Destaques da Bolsa

Ações da Americanas fecham em alta de 9% e bancos disparam com dados fortes dos EUA; Méliuz e Totvs têm queda

Confira os destaques da B3 na sessão desta sexta-feira (15)

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – O Ibovespa fechou a sexta-feira (15) com fortes ganhos, tendo como destaque de alta as ações de bancos e de varejistas, com um noticiário corporativo movimentado tanto aqui quanto no exterior.

O grande destaque do noticiário de empresas ficou para as ações do Pão de Açúcar (PCAR3, R$ 30,96, +11,85%), que dispararam quase 12%, enquanto Assaí (ASAI3) amenizou a queda de cerca de 7% mais cedo, mas ainda fechou em baixa. informou a venda de 71 pontos comerciais, instalados em diversos Estados, para o Assaí. Confira a análise clicando aqui.

Já as ações da Vale (VALE3, R$ 80,68, +1,87%) subiram após uma semana “apagada” e apesar do dia de queda do minério em Dalian. O contrato mais ativo para janeiro do ingrediente siderúrgico na Bolsa de Commodities fechou em queda de 1%, a 723,50 iuanes (US$ 112,56) a tonelada. Na semana, o recuo foi de 2,9% em relação à anterior. Isso com as perspectivas sombrias para a demanda chinesa pesando mais do que a redução na previsão de embarque da Rio Tinto para este ano.

No radar dos investidores, cabe destacar o banco central da China rompeu o silêncio sobre a crise da China Evergrande ao dizer que os riscos para o sistema financeiro decorrentes dos problemas da incorporadora são “controláveis” e improváveis de se espalharem.

Autoridades e governos locais estão resolvendo a situação com base em “princípios orientados ao mercado e no Estado de direito”, disse Zou Lan, representante do Banco Popular da China, em coletiva de imprensa na sexta-feira. O banco central pediu que instituições financeiras mantenham a oferta de crédito ao setor imobiliário “estável e ordenada”, disse Zou, diretor do departamento de mercados financeiros.

Bancos registraram ganhos, também na esteira de resultados positivos do setor em Wall Street no terceiro trimestre e com a proximidade da temporada de balanços por aqui. Bradesco (BBDC3, R$ 18,27, +4,34%;BBDC4, R$ 21,28, + 5,24%), Itaú (ITUB4, R$ 24,76, +2,57%), Banco do Brasil (BBAS3, R$ 31,58, +3,17%) e Santander (SANB11, R$ 37,55, +3,99%) avançaram.

A temporada de resultados começa com o Santander Brasil no dia 27, antes da abertura do mercado. “De maneira geral no setor, o lucro líquido deve contrair ligeiramente sequencialmente, mas as tendências permanecem positivas. A margem financeira com clientes deve se beneficiar de um melhor mix de crédito, enquanto as provisões voltam a níveis normalizados. As receitas de tarifas e despesas operacionais devem apresentar ligeiro crescimento, decorrente do melhor desempenho do segundo trimestre e dos reajustes salariais, respectivamente”, avalia o BBI em análise.

As varejistas também dispararam, na esteira dos dados positivos também nos EUA e buscando recuperação após as fortes quedas no ano (e ainda tendo no radar a operação entre o GPA e o Assaí). Os EUA registraram uma alta inesperada nas vendas de varejo, de 0,7% em setembro na comparação com agosto, ante projeção do consenso de mercado de baixa de 0,2%.  Americanas (AMER3, R$ 37,45, +9,18%) subiu mais de 9%, enquanto Magazine Luiza (MGLU3, R$ 14,56, +2,75%) e Via (VIIA3, R$ 8,14, +1,75%)  registraram ganhos mais modestos. Lojas Renner (LREN3, R$ 35,75, +3,32%) também fechou em alta, assim como a Cielo (CIEL3, R$ 2,62, +5,65%).

