AO VIVO Analista Charlles Nader mostra como fazer um planejamento para ter consistência na Bolsa

Analista Charlles Nader mostra como fazer um planejamento para ter consistência na Bolsa

Desvalorização recorde

Ka é o carro que mais desvalorizou entre os mais vendidos do Brasil em 2020, diz estudo

Hatch recém-aposentado obteve -13,51% de perda de valor no ano, enquanto o Onix, carro mais vendido em 2020, valorizou 1,84% no ano 

SÃO PAULO – O Ford Ka foi o carro que mais se desvalorizou entre os veículos mais vendidos de 2020, com um decréscimo de 13,51% no preço, segundo um estudo feito pela Kelley Blue Book Brasil (KBB), empresa especializada em pesquisa de preços de veículos novos e usados. O estudo considera os dez carros mais vendidos em 2020, conforme o ranking divulgado pela Fenabrave, entidade que representa as concessionárias.

Entre os dez carros mais vendidos no ano passado, o Chevrolet Onix, primeiro da lista há mais de cinco anos, aparece como único veículo que obteve uma valorização entre seu preço 0 km de janeiro e seu respectivo valor de usado em dezembro, com um acréscimo de 1,84%.

De acordo com a KBB, as razões para a valorização do Onix têm a ver com o contexto atípico de pandemia que provocou um aumento de preços de carros 0 km em 2020. A consequência foi um ‘efeito elástico’ nos valores praticados no mercado de usados, valorizando alguns modelos ao longo do ano passado.

Veja a seguir a tabela completa com a desvalorização dos 10 carros mais vendidos de 2020:

Desvalorização dos 10 carros mais vendidos em 2020 (Preço 0 km KBB de janeiro de 2020 x Preço de Revendedor KBB de dezembro de 2020) 
Modelo Variação 
Chevrolet Onix1,84%
Volkswagen T-Cross-0,61%
Fiat Argo-2,85%
Renault Kwid-4,57%
Chevrolet Onix Plus-4,92%
Jeep Renegade-6,31%
Hyundai HB20-8,85%
Volkswagen Gol-8,85%
Jeep Compass-11,59%
Ford Ka-13,51%

Para elaborar a lista, a KBB calculou uma média aritmética por modelo, considerando apenas as versões com ano modelo 2020, entre janeiro e dezembro do ano passado. