Destaques da bolsa

Ação da B2W salta 8% com recomendação, Vale e siderúrgicas sobem com acordo EUA-China e só Eletrobras cai no Ibovespa

Confira os destaques da B3 na sessão desta sexta-feira (11)

arrow_forwardMais sobre
(Shutterstock)

SÃO PAULO – A sessão foi de expressivos ganhos nesta sexta-feira (11) para o Ibovespa, impulsionados pela alta das ações de bancos, Petrobras (PETR3, R$ 29,50, +1,48%;PETR4, R$ 27,26, +1,94%), Vale (VALE3, R$ 48,64, +2,96%) e siderúrgicas como CSN (CSNA3, R$ 13,32, +1,76%), Gerdau (GGBR4, R$ 13,29, +2,39%) e Usiminas (USIM5, R$ 7,67, +2,68%), enquanto Suzano (SUZB3, R$ 35,24, +3,80%), de papel e celulose, também teve forte alta.

As ações da petroleira estatal subiram seguindo o movimento do petróleo em meio ao ataque contra navio-tanque iraniano e também com o acordo parcial entre EUA e China, o que impulsionou os papéis ligados a commodities em geral.

Os papéis da Cogna (COGN3, R$ 10,65, +2,60%), ex-Kroton, subiram em seu primeiro dia de negociação com o novo ticker. Em seu investor day na última segunda (7) a empresa anunciou a criação de uma holding, com o nome de Cogna, e a separação dos negócios atuais em quatro empresas (confira a análise de gestores sobre o tema).

PUBLICIDADE

B2W (BTOW3, R$ 53,00, +7,94%), por sua vez, foi a maior alta do índice após ter a recomendação elevada para outperform pelo Itaú BBA, assim como o Magazine Luiza (MGLU3, R$ 40,50, +4,01%). Já a Gol (GOLL4, R$ 34,65, +4,68%) subiu forte com a queda do dólar e após a American Airlines afirmar que está negociando parceria com a brasileira. Ontem, os papéis zeraram a baixa nos últimos minutos após a informação da Bloomberg de que as duas companhias buscam aprofundar negócios.

No Ibovespa, as únicas ações em queda foram da Eletrobras (ELET3, R$ 34,80, -1,42%; ELET6, R$ 36,74, -2%).

Fora do índice, um destaque negativo, o das ações da Camil (CAML3), que caíram 3% após a divulgação do balanço.

Confira os destaques:

Petrobras

Os investidores ficam de olho no movimento dos preços do petróleo sobre as cotações da Petrobras. Os preços da commodity subiam mais de 1,5% nesta manhã após a mídia estatal do Irã informar que dois mísseis atingiram um navio-tanque do país, que atravessava o Mar Vermelho.

A região vive em tensão desde os ataques, há menos de um mês, a refinarias de petróleo na Arábia Saudita, o que gerou um corte de cerca de 5% da produção global do produto, fazendo o preço do Brent a salta mais de 19%.

PUBLICIDADE

A Petrobras optou por uma participação seletiva e em parceria com a BP Energy durante a 16ª Rodada de Licitação. A empresa levou uma única área na Bacia de Campos, em sociedade com a petroleira britânica. Com isso, espera compartilhar riscos e competências técnicas, informou a empresa em fato relevante ao mercado.

A estatal, na verdade, apresentou proposta para levar dois blocos, mas em um deles foi eliminada pelo consórcio formado pela Total, QPI e Petronas. Pela área vencedora, o bloco C-M-477, a Petrobras e a BP pagaram R$ 2,045 bilhões. Isoladamente, a Petrobras vai desembolsar R$ 1,435 bilhão ainda neste ano.

“As companhias (Petrobras e BP) identificaram neste bloco um grande potencial geológico, que suporta sua proposta competitiva. Os blocos exploratórios desta região da Bacia de Campos têm sido objeto de interesse e elevada disputa nas rodadas de licitação da ANP realizadas em 2017 e 2018”, afirmou a estatal no comunicado.

Magazine Luiza e B2W

O Itaú BBA atualizou suas estimativas para as varejistas Magazine Luiza e B2W e elevou a recomendação para outperform (desempenho acima da média do mercado), em relatório que analisa detalhadamente as oportunidades para o comércio eletrônico no Brasil.

Para Magazine Luiza, o Itaú atualizou o preço-alvo para 2020 para R$ 46,00, de R$ 40,00 por ação, implicando um aumento de 18% frente aos níveis atuais.

