Falha em segurança

Após ataque hacker, mais de US$ 90 mi em criptomoedas são roubados de plataforma japonesa

Empresa informou que está investigando o caso e que, por enquanto, depósitos e retiradas estão suspensos

Por  Mariana Zonta d'Ávila

SÃO PAULO – A plataforma japonesa de negociações de criptomoedas Liquid informou nesta quinta-feira (19) que foi alvo de um ataque cibernético que resultou no roubo de mais de US$ 90 milhões (cerca de R$ 490 milhões) em criptomoedas.

Segundo a companhia, algumas de suas carteiras digitais foram “comprometidas” e os hackers transferiram os ativos para quatro outras carteiras.

Em sua conta oficial do Twitter, a plataforma informou que ainda está investigando o caso e que vai informar os investidores sobre novas atualizações. “Enquanto isso, depósitos e retiradas serão suspensos”, escreveu.

Também na rede social, a Liquid publicou que está rastreando a movimentação dos ativos e que está trabalhando com outras exchanges de criptomoedas para congelar e recuperar os valores hackeados.

De acordo com o site CoinMarketCap, a Liquid está entre as maiores plataformas de criptomoedas em volume diário de negociação.

Notícias como essa têm sido cada vez mais recorrentes no mercado cripto.

Na semana passada, o protocolo Poly Network, que atua na área de Finanças Descentralizadas (DeFi, na sigla em inglês), informou que sofreu um ataque hacker em que foram roubados cerca de US$ 600 milhões – um dos maiores ataques da história do mercado de criptoativos.

O Poly é um protocolo de interoperabilidade entre blockchains, ou seja, atua conectando diversas redes, como o Bitcoin, Ethereum e Ontology.

Um dia após o anúncio, o hacker responsável pelo ataque começou a devolver parte dos recursos que pegou. A maior parte do valor já foi devolvida, porém, mais de US$ 200 milhões estão “travados” em uma conta que precisa de senhas tanto da Poly Network quanto do hacker para serem acessadas.

Além disso, a Poly ofereceu US$ 500 mil e uma vaga como chefe de segurança ao hacker após ele devolver os valores roubados e ainda falar que queria apenas ensinar uma lição à empresa.

Compartilhe