Destaques da bolsa

Ação da Marfrig sobe mais 2% seguindo compra da National Beef; Ambev tem leve alta com novo CEO e Itaú cai 1%

Confira os destaques da B3 na sessão desta terça-feira (19)

arrow_forwardMais sobre
(Shutterstock)

SÃO PAULO – A sessão desta terça-feira (19) foi de leve queda para o Ibovespa, em uma sessão de volume reduzido por conta do feriado na próxima quarta-feira e com falta de catalisadores internos. Lá fora, seguem as discussões sobre a possibilidade de um acordo comercial entre Estados Unidos e China.

De acordo com fontes ouvidas pela Bloomberg, EUA e China discutem quais tarifas devem ser revertidas para que um acordo inicial possa ser alcançado.

Entre os destaques corporativos, a Marfrig (MRFG3, R$ 11,24, +2%) teve novo dia de ganhos após saltar 5,56% na véspera com a compra da fatia adicional de 31,17% da americana National Beef por R$ 3,5 bilhões.

PUBLICIDADE

As ações de bancos, por sua vez, tiveram um dia de queda. Em destaque, os ativos do Itaú Unibanco (ITUB4, R$ 35,13, -1,10%) caíram cerca de 1%; a recomendação para os papéis foi reduzida para neutra pelo JPMorgan, com preço-alvo de R$ 39,00. Enquanto isso, a ação da Ambev (ABEV3, R$ 17,67, +0,63%) teve leve alta após a notícia de troca do CEO.

Confira mais destaques:

Ambev (ABEV3)

A Ambev informou que que, a partir de 1º de janeiro de 2020, o executivo Jean Jereissati Neto, atual diretor de vendas e marketing, assumirá o cargo de Diretor Geral da Companhia, em substituição a Bernardo Pinto Paiva, que decidiu deixar a companhia para seguir projetos pessoais. Paiva ficou por 30 anos na companhia.

Jereissati Neto acumulará a partir de 2020 o cargo de diretor geral e a posição de diretor vendas e de marketing.

Ele é administrador formado pela FGV e ingressou na Ambev em 2000, tendo ocupado diversos cargos, incluindo de diretor geral das operações de América Central e Caribe na Companhia e de Diretor geral das operações da China e diretor geral da Ásia e Pacífico Norte na Anheuser-Busch InBev SA/NV.

De acordo com a Ambev, Paiva trabalhará com Jereissati em uma transição até o final de fevereiro de 2020. Depois, tocará projetos pessoais.

PUBLICIDADE

“A Cervejaria Ambev agradece imensamente a Bernardo Pinto Paiva pelos seus quase 30 anos dedicados à Companhia, onde deixou, além de muitos amigos, um inestimável legado de liderança e excelência, e deseja sucesso em sua nova jornada”, disse por meio de nota o diretor financeiro e de relações com investidores, Fernando Tennenbaum.

Em nota, o Credit Suisse apontou que Paiva fez um excelente trabalho na companhia até hoje, mas avaliam que a troca é positiva, uma vez que Jereissati tem experiência na ABI China/APAC North e uma história de sucesso no segmento premium, além de já ser head no Brasil.

Leia mais
Ambev: os grandes desafios que o novo CEO terá no comando da gigante de bebidas

Para o Bradesco BBI, o fato de Jereissati Neto ter um longo histórico no grupo, tendo ocupado cargos executivos importantes em grandes operações, foi destacado. Além disso, ressalta, o executivo tem desempenhado um papel fundamental na estratégia mais orientada para a inovação da Ambev.

Segundo a equipe de análise do banco, a orientação à inovação é um foco que os analistas esperam que continue e que faz todo sentido dentro da tendência do mercado de mais concorrência. A instituição, porém, manteve a recomendação à Ambev inalterada, com preço-alvo de R$ 20,00.

Vale (VALE3)

A Vale avalia que deverá continuar aumentando os volumes ao longo de 2020, mas que adotará padrões rigorosos para reiniciar as operações restantes, além de monitorar as condições de mercado, escreveu o analista Thiago Lofiego, do Bradesco BBI em relatório, escrito após encontro com o CEO da empresa, Eduardo Bartolomeo, e gerente de RI, Andre Figueiredo

Segundo o relatório, a Vale ainda mencionou que deve recompor os estoques, “o que sugere vendas menores em 2020 versus os níveis de produção”. Atualmente, o Bradesco BBI estima que a Vale deverá enviar 350 mi t de minério de ferro no próximo ano, com riscos modestos de queda.

