EXPERIMENTE!

Clique e experimente a
versão rápida do

Em mercados / acoes-e-indices

Ibovespa salta 8,8% em julho e encerra sequência de dois meses de queda; dólar cai 3,2%

Índice tem mês de forte valorização apesar de queda de mais de 1% nesta terça puxado pela temporada de resultados corporativos

Analistas
(Shutterstock)

SÃO PAULO - Mesmo com uma queda de mais de 1% nesta terça-feira (31), o Ibovespa conseguiu encerrar uma sequência de dois meses seguidos de perdas e subiu forte em julho. Além do ritmo de recuperação, o índice também passou a esboçar um melhor humor do mercado com o cenário político, principalmente após o ex-governador Geraldo Alckmin conseguir o apoio do centrão no último dia 19.

Com isso, o Ibovespa fechou o mês com forte alta de 8,88%, apesar da queda de 1,31% nesta terça, fechando a 79.220 pontos. O volume financeiro ficou em R$ 9,538 bilhões. O dólar, por sua vez, teve valorização de 0,66% neste pregão, cotado a R$ 3,7548 na venda. Apesar destes ganhos, a moeda norte-americana encerrou julho com forte queda de 3,21%.

Nesta terça, a queda do mercado foi puxada pela temporada de resultados, com as ações do Itaú (ITUB4) em forte queda após um lucro abaixo do esperado, além das perdas dos papéis da Petrobras (PETR4) em vista da correção do petróleo em Nova York. Entretanto, as bolsas norte-americanas e europeias, que iniciaram o dia em baixa, viraram para alta logo após notícia de que EUA e China retomaram as conversas para evitar uma guerra comercial.

Segundo informações da Bloomberg, o secretário do Tesouro dos EUA, Steven Mnuchin, e premier chinês, Li He, retomaram as conversas para evitar uma guerra comercial entre as duas maiores economias do mundo. Com isso, Dow Jones e S&P 500 avançaram cerca de 0,5%. Além disso, os investidores digerem o resultado da inflação nos EUA, que ainda segue comportada.

O PCE (Personal Consumption Expenditures), medida de inflação mais acompanhada pelo Fed, registrou avanço de 0,1% na passagem de maio para junho, em linha com a expectativa pelo mercado, mesmo resultado registrado pelo núcleo do índice de preços, que também ficou conforme a expectativa. Enquanto isso, o Personal Income, que acompanha a evolução da renda da população nos EUA, subiu 0,4% em junho, conforme o consenso, de modo que o Personal Spending, que mede os gastos pessoais, também registrou o mesmo avanço percentual e ficou em linha com o esperado.

Do lado do câmbio, os contratos futuros de dólar com vencimento em agosto subiam 0,61%, aos R$ 3,769, em dia que promete ser bastante agitado por conta do fechamento da Ptax. Enquanto isso, os juros futuros com vencimento em janeiro de 2019 e 2021 estavam estáveis, aos 6,62% e 8,89%, respectivamente, com os investidores já na expectativa pela conclusão da reunião do Copom e do Fed na próxima quarta-feira (1).

Temporada de resultados pesa no mercado

O Itaú Unibanco (ITUB4) encerrou o segundo trimestre deste ano com lucro líquido recorrente de R$ 6,382 bilhões, uma alta de 3,4% ante o mesmo período do ano passado. O resultado, porém, ficou abaixo da projeção de R$ 6,495 bilhões dos analistas consultados pela Bloomberg. O balanço foi impactado pela queda nas despesas com provisões para perdas com inadimplência, aumento das receitas com tarifas e aumento das operações de crédito. O resultado de Produto Bancário da companhia ficou em R$ 28,021 bilhões, levemente acima dos R$ 27,205 bilhões de um ano antes.

Enquanto isso, a Cielo (CIEL3) fechou o segundo trimestre com lucro líquido ajustado de R$ 817,5 milhões, uma queda de 17,8% ante os R$ 994,3 milhões registrados um ano antes. A receita, por sua vez, teve leve avanço de 3,4% em um ano, encerrando o período em R$ 2,927 bilhões. De acordo com analistas de mercado, o balanço foi decepcionante. Segundo o BTG Pactual, o resultado veio fraco, com o lucro vindo 10% abaixo do consenso. "Apesar do dividendo anunciado e o sell-off recente, com queda de 30% no acumulado do ano, vemos grandes desafios pela frente e por isso temos cautelosos", destaca o BTG.

A RD (RADL3) - antiga Raia Drogasil - teve lucro líquido ajustado de R$ 141,78 milhões no segundo trimestre, frustrando a menor expectativa dos analistas consultados pela Bloomberg, que esperavam um lucro entre R$ 148 milhões e R$ 170 milhões. Já a receita bruta da companhia avançou 11,6%, para R$ 3,791 bilhões. Os analistas apontam que o resultado seguiu pressionado pelo baixo reajuste nos medicamentos e pela competição mais acirrada, principalmente no Sudeste. O BTG aproveitou para atualizar o modelo e revisou o preço-alvo de R$ 74 para R$ 80.

