ 90,77 o barril

A bolsa de Dalian não abriu na segunda-feira

Bitcoin

Os preços do Bitcoin avançam 0,52%, a US$ 36.594,38

2. Agenda

 

Brasil

8h25: Banco Central divulga Boletim Focus, com a expectativa de analistas sobre indicadores como inflação, juros e PIB
9h30: Resultado primário consolidado do setor público em dezembro
9h30: Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), com a criação de vagas formais de emprego em dezembro. A expectativa da Infinity Asset Management é de criação de 155.500, frente a 324.112 em dezembro

Alemanha

10h: Dados preliminares sobre inflação em janeiro, com perspectiva de queda de 0,4% frente a dezembro e alta de 4,3% frente a janeiro de 2021

3. Radar político

Levantamento da Associação de Terminais Portuários Privados (ATP) reproduzido nesta segunda-feira pelo jornal Valor Econômico afirma que ao menos 30 projetos de terminais de uso privado foram autorizados em 2021 ou estão em análise na Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq) para aprovação em 2022. Os valores envolvidos chegam a R$ 9,5 bilhões.

Disputa presidencial

Questionado pelo jornal Folha de S. Paulo se irá prestar continência caso Luiz Inácio Lula da Silva (PT) ou outro candidato tome o lugar de Jair Bolsonaro nas Eleições de 2022, o capitão reformado do Exército e comandante da Força Aérea Brasileira (FAB) Carlos de Almeida Baptista Junior afirmou: “Lógico. Nós prestaremos continência a qualquer comandante supremo das Forças Armadas, sempre”.

PT busca apoio do PSD

Em meio a uma hesitação do senador Rodrigo Pacheco (PSD-MG) em se candidatar ao Palácio do Planalto, o PT decidiu fazer novas investidas pelo apoio do PSD. Segundo reportagem de bastidores do jornal Folha de S. Paulo, as negociações podem envolver apoio do partido ao PSD em estados estratégicos, como Minas Gerais e a reeleição de Pacheco na presidência do Senado.

É aventada a possibilidade de que Pacheco ocupe a vaga de vice na chapa de Lula, para a qual também é cotado o ex-governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (sem partido). De acordo com a Folha, Lula deverá se reunir nos próximos dias para discutir o quadro eleitoral com o presidente do PSD, Gilberto Kassab.

OCDE e política ambiental

Reportagem publicada nesta segunda-feira pelo portal UOL afirma que o governo da França vem ressaltando que a adesão de um novo país como membro da Organização de Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) depende do voto de todos os atuais membros. A França afirma que exigirá do Brasil redução do desmatamento.

Na semana passada, a OCDE enviou uma carta ao governo brasileiro convidando as autoridades a iniciarem negociações para a adesão. Em comunicado, a diplomacia francesa afirmou: “A França estará extremamente atenta durante todo este processo para obter de todos os candidatos progressos sérios, concretos e mensuráveis no terreno em diversas áreas prioritárias, particularmente na luta contra o desmatamento e a mudança climática, na proteção da biodiversidade, em medidas contra a corrupção ou na abertura das economias”.

População de rua

Manchete de capa do jornal O Estado de S. Paulo com base em um censo da prefeitura de São Paulo afirma que o desemprego e o aumento do custo de vida durante a pandemia vêm levando ao aumento da população de rua na cidade e alterando o seu perfil à medida que famílias inteiras deixam seus lares. Há ao menos 6,7 mil pontos com barracas ou lonas presas a árvores na cidade, 3,3 vezes mais do que em 2019. Dentre 31,8 mil moradores de rua contabilizados na cidade, 28,6% vivem com ao menos uma pessoa da família, frente a 20% no levantamento anterior.

 

4. Recorde de casos de Covid

​​No domingo (30), foram registrados 104.012 novos casos de Covid no Brasil. A média móvel em sete dias foi de 186.722, alta de 148% em relação ao patamar de 14 dias antes e o 13º recorde consecutivo, segundo informações do consórcio de veículos de imprensa divulgadas às 20h.

Em um dia, o Brasil registrou 280 mortes por Covid. Assim, a média móvel de mortes em 7 dias ficou em 540, alta de 238% em comparação com o patamar de 14 dias antes.

O número de pessoas que tomaram ao menos a primeira dose de vacinas atingiu 164.701.073, ou 76,67% da população. A segunda dose ou vacina de dose única foi aplicada em 149.682.250, ou 69,68% da população. E a dose de reforço foi aplicada em 44.463.539, ou 20,7% da população.

Menos tempo de internação

Mesmo com recordes nos registros de casos de Covid e alta na procura por atendimento de saúde, o tempo de internação por conta da doença vem caindo no estado de São Paulo.

Segundo dados da Secretaria Estadual de Saúde reproduzidos nesta segunda-feira pelo portal UOL, na segunda onda de contaminações, no começo de 2021, o tempo médio de internação de uma pessoa com quadro grave era de 9 dias nas enfermarias e 12 dias em UTIs. Na onda atual, após boa parte da população ter sido vacinada, o tempo caiu para 3 dias em enfermarias e 7 em UTIs. 

5. Radar corporativo

Oi (OIBR3;OIBR4)

A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) marcou para esta segunda-feira reunião extraordinária para discutir eventual aprovação da venda dos ativos móveis da Oi para as rivais TIM (TIMS3), Vivo (VIVT3) e Claro.

O assunto, que se arrasta desde o final de 2020 quando as três operadoras ganharam direito sobre os ativos da Oi em um leilão que chegou a ser contestado por rivais como a Algar Telecom, seria decidido na Anatel nesta sexta-feira, também em reunião extraordinária.