Em relação ao dividendos, Lofiego destaca que, em linha com as mensagens compartilhadas na teleconferência do terceiro trimestre, a administração afirmou que o foco permanece na resolução de questões relacionadas ao acidente de Brumadinho. “Os pagamentos de dividendos dependerão de como essas questões evoluem”, ressalta.

Sobre o mercado de minério, os executivos da companhia disseram estar ainda confiante em “qualidade do vôo”. “A dinâmica do mercado de minério de ferro ainda é vista como favorável e a Vale vê tendências estruturais que suportam a demanda por minério de ferro de melhor qualidade (por exemplo, preocupações relacionadas à poluição, novos fundamentos mais eficientes na China).

JBS (JBSS3)

A JBS informou que recebeu comunicação da BNDES Participações (BNDESPAR) sobre a intenção de alienação das ações de emissão, potencialmente por meio de uma oferta pública de distribuição secundária de ações com esforços restritos de colocação no Brasil e no exterior.

Segundo o fato relevante, foram escolhidos Banco Bradesco BBI, o Banco BTG Pactual, o Bank of America Merrill Lynch Banco Múltiplo, o Banco Itaú BBA e o UBS Brasil Corretora de Câmbio, Títulos e Valores Mobiliários S.A. para atuarem como instituições intermediárias na potencial Transação.

“A BNDESPAR também informou ter iniciado estudos para detalhar as possíveis estruturas e características da transação, incluindo a quantidade de ações de emissão”, afirmou a JBS.

Mais cedo, a Coluna do Broadcast diz que o BNDES contratou o Bradesco BBI (líder), o BTG Pactual, o BofA, o Itaú BBA e o UBS para coordenarem uma nova oferta de ações da JBS, que estão em sua carteira de renda variável. Como o banco é dono de 21% dos papéis do frigorífico, é necessária a realização de uma oferta subsequente de ações (follow-on). A expectativa é de que a oferta seja precificada no início de dezembro.

Petrobras (PETR3;PETR4)

A Petrobras, após mais de 50 dias sem reajustar o preço da gasolina nas refinarias, anunciou elevação de 2,8% no valor do combustível.

Ontem à noite, a Petrobras havia informado que seguia a manutenção da política de paridade internacional. Representante das empresas importadoras acusaram a estatal de congelar os preços da gasolina por 53 dias e o do diesel por 18 dias, o que estaria impedindo a concorrência no mercado.

A petroleira argumenta, porém, que o “preço de paridade não é um valor absoluto, único e percebido da mesma maneira por todos os agentes”.

Além disso, segundo a Petrobras, a sua política de preços também considera o nível de participação de mercado, não apenas as cotações dos combustíveis e do câmbio. “Os reais valores de importação variam de agente para agente, dependendo de características, como, por exemplo, as relações comerciais no mercado internacional e doméstico, o acesso à infraestrutura logística e a escala de atuação”, afirmou a empresa em resposta ao Broadcast, do Grupo Estado

A companhia petroleira ainda rebate que, ao contrário do que afirma a Associação Brasileira dos Importadores de combustíveis (Abicom), a importação por terceiros continua ocorrendo, o que, segundo ela, “evidencia a viabilidade econômica das importações realizadas por agentes eficientes de mercado”.

Klabin (KLBN11) e Suzano (SUZB3)

O Itaú BBA destacou, após encontro com participantes da indústria de papel e celulose, em Londres, o consenso em torno da avaliação de que os preços da celulose atingiram o fundo deste ciclo, o que pode indicar uma “recuperação gradual” dos preços. O Itaú afirmou que mantém uma visão positiva sobre Suzano e Klabin.

“Embora a demanda chinesa esteja melhorando, a atividade sem brilho na Europa e os níveis de estoque ainda altos provavelmente dificultarão uma recuperação significativa de preços antes do Ano Novo Chinês”, afirmou o analista Daniel Sasson, acrescentando que a demanda chinesa é saudável, com os estoques portuários em tendência de queda em novembro, enquanto Europa segue preocupando.

Hapvida (HAPV3)

A Hapvida fechou acordo de R$ 19 milhões para aquisição de uma fatia de 15% da carteira de clientes de planos médicos da Agemed Saúde, concentrada na região de Joinville (SC), com cerca de 12.000 vidas.

A Hapvida já conta com cerca de 23.000 vidas na região. O valor final de aquisição poderá ser ajustado em decorrência de eventuais reduções no recebimento médio mensal da carteira.