Segundo o Itaú BBA, foram revisadas as projeções para expansão do GMV (Gross-Merchandise-Volume) em 5% para 2020 e 2021. Por outro lado, em consequência da incorporação da Netshoes, poderá ocorrer uma pressão sobre a margem Ebitda.

“A integração da Netshoes e aprimoramento do serviço ao cliente provavelmente continuará afetando as despesas de vendas, gerais e administrativas no curto e médio prazo”, diz o Itaú BBA.

Para B2W, o Itaú atualizou o seu preço-alvo para 2020 a R$ 57, ante R$ 45 de 2019, implicando um potencial de 16% de aumento sobre os níveis atuais.

“Desde nossa última atualização, a empresa reportou um crescimento mais rápido do que o esperado, impulsionada pela adição sólida de vendedores e pelo aumento de usuários ativos em sua plataforma”, escreveu.

No entanto, o Itaú BBA acrescentou que o vencimento do benefício da Lei do Bem afetou a divisão 1P, principalmente no primeiro trimestre; mas com expectativa de recuperação. “Portanto, projetamos uma expansão GMV de 25% ao ano em 2019 e de 34% ao ano em 2020.”

Frigoríficos

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) confirmou o registro de um foco de peste suína clássica (PSC) no estado de Alagoas, localizado fora da zona livre reconhecida pela Organização Mundial de Saúde Animal (OIE). O foco foi confirmado no município de Traipu, em criatório de suínos, sem vínculo com sistemas de produção tecnificados e já foi notificado à OIE. A última ocorrência de PSC em Alagoas havia sido registrada em 1994.

Desde a confirmação, a propriedade foi interditada e o serviço veterinário estadual realizou o sacrifício e destruição de todos os suínos da propriedade. Outras medidas tomadas são: investigações de propriedades situadas no raio de 10 quilômetros em torno do foco e propriedades com algum vínculo epidemiológico, além do pronto atendimento a todas as notificações de suspeitas.

As autoridades brasileiras notificaram Organização Mundial de Saúde Animal.

“O estado de Alagoas faz parte da zona não livre de PSC, juntamente com outros dez estados (AM, RR, PA, AP, MA, PI, CE, RN, PB e PE) e essa nova ocorrência não interfere no status da zona livre de PSC reconhecida pela OIE, não justificando impactos no comércio internacional de suínos e seus produtos”, ressalta o diretor substituto do Departamento de Saúde Animal da Secretaria de Defesa Agropecuária, Bruno Cotta.

A zona livre de PSC do Brasil concentra mais de 95% da indústria suinícola brasileira. Toda a exportação brasileira de suínos e seus produtos são oriundos da zona livre, que incorpora 15 estados (RS, SC, PR, MG, SP, MS, MT, GO, RJ, ES, BA, SE, TO, RO e AC) e o Distrito Federal e não registra ocorrência da doença de PSC desde janeiro de 1998.

De acordo com o ministério, a peste suína clássica é diferente da peste suína africana. A ABPA confirmou, por meio de comunicado, que que o caso
detectado envolve uma “enfermidade diferente e de notável menor gravidade que a Peste Suína Africana (PSA), doença que tem
atingido nações da Ásia, África e Europa”.

Em relatório a clientes, o Bradesco BBI avaliou o foco de peste suína clássica (PSC) em Alagoas, destacando que este não é o primeiro a ocorrer no Brasil, resgatando no ano passado foco foi identificado no Ceará, também na região Nordeste.

“Não vemos essa notícia como materiais para o setor de proteínas da do Brasil, pois a região não é classificada como livre de PSC e, portanto, não exporta carne de porco e o caso do ano passado não se transformou em um significativo surto”, escreveu.

O Bradesco BBI acrescenta, entretanto, que é preciso seguir monitorando os casos, a fim de verificar se novos foco possam surgir.

B3

A B3 informou que o volume financeiro médio em setembro somou R$ 16,475 bilhões, uma alta de 71,5% em comparação ao mesmo mês do ano passado. Em relação a agosto, o volume financeiro médio recuou 16,5%.

O volume de médio diário de derivativos somou R$ 3,674 bilhões, uma expansão de 43,1% na comparação a setembro do ano passado, mas um recuo de 15,2% ante agosto.

O total de investidores ativos somou 1,441 milhão em setembro, um incremento de 89,2% sobre o mesmo mês do ano passado e um avanço de 6% sobre agosto.

