Bitcoin vira para alta, ultrapassa US$ 43 mil e renova máxima de 19 meses

Criptomoeda já subiu mais de 150% em 2023

Lucas Gabriel Marins

Sinal de néon indicando que o Bitcoin está disponível em uma loja de Praga, na República Tcheca (Milan Jaros/Bloomberg)

Publicidade

O Bitcoin (BTC) virou para alta na tarde desta terça-feira (5) e ultrapassou US$ 43 mil por volta das 14h20, o maior preço desde abril de 2022, segundo o agregador CoinMarketCap. O patamar mais alto até então no período, de US$ 42.371, havia sido registrado ontem.

A criptomoeda vem subindo nos últimos meses porque parte do mercado acredita que a Comissão de Valores Mobiliários dos Estados Unidos, a SEC, aprove os primeiros ETFs (fundo de índice) à vista de Bitcoin logo, potencialmente ampliando a demanda pelo ativo digital.

A gestora BlackRock e a empresa de investimento em cripto Bitwise, que estão na corrida para lançar o veículo de investimento, que é inédito no país, acrescentaram novos documentos aos seus pedidos nesta semana. Elas estão “trabalhando duro para resolver as coisas”, escreveu James Seyffart, da Bloomberg Intelligence, no X (antigo Twitter)

Masterclass

As Ações mais Promissoras da Bolsa

Baixe uma lista de 10 ações de Small Caps que, na opinião dos especialistas, possuem potencial de valorização para os próximos meses e anos, e assista a uma aula gratuita

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

De acordo com analistas de mercado, um primeiro lote dos produtos pode ser liberado em janeiro de 2024. Com aprovação iminente dos ETFs, o mercado projeta captação de até US$ 100 bilhões em pouco tempo.

Se a alta do Bitcoin vai durar “certamente ficará mais claro assim que uma decisão for tomada sobre o ETF”, escreveu o provedor de pesquisas Kaiko em nota.

Outro fator que serviu de catalisador para o BTC é a regulamentação nos Estados Unidos. Os executivos da indústria estão cada vez mais esperançosos de que o pior da repressão do país ao setor já passou.

Continua depois da publicidade

Nas últimas semanas, o fundador e ex-CEO da exchange FTX, Sam Bankman-Fried, foi preso por fraude, enquanto a importante exchange de criptomoedas Binance e seu fundador, Changpeng Zhao, foram atingidos por pesadas multas após se declararem culpados de violações de sanções e combate à lavagem de dinheiro nos EUA.

“A sensação é que as autoridades e os reguladores dos EUA realmente deram a sua opinião”, disse Lucy Gazmararian, sócia-gerente da Token Bay Capital, à Bloomberg Television. “Agora podemos ver mais diálogo acontecendo com os reguladores.”

O interesse especulativo também está sendo alimentado porque os investidores se animaram com a possibilidade de o Federal Reserve (Fed, o Banco Central dos EUA) colocar fim ao ciclo de aperto monetário no próximo ano.

Alguns indicadores técnicos, como um medidor de impulso chamado índice de força relativa de 14 dias, sugerem que a recuperação do Bitcoin se tornou esticada. O índice está em 75, acima de 70, que é considerado como “sobrecomprado”.

A corretora Robinhood disse em um comunicado ontem que seus volumes de negociação de criptos de novembro estavam cerca de 75% acima dos níveis de outubro.

Ativo descorrelacionado

Só em 2023, a criptomoeda subiu mais de 150%. Por causa do desempenho, as correlações do Bitcoin com ações e ouro diminuíram em 2023.

O coeficiente de correlação de 90 dias entre o índice de ações mundiais e o Bitcoin caiu de 0,60 no início do ano para 0,18 atualmente. Análise semelhante para a criptomoeda e o ouro à vista mostra que o número caiu de 0,36 para quase zero. Uma leitura de 1 indica que os ativos estão se movendo em sincronia, enquanto menor que 1 mostraria que eles estão se movendo em direções opostas.

“Essa divergência ressalta a atual baixa correlação do mercado cripto com outros macro ativos tradicionais”, escreveu Sean Farrell, chefe de estratégia de ativos digitais da Fundstrat Global Advisors LLC, em nota.

As altcoins, que começam o dia em queda hoje, também viraram para alta no início desta tarde.

Confira o desempenho das principais criptomoedas às 7h50:

Criptomoeda Preço Variação nas últimas 24 horas
Bitcoin (BTC) US$ 41.683 -0,30%
Ethereum (ETH) US$ 2.208 -2,20%
BNB Chain (BNB) US$ 230 -1,90%
XRP (XRP) US$ 0,613120 -4,20%
Cardano (ADA) US$ 0,408534 -3,30%

As criptomoedas com as maiores altas nas últimas 24 horas:

Criptomoeda Preço Variação nas últimas 24 horas
Terra (LUNC) US$ 0,00023649 +10,40%
Injective (INJ) US$ 16,22 +9,40%
IOTA (IOTA) US$ 0,319358 +8,80%
THORChain (RUNE) US$ 6,30 +8,40%
Celestia (TIA) US$ 8,45 +7,80%

As criptomoedas com as maiores baixas nas últimas 24 horas:

Criptomoeda Preço Variação nas últimas 24 horas
Blur (BLUR) US$ 0,552926 -4,90%
THORChain (RUNE) US$ 6,87 -2,80%
Synthetix Network (SNX) US$ 3,79 -2,10%
Pyth Network (PYTH) US$ 0,443971 -1,90%
Uniswap (UNI) US$ 6,16 -1,00%


Confira como fecharam os ETFs de criptomoedas no último pregão:

ETF Preço Variação
Hashdex NCI (HASH11) R$ 32,22 +9,07%
Hashdex BTCN (BITH11) R$ 48,27 +8,36%
Hashdex Ethereum (ETHE11) R$ 32,46 +7,02%
Hashdex DeFi (DEFI11) R$ 24,49 +6,47%
Hashdex Smart Contract Plataform FI (WEB311) R$ 20,35 +0,99%
Hasdex Crypto Metaverse (META11) R$ 29,01 +4,54%
QR Bitcoin (QBTC11) R$ 12,81 +7,37%
QR Ether (QETH11) R$ 8,51 +13,46%
QR DeFi (QDFI11) R$ 3,35 +1,51%
Cripto20 EMPCI (CRPT11) R$ 8,84 +7,28%
Investo NFTSCI (NFTS11) R$ 10,04 +2,65%
Investo BLOKCI (BLOK11) R$ 110,12 +4.34%

(Com informações da Bloomberg)

Lucas Gabriel Marins

Jornalista colaborador do InfoMoney