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Por outro lado, ações de companhias “techs” como Méliuz (CASH3, R$ 4,95, -4,07%), Totvs (TOTS3, R$ 35,29, -2,57%) e Locaweb (LWSA3, R$ 22,05, -1,30%) registraram as maiores baixas do Ibovespa, em meio ao aumento do rendimento dos títulos dos Estados Unidos. Esse movimento tende a afetar especificamente o setor de tecnologia, que possuem fluxos de caixa mais longos e são mais impactadas pelo aumento nas taxas de juros de longo prazo.

Já entre as construtoras que soltaram prévias operacionais na noite da véspera, o destaque positivo ficou para a Direcional (DIRR3, R$ 12,78, +3,15%), com alta de mais 3%, enquanto Tenda (TEND3, R$ 18,08, +2,67%) e Lavvi (LAVV3, R$ 6,66, +2,46%) fecharam em alta e RNI (RDNI3, R$ 11,90, -1,65%) teve baixa. Confira as análises clicando aqui. 

Confira mais destaques:

Simpar (SIMH3)

A Simpar anunciou Paulo Caffarelli para o cargo de CEO da sua empresa de serviços financeiros, a BBC Leasing & Conta Digital. O executivo passa a integrar a equipe de gestão da holding que também controla JSL, Movida, Vamos, CS Brasil e Original Concessionárias.

JBS (JBSS3)

A JBS anunciou que sua subsidiária Swift Prepared Foods fechou a compra da Sunnyvalley Smoked Meats, nos Estados Unidos, por US$ 90 milhões.

Segundo a companhia, a Sunnyvalley foi fundada em 1990 e produz uma variedade de produtos como bacon defumado, presunto e peito de peru, para venda a consumidores no varejo e no atacado sob a marca Sunnyvalley.

A aquisição inclui uma unidade de produção em Manteca, na Califórnia. Com mais de 300 colaboradores, a receita bruta anual de Sunnyvalley é de US$ 150 milhões.

Petrobras (PETR3;PETR4)

Ontem, após o presidente Jair Bolsonaro dizer que tem vontade de privatizar a Petrobras, o vice-presidente Hamilton Mourão mostrou-se favorável à venda da estatal. “No futuro, a Petrobras terá que ser colocada no mercado de modo que a gente rompa essa estrutura de monopólio, que no final das contas termina por prejudicar o País”, afirmou o general.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Pela manhã, em entrevista a uma rádio de Pernambuco, o chefe do Executivo citou vontade de vender a companhia em meio à dificuldade do governo em conter a alta dos combustíveis. “É muito fácil, ‘aumentou a gasolina, culpa do Bolsonaro’. Eu tenho vontade, já tenho vontade de privatizar a Petrobras”, disse.

GPA ([ativo=PCAR3) e Assaí (ASAI3)

O GPA informou a venda de 71 pontos comerciais, instalados em diversos Estados, para o Assaí. Conforme o fato relevante, a transação envolve um valor estimado a ser recebido pelo GPA de R$ 5,2 bilhões, dos quais R$ 4 bilhões serão pagos pelo Assaí, de forma parcelada, entre dezembro deste ano e janeiro de 2024.

Adicionalmente, o GPA celebrou outro memorando com um fundo imobiliário, com a interveniência e garantia do Assaí, regulando a alienação de 17 imóveis próprios do GPA.

Neste caso, o preço estimado de venda desses imóveis é de R$ 1,2 bilhão, e será pago pelo fundo imobiliário ao GPA. Simultaneamente, o Assaí também celebrou outro memorando com o fundo imobiliário regulando a locação, após a conclusão da transação, dos imóveis adquiridos pelo Fundo para Assaí, pelo prazo de 20 anos, renováveis por igual prazo.

EDP Brasil (ENBR3)

A companhia goiana de transmissão de energia (Celg T) foi arrematada pela Pequena Central Hidrelétrica, que é controlada pela EDP Brasil, pelo valor de R$ 1,977 bilhão, com ágio de 80,1%.

O lance mínimo para arrematar a empresa era de R$ 1,097 bilhão.

Com isso, a EDP agregou ao portfólio mais três concessionárias de transmissão, que somam 756 quilômetros de linhas e 14 subestações.