Mas o conselheiro Vicente Aquino pediu vistas no processo. A próxima reunião marcada da agência seria em 10 de fevereiro, mas a autarquia decidiu agendar um novo encontro extraordinário para esta segunda-feira, às 16h, sobre o assunto.

Eletrobras (ELET3;ELET6)

O conselho de administração da Eletrobras aprovou o montante de R$ 121,03 milhões referente ao valor apurado do Ativo Imobilizado em Curso (AIC) da Ceron, atualmente Energisa Rondônia, decorrente do processo de privatização da subsidiária em 2018. Além disso, as empresas assinaram o contrato de ressarcimento do AIC. Com isso, a Energisa Rondônia vai realizar o pagamento do valor apurado de 60 parcelas, com o saldo devedor sendo corrigido por 111% da taxa Selic.

Essa iniciativa e posterior assinatura do contrato encerra o processo de apuração do AIC das seis distribuidoras privatizadas pela Eletrobras. As outras cinco distribuidoras, como Amazonas Energia, Boa Vista Energia (Roraima Energia), Eletroacre (Energisa Acre), Ceal (Equatorial Alagoas) e Cepisa (Equatorial Piauí), tiveram os contratos de ressarcimentos assinados no ano passado.

Em comunicado, a Eletrobras explicou que dado que o AIC não foi considerado no valuation das distribuidoras vendidas, o Tribunal de Contas da União (TCU) determinou a inclusão, no edital de venda e no contrato de compra e venda de ações, de dispositivo que permitisse o compartilhamento com a estatal de benefícios futuros do reconhecimento, pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), desse AIC na base de remuneração líquida das distribuidoras.

Petrobras (PETR3;PETR4

A Petrobras (PETR3; PETR4) aprovou a venda de 22 concessões de campos de produção e de águas rasas na Bacia Potiguar, no Rio Grande do Norte.

O valor total da transação, com a 3R Potiguar – uma empresa controlada pela 3R Petroleum Óleo e Gás,  foi de US$ 1,38 bilhões, e de acordo com a estatal brasileira, US$ 110 milhões serão pagos no ato da assinatura do contrato de compra e venda,  US$ 1,04 bilhões no fechamento da transação e US5 235 milhões serão pagos em 4 parcelas anuais de U$ 58,75 milhões a partir de março de 2024.

Dividido nos subpolos de Canto do Amaro, Alto do Rodrigues e Ubarana, o Polo Potiguar, tem 3 concessões marítimas e 19 terrestres e a sua produção no último ano foi de 20,6 mil barris de óleo por dia (bpd) e 58,1 mil m³/dia de gás natural.

A Petrobrás também divulgou na sexta-feira (28) as suas estimativas de reservas provadas de óleo, condensado e gás natural, e de acordo com a petroleira, foram produzidos 9,88 bilhões de barris de óleo equivalente no dia 31 de dezembro de 2021, e deste total, 85% são de óleo e condensado e 15% de gás natural.

O bom momento da PETR3;PETR4 simboliza um recorde, onde a companhia realizou a maior adição de reservas da sua história, com a reposição total de 219% da produção e com o número de 1,97 bilhão de boe.

Americanas (AMER3

O Conselho de Administração da Americanas (AMER3) aprovou a distribuição aos acionistas de JCP, no valor bruto total de R$ 550.635.973,09, que representa, neste momento, um valor bruto de R$ 0,62096308 por cada ação ordinária.

O valor bruto do JCP por ação ordinária inteira poderá ser atualizado, em função de eventual alteração no número de ações ex-tesouraria da Companhia. Considerando que os acionistas poderão utilizar o crédito do JCP para subscrição de novas ações, o pagamento do JCP ora distribuído ocorrerá após o término do período do exercício do direito de preferência, em 09 de março de 2022.

Além disso, a Americanas (AMER3) divulgou a aprovação de um programa de recompra de até 17,5 milhões de ações. Segundo a gigante do varejo, o plano será válido até o dia 21 de julho de 2023 e tem como objetivo “maximizar a geração de valor para os acionistas, por meio de uma administração eficiente da estrutura de capital”.

As ações estarão disponíveis para planos de remuneração em ações e poderão ser canceladas, revendidas ou mantidas em tesouraria.

Marfrig (MRFG3)

O Conselho de Administração da Marfrig Global Foods (MRFG3) aprovou, nesta sexta-feira (28), a participação da companhia em follow-on da BRF (BRFS3).

O aumento de capital por meio de follow-on da BRF foi anunciado e aprovado na última semana, e a decisão foi primordial para a Marfrig, que é uma acionista minoritária, que tem como foco o aumento de sua posição acionária na BRFS3. Vale lembrar, que no último ano, a processadora de carnes elevou a sua participação na BRF, em 30%.

Iguatemi (IGTI11)

A rede de shopping centers Iguatemi (IGTI11) obteve êxito no quarto trimestre de 2021, com um registro de R$ 4,7 bilhões em vendas totais. O número é 11,8%  acima do esperado, no comparativo com o quarto trimestre de 2019, período este, anterior a pandemia de coronavírus.

Os números reportados pela empresa demonstram uma boa recuperação perante a crise sanitária que assolou o setor de shopping centers. O volume de vendas, de R$ 4,75 bilhões,  representa um recorde para a companhia.

O IGTI11 também destacou o crescimento de 28% em aluguéis em lojas, porém a inadimplência no período de pandemia ainda é um obstáculo, e por isso, a ação do Iguatemi fechou o pregão de sexta-feira com baixa de 1,1%, com o valor de R$ 19,78.

Procurando uma boa oportunidade de compra? Estrategista da XP revela 6 ações baratas para comprar hoje.

Compartilhe