EXPERIMENTE!

Clique e experimente a
versão rápida do

Em mercados / acoes-e-indices

5 semanas seguidas de alta, valorização de 13% e uma pergunta: até onde vai o Ibovespa?

Fábio Figueiredo ("Vlad"), analista técnico da Messem no Alvo, responde essa questão no Visão Técnica

SÃO PAULO - Depois de cinco semanas seguidas de alta e uma valorização de 13%, o Ibovespa retornou para a faixa de 80 mil pontos e neste momento o trader que está comprado (ou em busca da compra) se pergunta: o mercado ainda possui força para subir? Para responder essa questão, o Visão Técnica desta sexta-feira (27) recebeu Fábio "Vlad" Figueiredo, analista técnico da Messem no Alvo.

Segundo o analista, o momento é de cautela para o investidor, tendo em vista o teste da média móvel de 20 semanas, que pode "travar" o mercado nos próximos pregões. Para o dólar, o trader deve esperar por uma recuperação, tendo em vista o teste de um importante suporte de curto prazo.

Veja mais:
- Ibovespa sobe 1,65% e tem 5ª alta semanal seguida de olho na política; dólar vai a R$ 3,71
- 5 ações caem forte após balanços, Petrobras sobe 2% "ajudada" por STF e elétrica dispara 11%
- Os 4 eventos que vão definir o rumo do mercado na próxima semana

Bloco 1: Ibovespa encontra importante resistência no gráfico semanal

No segundo bloco, "Vlad" comenta sobre o bom momento das siderúrgicas, dando destaque para o gráfico "limpo" de Gerdau (GGBR4), que tem como alvo a máxima do ano em R$ 18,50, ao mesmo tempo em que faz um alerta para o setor financeiro, com os bancos diante de uma importante barreira no gráfico semanal. 

Bloco 2: Siderúrgicas estão fortes e bancos merecem atenção

Clique aqui e acompanhe as análises de Fábio "Vlad" Figueiredo

Por fim, no terceiro bloco do programa, o analista da Messem no Alvo comenta de cinco ações para comprar na próxima semana: Magnesita (MAGG3), Petrorio (PRIO3), Pão de Açúcar (PCAR4), Vale (VALE3) e Suzano (SUZB3).

Bloco 3: cinco oportunidades de compra para a última semana do mês

Quer aproveitar as oportunidades citadas e ainda pagar a menor corretagem do Brasil? Clique aqui e abra sua conta na Clear

Contato