Itaú Unibanco (ITUB3; ITUB4)

O Itaú Unibanco aprovou o pagamento de juros sobre o capital próprio (JCP) em substituição aos dividendos mensais de novembro e de dezembro deste ano.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Conforme o banco, o valor líquido será de R$ 0,015 por ação e terá como base de cálculo as posições acionárias de 29 de outubro e de 30 de novembro. Dessa forma, o valor líquido por ação, considerando as duas competência de proventos mensais, somará R$ 0,030.

O Itaú também aprovou o pagamento de juros sobre capital próprio complementar, no valor líquido de R$ 0,224868 por ação. O montante total a ser distribuído será de R$ 2,199 bilhões, líquidos de impostos, pagos até 30 de abril de 2022, com crédito contábil em 26 de novembro de 2021, tendo como base de cálculo a posição acionária final registrada no dia 19 de novembro de 2021.

Radar InfoMoney: Confira mais notícias corporativas clicando aqui

PDG (PDGR3)

A construtora PDG, que chegou a ser considerada líder do mercado da construção civil no Brasil, no início da década passada, saiu do seu processo de recuperação judicial.

Segundo fato relevante, o encerramento do processo foi proferido pelo Juízo da 1ª Vara de Falências e Recuperações Judiciais da Comarca da Capital de São Paulo nesta quinta-feira (14).

“A Recuperação Judicial permitiu ao Grupo PDG a reestruturação de um passivo de mais de R$ 5,3 bilhões perante mais de 22.000 credores”, informou.

Dessa forma, conforme a sentença, a PDG cumpriu todas as obrigações previstas no plano de recuperação judicial e seu aditamento, aprovados respectivamente em 2017 e 2020.

Direcional (DIRR3)

A Direcional registrou o 5º recorde nas vendas líquidas dos últimos 6 trimestres, alcançando R$ 643 milhões, alta de 40,2% na base anual.

No acumulado dos nove meses de 2021, as vendas líquidas atingiram R$ 1,8 bilhão, crescimento de 53% sobre o mesmo período de 2020.

Tenda (TEND3)

As vendas líquidas da Tenda (TEND3) encerraram o 3T21 em R$ 770 milhões, alta de 4% no ano. Já nos primeiros nove meses de 2021 as vendas liquidas contabilizaram R$ 2,3 bilhões, o que reflete um aumento de 33%. No trimestre, o VSO da companhia foi de 33% enquanto no ano bateu os 60%.

A Tenda lançou 11 empreendimentos no 3T21 totalizando um volume de R$ 634 milhões, queda de 36% no ano. No acumulado foram lançados 41 projetos somando um VGV de R$ 2,2 bilhões, aumento de 25% em relação ao mesmo período do ano passado.

RNI ([ativo=RNDI3])

As vendas líquidas da RNI (RNDI3) para o 3T21 totalizaram R$ 149 milhões, 8% superior na base anual. No acumulado dos nove meses de 2021, a companhia registrou R$ 481 milhões em vendas líquidas, 26% superior aos primeiros nove meses do ano passado.

Lavvi (LAVV3)

As vendas líquidas contratadas da Lavvi (LAVV3) no terceiro trimestre de 2021 totalizaram R$ 192 milhões, apresentando crescimento de 469% na base anual. No acumulado do ano, as vendas líquidas totalizam R$ 785 milhões, 965% acima do volume vendido ao longo dos primeiros nove meses de 2020.

Porto Seguro (PSSA3)

A Porto Seguro informou que um ataque cibernético causou instabilidade em seus canais de atendimento e em alguns de seus sistemas.

“A empresa ativou prontamente todos os protocolos de segurança e, desde as 15h, vem restabelecendo gradualmente seu ambiente e segue trabalhando para retomar a normalidade o mais breve possível”, informou a empresa por meio de nota.

O texto informa também que, “até o momento, não foi identificado qualquer vazamento de dados da companhia, suas controladas, seus clientes e/ou parceiros, incluindo quaisquer dados pessoais”.

(com Bloomberg, Estadão Conteúdo e Reuters)

Curso inédito “Os 7 Segredos da Prosperidade” reúne ensinamentos de qualidade de vida e saúde financeira. Faça sua pré-inscrição gratuita.