Eletrobras

A Eletrobras informou que será iniciado hoje o Segundo Plano de Demissão Consensual 2019 (PDC). A meta da Eletrobras é o desligamento de 1.681 empregados até 31 de dezembro de 2019. A economia estimada neste novo plano de desligamentos é de R$ 510 milhões ao ano, a um custo de cerca de R$ 548 milhões, o que representa um payback de 12,9 meses.

O PDC, que está sendo implantado simultaneamente na Eletrobras Holding e nas empresas CGTEE, Chesf, Eletronuclear, Eletronorte, Amazonas GT, Eletrosul e Furnas é uma das iniciativas previstas no “Desafio 23: Excelência Sustentável”, do Plano Diretor de Negócios e Gestão (PDNG 2019-2023), divulgado ao mercado por meio de Fato Relevante em 27 de dezembro de 2018.

Destaca-se que, no âmbito da mediação junto ao Tribunal Superior do Trabalho (TST), que propiciou a celebração do Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) 2019/2020, com representantes sindicais em 09 de outubro, ficou acordado que a Eletrobras ofereça programa de desligamento voluntário para atingimento do quadro de 12.500 empregados efetivos a partir de janeiro de 2020 e de 12.088 empregados efetivos a partir de maio de 2020.

“Portanto, após estas datas, por iniciativa da empresa, ficam autorizados os desligamentos necessários para alcance dos quantitativos estabelecidos pelo TST”, ressaltou a companhia elétrica.

Banco Inter

O Banco Inter atingiu a marca de 3,3 milhões de correntistas no terceiro trimestre, número 3,1 vezes maior que o do mesmo período do ano passado. Segundo a empresa, foram batidos o recorde de abertura de contas no trimestre, com 732 mil novas contas, 2,4 vezes mais que há um ano. “Abrimos em média mais de 12 mil contas por dia útil em setembro”, afirmou o banco digital.

A originação de crédito atingiu o recorde de R$ 1,2 bilhão, crescimento de 123% e 37%, respectivamente, frente ao terceiro trimestre do ano passado e o segundo trimestre deste ano. O crédito consignado, com produção 100% digital, atingiu R$ 293 milhões, alta 255% na comparação anual e de 50% na trimestral.

O crédito imobiliário atingiu a produção de R$ 354 milhões, com crescimento de 51% e 14% na comparação anual e trimestral, respectivamente. Já o crédito a empresas cresceu 147% na comparação anual e 49% na comparação trimestral, para R$ 591 milhões.

Na comparação anual, houve um aumento de 192% no no número de clientes ativos, para 1,9 milhão. A empresa totalizou ainda 62,9 mil solicitações de portabilidade de salário no terceiro trimestre, alta anual de 76%. Em termos de acesso ao aplicativo, foram superadas a marca de 90,7 milhões no trimestre, com cerca de 1,4 milhão de acessos por dia útil no mês de setembro.

Braskem

A Braskem informou que o Juiz da 7ª Vara do Trabalho de Maceió negou os pedidos liminares do Ministério Público do Trabalho em Alagoas (MPT-AL) na Ação Civil Pública proposta contra a Companhia no contexto do fenômeno geológico ocorrido em Maceió, incluindo o pedido de bloqueio no montante de R$ 2,5 bilhões.

Sabesp, Copasa e Sanepar

O projeto que atualiza o marco legal do saneamento do País pode se transformar em mais uma proposta paralela no Congresso. Segundo o ‘Estadão/Broadcast’ apurou, a Câmara estuda enviar diretamente para sanção presidencial os trechos que forem aprovados conforme a proposta encaminhada pelo Senado. Já a parte alterada – e que levanta polêmica entre governadores e parlamentares – se transformaria em um projeto paralelo a ser analisado pelos senadores.

A possibilidade de o projeto acabar com os contratos de programa, aqueles assinados entre municípios e empresas estaduais sem concorrência com a iniciativa privada, tem resistência de prefeitos e governadores. Não há acordo para aprovar esse item ou calibrar as regras de transição para o modelo de contratos de concessão, em que poderá haver licitação com participação de empresas privadas. Sem consenso, esse trecho deve originar um projeto paralelo.

O relator da proposta na Câmara, Geninho Zuliani (DEM-SP), manteve a previsão de que os contratos existentes permaneçam em vigor até o fim do prazo contratual. O Senado deixava a situação flexível para prefeitos e empresas estaduais, que poderiam prorrogar os contratos de programa mediante um acordo. O parecer de Zuliani permite uma prorrogação por somente cinco anos e ainda exige que o serviço tenha cobertura de 90% do abastecimento de água e de 60% do tratamento de esgoto, cenário factível apenas em grandes cidades.

