Foco no longo prazo

Bitcoin está descontado e oferece oportunidade para acumulação, sugerem indicadores on-chain

Indicadores técnicos sugerem que momento é atrativo para montagem de posição

Por  CoinDesk -

É hora de voltar a comprar Bitcoin (BTC) e montar posições de longo prazo. Ao menos esta é a mensagem dos indicadores que rastreiam tokens vendidos por mineradores e comparam o valor de mercado da criptomoeda com seu valor justo.

O múltiplo de Puell – calculado por meio da divisão da emissão diária de BTC em dólares pela média de 365 dias do valor – caiu para uma “zona verde” abaixo de 0,5, indicando que as moedas recém-cunhadas estão descontadas em relação à média anual.

Em outras palavras, a lucratividade atual dos mineradores de moedas é relativamente baixa. No passado, isso indicava uma oportunidade perfeita para montar posição com exposição de longo prazo à criptomoeda.

“Entrar [na cripto] durante a zona verde é um bom momento para fazer uma média de preço. Para os mais conservadores, é possível também esperar pela confirmação do movimento, com uma saída da zona de acumulação”, disseram analistas da Blockware Intelligence em um boletim publicado no domingo (10).

A emissão diária diz respeito às moedas adicionadas ao ecossistema por mineradores, que as recebem como recompensa por verificarem um novo bloco de transações de Bitcoin (blockchain). Recentemente, contudo, muitos mineradores reduziram suas participações em criptomoedas dado que o valor dessa recompensa caiu.

Leia mais:
Bitcoin está “tecnicamente sobrevendido”, diz fundador da SkyBridge

No passado, leituras descontadas do múltiplo de Puell marcaram o piso dos ativos nos mercado em baixa (bear market).

“O múltiplo de Puell atingiu um território consistente com o piso do mercado no passado (abaixo de 0,5 e até níveis abaixo de 0,4 há algumas semanas)”, disse Julio Moreno, analista sênior da CryptoQuant, que coleta dados on-chain (da blockchain) e cuja sede fica na Coreia do Sul.

Leituras abaixo de 0,5 observadas entre março e maio de 2020, novembro de 2018 e janeiro de 2019, novembro de 2014 e abril de 2015, bem como durante o último trimestre de 2011 coincidiram com um pico nas vendas de posições e com pisos do bear market.

Oportunidade?

Embora a proibição da mineração de criptomoedas na China em junho de 2021 possa ter distorcido o indicador, ainda coincide com o menor patamar do mercado cripto. A métrica analisada entrou na “zona verde” na última pernada do bear market, depois que o forte sell-off enfraqueceu, permitindo semanas de consolidação de preços e uma recuperação.

A dúvida, contudo, é se os sinais dos fluxos de mineradores são confiáveis, já que as vendas agora representam apenas uma pequena parte dos fluxos gerais. “Se todos os BTC recém-emitidos fossem imediatamente vendidos no mercado todos os dias, isso equivaleria a apenas 900 BTC de pressão de venda, representando entre 1% e 1,5% do volume diário total”, disse a exchange de criptomoedas Coinbase em um relatório recente.

Mas analistas seguem confiantes nos poderes “preditivos” do múltiplo. “A mineração ainda é a espinha dorsal da rede, seja a parcela [dos fluxos de mineradores] pequena ou não. É por isso que a métrica ganha maior importância, independentemente das narrativas. A métrica ainda não foi invalidada”, disse a empresa de inteligência de criptomoeda Jarvis Labs ao CoinDesk.

Na avaliação de Moreno, da CryptoQuant, os fluxos de mineradores continuam a representar um volume importante de Bitcoin que flui para as exchange. “O múltiplo de Puell é calculado usando o valor em dólares do novo BTC emitido, que, em média, é maior do que o apresentado em 2018 ou entre 2014 e 2015.”

Cripto descontada

Indicadores, como o valor de mercado para o valor realizado (MVRV, na sigla em inglês) Z-score e cruzamentos de média móvel de longo prazo também indicam que o momento é propício para a acumulação da cripto.

O Z-score MVRV, que mede a razão entre os níveis de capitalização de mercado e capitalização realizados, é outro indicativo de desconto dos ativos e ficou negativo em meados de junho.

O valor de mercado ou capitalização do Bitcoin refere-se ao valor total em dólares da oferta em circulação, conforme calculado pelo preço médio diário nas principais exchanges. O valor realizado aproxima-se do valor pago por todas as moedas existentes somando o valor de mercado das moedas no momento em que foram movidas pela última vez na blockchain.

O valor realizado se ajusta às moedas perdidas e está mais próximo do valor justo da criptomoeda. O Z-score, portanto, representa o desvio do valor de mercado do valor realizado ou justo e é rastreado para avaliar se a criptomoeda está barata ou cara.

Historicamente, um Z-score MVRV abaixo de zero marcou os menores patamares em um bear market, enquanto uma leitura acima de sete marcou os principais topos do mercado em alta (bull market).

Nesta segunda, por volta das 8h20 (horário de Brasília), o Bitcoin era negociado perto de US$ 20,5 mil, uma queda da ordem de 3% no dia. A criptomoeda já caiu 55% este ano, de acordo com dados do CoinDesk.

Até onde as criptomoedas vão chegar? Qual a melhor forma de comprá-las? Nós preparamos uma aula gratuita com o passo a passo. Clique aqui para assistir e receber a newsletter de criptoativos do InfoMoney

Compartilhe