Banco do Brasil (BBAS3)

O Banco do Brasil oficializou na segunda-feira a saída de Marcelo Serfaty do conselho de administração da instituição. Ele passou a fazer parte do conselho do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

Sócio-fundador do fundo de private equity (que compra participação de companhias) G5 Partners, Serfaty chegou ao banco de fomento com a missão de ajudar e acelerar no processo de venda de ativos, que até aqui tem deixado a desejar.

 

Klabin (KLBN11)

A Klabin efetuou o pagamento antecipado de financiamento que detinha no Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) no montante de R$ 2,4 bilhões. O financiamento objeto dessa liquidação foi contratado em 2014 como parte do funding do Projeto Puma I, tinha custo financeiro acima do custo médio da Companhia e prazo médio de apenas 31 meses.

“Esta transação é mais uma etapa do exitoso trabalho de liability management colocado em prática pela Klabin ao longo de 2019”, diz a empresa.

Tenda (TEND3)

A Tenda informou que fará o pagamento de dividendos intermediários no valor total de R$ 15,353 milhões, equivalente a R$ 0,157966133 por ação, considerando a posição de 97.195.141 ações, mediante utilização do saldo de lucro líquido acumulado no exercício social de 2019.

Terão direito ao recebimento os detentores de ações na data base de 22 de novembro (inclusive), passando a ser negociadas “ex-dividendos” a partir de 25 de novembro. O pagamento dos dividendos será efetuado a partir de 4 de dezembro.

Copel (CPLE6)

A Companhia Paranaense de Energia (Copel) informou que no leilão de compra de energia incentivada solar e eólica (chamada pública 07/2019), realizado no dia 13 de novembro, foram contratados 121,6 MW médios, pelo prazo de 15 anos, com início de fornecimento em janeiro de 2023.

Os empreendimentos vencedores desta chamada pública participaram e venderam energia nos Leilões A-6 e A-4 do Ministério de Minas e Energia. A Companhia informou também que a energia adquirida foi comercializada com clientes da Copel Energia.

Notre Dame (GNDI3)

A Notre Dame Intermédica informou que o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (CADE) e a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) aprovaram sem restrições, a aquisição da SMEDSJ – Serviços Médicos São José (Grupo SMEDSJ), por uma de suas subsidiárias, concluindo assim a operação.

Embraer (EMBR3)

A Embraer negocia vendas em potencial de seu novo avião de carga militar, o C-390 Millennium, com mais de 12 países, disse o Jackson Schneider, presidente da unidade de defesa da companhia, de acordo com a Bloomberg.

A fabricante quer vender o modelo em uma joint venture com a Boeing que se chamará Boeing Embraer – Defense. O acordo está sendo analisado pelas autoridades antitruste em conjunto com o da joint venture maior a ser formada pelas duas empresas, a Boeing Brasil-Commercial.

A União Europeia suspendeu a sua avaliação dos acordos enquanto espera informações adicionais das empresas.

CTEEP (TRPL4)

A Companhia de Transmissão de Energia Elétrica Paulista (CTEEP) pretende captar R$ 400 milhões em debêntures, podendo ser ampliada em até 20% por eventual exercício de opção de debêntures adicionais.

Magazine Luiza (MGLU3)

A Bloomberg destaca que a Magazine Luiza foi reiniciada na cobertura do Goldman Sachs, com recomendação de compra.

Itaú Unibanco (ITUB4)

O JPMorgan rebaixou a neutra a sua recomendação aos papéis do Itaú Unibanco, indicando um preço-alvo de R$ 39.

Vivara (VIVA3)

A XP Investimentos começou a cobertura da Vivara, com recomendação de Compra e preço-alvo de R$30 por ção para final de 2020. Com base no fechamento de ontem, já potencial de alta de 25% das ações.

“Para os próximos anos, seguindo a conclusão da oferta primária de ações (IPO), a Vivara está bem capitalizada e pronta para acelerar seu crescimento através de um ambicioso plano de abertura de lojas”, escreveu a XP.

Segundo o relatório, é esperado que o plano de abertura de 514 novas lojas até 2024 sustente um crescimento robusto por mais tempo. A XP projeta um crescimento médio anual de 23% nas vendas, alta de 6% do Ebitda e incremento de 26% de lucro em três anos.

(Com Agência Estado)

Seja sócio das melhores empresas da Bolsa: abra uma conta na Clear com taxa ZERO para corretagem de ações