Zuliani deixou de fora a permissão para que municípios e empresas estaduais assinassem contratos de concessão sem licitação se não houvesse “viabilidade econômica que justifique sua privatização”. O trecho colocado pelo Senado foi interpretado como uma flexibilização que, na prática, desidratava a intenção de inserir a iniciativa privada na prestação dos serviços no País. No Senado, conforme lembra o relator do projeto na Casa, Roberto Rocha (PSDB-MA), o item foi inserido para atender a prefeitos de municípios pequenos, considerados de pouco interesse econômico. Ele evita, no entanto, avaliar a viabilidade de o relatório da Câmara prosperar no Senado. “Vai ser votado ainda, pode ser alterado. É preciso esperar como vai ficar o conteúdo para fazer uma avaliação”, afirmou.

Os pontos do Senado mantidos pelo relator e que, se aprovados, poderão seguir direto para sanção presidencial são menos polêmicos. Um deles determina apoio técnico da União para migração do modelo estabelecido no projeto. Outra amplia o prazo para que os municípios acabem com os “lixões” de depósito de resíduos. O prazo é estendido de 2020 para agosto de 2021 em capitais e para agosto de 2024 em cidades com menos de 50 mil habitantes. Um terceiro item mantido exige dos contratos, sob pena de nulidade, metas de expansão dos serviços e repartição de riscos entre as partes.

Camil

A Camil Alimentos registrou lucro líquido R$ 40,1 milhões no segundo trimestre, considerado pela empresa os meses entre junho e agosto, um desempenho 49,3% inferior ao reportado no mesmo período do ano passado. O Ebitda atingiu R$ 88,7 milhões (-34,1%), com uma margem de 7,3% (-4,5pp). A receita líquida subiu 6,8%, para R$ 1,2 bilhão, em período marcado pelo aumento no volume de vendas de grãos e internacional.

As margens vieram bem pressionadas, com aumento forte nos custos, que a companhia não conseguiu repassar nos preços.

Carrefour

O jornal Valor Econômico traz que o Carrefour vai usar marcas regionais, por meio de parcerias ou aquisições, para revigorar seu negócio de supermercados no Brasil. “No passado, tivemos a experiência de trocar marcas regionais pela do Carrefour, mas não foi a melhor decisão”, disse o diretor-presidente de varejo, Luis Moreno, reforçando que negociações estão em andamento, podendo envolver desde a gestão ao compartilhamento de serviços e seções das lojas.

JBS

O HSBC manteve a recomendação de compra para ações da JBS, mesmo após pedido de investigação nos Estados Unidos.

Biotoscana

A Biotoscana informou, em resposta a ofício da CVM, que seus acionistas controladores continuam negociando termos e condições de uma potencial venda do controle da empresa. Como divulgado anteriormente e, até a presente data, “nenhuma decisão foi tomada a respeito”.

Notícia do jornal Valor Econômico de ontem informava que a venda da Biostocana poderia ser fechada até o final desta semana, pelo preços de R$ 1,3 bilhão.

Log

A Log Commercial Properties aprovou a realização de uma oferta pública de distribuição primária de, inicialmente, 21 milhões de ações ordinárias. Essa quantidade pode poderá ser acrescida em virtude da possibilidade de colocação das ações adicionais; ou seja, em até 35% do total inicialmente ofertado, equivalentes a 7,35 milhão de ações.

Com base na cotação de fechamento do dia 9 de outubro, de R$ 23,83 por ação ordinária, o montante da oferta poderia atingir R$ 500,43 milhões ou R$ 675,580 milhões, considerando a colocação adicional. O encerramento do roadshow e a fixação do preço por ação da oferta deve ocorrer no dia 22 de outubro, com o início das negociações dia 24 de outubro.

Helbor

A Helbor Empreendimentos informou que foi aprovado o preço de R$ 2,65 por ação para o efetivo aumento do capital social companhia no montante total de R$ 560,057 milhões, mediante a emissão de 211,342 milhões de novas ações ordinárias.

Em razão da oferta, o novo capital social da companhia passará a ser de R$ 1,750 bilhão, dividido em 669,255 milhões de ações. As ações objeto da oferta restrita passarão a ser negociadas na B3 em 14 de outubro de 2019, com a liquidação física e financeira em 15 de outubro.

(Com Agência Estado e Bloomberg)

Quer investir com corretagem ZERO na Bolsa? Clique aqui e abra agora sua conta na Clear!