Em mercados / politica

Ibope: Em cenário sem Lula, Bolsonaro lidera com 20% e Haddad aparece com 4% dos votos

O levantamento foi feito entre os dias 17 e 19 de agosto de 2018

Candidatos
(Reprodução)

SÃO PAULO - Em um cenário sem o ex-presidente Lula, Fernando Haddad aparece com apenas 4% das intenções de voto quando colocado como representante do PT nas eleições, mostra a pesquisa Ibope divulgada nesta segunda-feira (20). Neste cenário, Jair Bolsonaro lidera com 20%, seguido por Marina Silva, com 12% dos votos.

Na sequência aparecem Ciro Gomes, com 9%, e Geraldo Alckmin (7%). Álvaro Dias tem 3%, seguido por Eymael (1%), Guilherme Boulos (1%), Henrique Meirelles (1%), João Amoêdo (1%), Cabo Daciolo (1%), Vera Lúcia (1%) e João Goulart Filho (1%). Brancos e nulos atingiram 29% e não sabem ou não responderam 9% dos entrevistados.

Já quando o ex-presidente é incluído no levantamento, ele lidera com 37%, seguido por Bolsonaro, com 18% das intenções. Neste cenário, Marina tem 6%, com Ciro (5%) e Alckmin (5%) na sequência. Álvaro Dias registra 3% dos votos, com Eymael, Guilherme Boulos, Henrique Meirelles e João Amoêdo, todos com 1%. Cabo Daciolo, Vera Lúcia e João Goulart Flho não atingiram 1%. Brancos e nulos são 16% do total e não sabem ou não responderam outros 6%.

Esta é a primeira pesquisa Ibope desde o início da campanha eleitoral, que começou no dia 16 de agosto. O levantamento foi contratado pela Globo e pelo jornal O Estado de S. Paulo e foi realizado entre os dias 17 e 19 de agosto de 2018. A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos. Foram ouvidos 2002 eleitores em 142 municípios.

Leia também:
CNT/MDA: Lula possui 37,3% das intenções de voto; Bolsonaro tem 18,8%
Haddad chega a 15%, com apoio de Lula, e divide liderança com Bolsonaro, mostra XP/Ipespe

Na última pesquisa CNI/Ibope, realizada em junho, Lula aparecia em primeiro com 33%, seguido por Bolsonaro (15%) e Marina Silva (7%). Na sequência apareciam Ciro Gomes (4%) e Geraldo Alckmin (4%). No cenário sem Lula, Bolsonaro aparecia com 17%, Marina com 13%, Ciro com 8%, e Alckmin com 6%. Haddad tinha 2% na ocasião.

Quer investir em ações pagando só R$ 0,80 de corretagem? Clique aqui e abra sua conta na Clear

 

Contato