Além disso, a Embraer (EMBR3) encerrou o segundo trimestre de 2018 com um prejuízo líquido atribuído aos acionistas de R$ 467,0 milhões, revertendo o resultado positivo de R$ 200,9 milhões registrado no mesmo período de 2017. Segundo o BTG Pactual, o resultado ajustado foi melhor que o esperado, mas com um contábil fraco devido a um não recorrente importante (revisão da base de custo do KC-390 de US$ 127,2 milhões). Contudo, apontam, o resultado não deve impactar tanto na ação, com o foco devendo ser o fluxo de notícias relacionado à Boeing. Desde que o acordo foi anunciado, as ações caíram 22% dado o preço pago que veio menor do que o esperado, mas os analistas veem potencial de valorização para os ativos e recomendam compra.

As maiores baixas, dentre as ações que compõem o índice Bovespa, foram:

 Cód. Ativo Cot R$ % Dia % Ano Vol1
 CIEL3 CIELO ON 14,35 -9,75 -37,50 269,04M
 UGPA3 ULTRAPAR ON 40,65 -8,07 -45,17 186,23M
 CSAN3 COSAN ON 36,87 -5,82 -8,61 103,55M
 RENT3 LOCALIZA ON 23,75 -4,89 +7,91 138,29M
 GOLL4 GOL PN N2 13,81 -4,43 -5,41 46,26M

As maiores altas, dentre os papéis que compõem o índice Bovespa, foram:

 Cód. Ativo Cot R$ % Dia % Ano Vol1
 ELET3 ELETROBRAS ON 17,27 +3,48 -10,70 38,23M
 BRKM5 BRASKEM PNA 54,71 +2,65 +33,12 121,61M
 ELET6 ELETROBRAS PNB 19,28 +2,44 -15,07 35,68M
 BRAP4 BRADESPAR PN 32,58 +1,75 +17,58 50,36M
 MGLU3 MAGAZ LUIZA ON 132,26 +1,74 +65,33 94,72M

As ações mais negociadas, dentre as que compõem o índice Bovespa, foram:

 Código Ativo Cot R$ Var % Vol1 Vol 30d1 Neg 
 ITUB4 ITAUUNIBANCOPN 45,00 -4,19 1,07B 497,54M 51.759 
 VALE3 VALE ON 54,84 +0,94 867,46M 796,86M 30.047 
 PETR4 PETROBRAS PN N2 19,72 -0,85 756,68M 982,46M 29.464 
 BBDC4 BRADESCO PN 30,53 -1,93 326,42M 430,51M 27.847 
 CIEL3 CIELO ON 14,35 -9,75 269,04M 70,92M 36.231 
 ABEV3 AMBEV S/A ON 19,41 -1,47 254,67M 262,34M 23.363 
 ITSA4 ITAUSA PN 10,42 -3,96 250,92M 164,19M 31.610 
 BBAS3 BRASIL ON 32,50 -1,19 225,14M 329,32M 17.169 
 UGPA3 ULTRAPAR ON 40,65 -8,07 186,23M 82,32M 12.649 
 B3SA3 B3 ON 23,79 +0,17 168,59M 222,98M 21.723 

* - Lote de mil ações
1 - Em reais (K - Mil | M - Milhão | B - Bilhão)
IBOVESPA

Notícias do dia
O grande destaque dos jornais do dia fica para a entrevista do candidato à presidência Jair Bolsonaro (PSL) para o Roda Viva, na última segunda-feira. Bolsonaro disse que não tem ’plano B’ para a economia sem seu orientador, Paulo Guedes e, ao comentar sobre a ausência do voto impresso, afirmou que a decisão do STF de barrar a medida coloca sob suspeição a eleição deste ano. Confira mais destaques clicando aqui.

Veja mais:
- Do liberalismo à ditadura: os destaques de Bolsonaro no Roda Viva
- "Não tenho plano B", diz Bolsonaro sobre risco de briga com Paulo Guedes
- Alckmin: "Se nós ganharmos a eleição, a Bolsa vai para 100.000 pontos"

Ainda no noticiário eleitoral, a coluna de Mônica Bergamo, da Folha, informa que o TSE deve impedir que Lula apareça como candidato no programa de TV do PT. Enquanto isso, com problemas para encontrar um vice, o pré-candidato tucano à presidência Geraldo Alckmin afirmou que não quer nem que a sua chapa seja formada por alguém do seu partido nem que seja de São Paulo.

Quer investir em ações pagando só R$ 0,80 de corretagem? Clique aqui e abra sua conta na Clear

Contato