Em mercados / acoes-e-indices

Ibovespa cai 1,5%, dólar dispara 2% e supera os R$ 4,00 com temor de força do PT na eleição

Desempenho se descolou de Wall Street, onde o S&P 500 bateu sua máxima histórica após críticas de Trump sobre a política de elevação dos juros adotada pelo Fed 

ações queda
(Shutterstock)

SÃO PAULO - O Ibovespa acelerou as perdas na última hora do pregão desta terça-feira (21), chegando a perder o patamar de 75 mil ponto na mínima do dia, enquanto o dólar disparou para mais de R$ 4,00 com o mercado de olhos nas mais recentes pesquisas eleitorais. No Ibope divulgado na noite de ontem, Lula reforçou sua liderança, gerando preocupação sobre a potencial transferência de votos para Fernando Haddad, enquanto Geraldo Alckmin (PSDB) perde espaço nas intenções de votos.

O benchmark da bolsa brasileira fechou com forte queda de 1,50%, aos 75.180 pontos, seu menor patamar desde 11 de julho, quando estava em 74.399 pontos. O volume financeiro ficou em R$ 10,804 bilhões. Já o dólar comercial, por sua vez, saltou 2,01%, cotado a R$ 4,0372 na venda, seu maior patamar desde fevereiro de 2016, antes do impeachment de Dilma Rousseff.

Segundo o levantamento do Ibope que foi realizado entre os dias 17 e 19 de agosto, Lula aumentou sua distância na liderança de 33% para 37%, seguido por Bolsonaro (18%), Marina (6%), Ciro (5%) e Alckmin (5%). Sem considerar o ex-presidente, o deputado carioca lidera com 20%, seguido por Marina Silva com 12% dos votos, sendo que na sequência aparecem Ciro (9%), Alckmin (7%) e Haddad (4%).

Porém, quando os eleitores são questionado sobre a possibilidade de Lula ser impedido de disputar a eleição e caso ele declare apoio a Haddad, 13% disseram que votariam nele com certeza e 14% poderiam votar, revelando que Haddad tem potencial de crescer e disputar o segundo turno.

O receio de Lula colocar o PT no segundo turno preocuparia menos o mercado se o provável adversário de Haddad fosse algum nome de centro, como Alckmin. O mercado entende que um moderado como o tucano teria grandes chances de vencer no 2º turno, mas a perspectiva de um revival da decisão eleitoral entre PT e PSDB tem se enfraquecido. “Uma considerável parte do mercado vinha sustentando o otimismo com base na ideia de que um nome de centro iria quebrar a polarização entre direita e esquerda”, disse Carlos Kawall, economista do Banco Safra, para a Bloomberg.

O desempenho do Ibovespa ficou na contramão dos índices em Wall Street, onde o S&P 500 renovou sua máxima histórica após críticas do presidente Donald Trump sobre a política de elevação dos juros adotada pelo Fed neste ano. Em entrevista para a Reuters, Trump afirmou que esperava que Jerome Powell seria um presidente do “dinheiro barato” e lamentou sua postura hawkish, ou seja, propensa a redução dos estímulos monetários.

Segundo Trump, o BC dos EUA deveria fazer mais para impulsionar a economia e não está satisfeito com o processo de aumento de juros promovido pelo atual presidente do Fed: "não estou animado com os aumentos de juros dele", afirmou o presidente. Com mais uma crítica de Trump sobre o ritmo de alta de juros, o mercado reduziu a probabilidade de um quarto aumento este ano, esperado para a reunião de dezembro, fato que impulsiona em especial os mercados emergentes.

Veja mais
Os fatores por trás da nova onda de medo no mercado brasileiro
Ibope: Em cenário sem Lula, Bolsonaro lidera com 20% e Haddad aparece com 4% dos votos
Pesquisas reforçam Bolsonaro e PT no segundo turno das eleições, diz Eurasia

Destaques do mercado

Do lado negativo, as ações de estatais foram penalizadas com o temor eleitoral, enquanto os papéis da Gol ficaram pressionados pela alta de 1% do petróleo e do dólar, principais componentes de custo da empresa. Enquanto isso, os papéis da Suzano e da Fibria subiram acompanhando o movimento da moeda norte-americana.

As maiores baixas, dentre as ações que compõem o índice Bovespa, foram:

 Cód. Ativo Cot R$ % Dia % Ano Vol1
 GOLL4 GOL PN N2 11,14 -9,87 -23,70 93,92M
 BTOW3 B2W DIGITAL ON 26,20 -7,29 +27,80 84,57M
 VVAR11 VIAVAREJO UNT N2 18,35 -6,62 -24,92 40,75M
 ELET3 ELETROBRAS ON 14,78 -6,57 -23,58 44,88M
 CMIG4 CEMIG PN 7,66 -5,67 +18,51 82,77M

As maiores altas, dentre os papéis que compõem o índice Bovespa, foram:

 Cód. Ativo Cot R$ % Dia % Ano Vol1
 SUZB3 SUZANO PAPELON 47,18 +4,38 +153,65 261,84M
 JBSS3 JBS ON 8,95 +2,05 -8,28 132,82M
 FIBR3 FIBRIA ON 78,25 +0,79 +64,64 232,77M
 TIMP3 TIM PART S/AON 11,99 +0,67 -6,90 71,99M
 EMBR3 EMBRAER ON 19,67 +0,61 -1,17 48,25M

As ações mais negociadas, dentre as que compõem o índice Bovespa, foram:

 Código Ativo Cot R$ Var % Vol1 Vol 30d1 Neg 
 PETR4 PETROBRAS PN EJ N2 17,72 -3,49 1,24B 1,05B 57.852 
 VALE3 VALE ON 51,73 +0,56 678,01M 995,26M 26.291 
 ITUB4 ITAUUNIBANCOPN EDJ 41,98 -1,29 625,64M 579,12M 35.885 
 BBDC4 BRADESCO PN 28,10 -2,43 547,27M 414,14M 49.109 
 BBAS3 BRASIL ON 29,22 -3,98 449,93M 316,25M 34.946 
 MGLU3 MAGAZ LUIZA ON 132,44 -4,29 327,81M 175,94M 7.758 
 PETR3 PETROBRAS ON EJ N2 20,65 -1,67 285,57M 166,49M 20.508 
 SUZB3 SUZANO PAPELON 47,18 +4,38 261,84M n/d 18.513 
 FIBR3 FIBRIA ON 78,25 +0,79 232,77M 127,13M 10.814 
 ITSA4 ITAUSA PN EDJ 9,50 -2,26 225,65M 200,48M 36.532 

* - Lote de mil ações
1 - Em reais (K - Mil | M - Milhão | B - Bilhão)
IBOVESPA

Contato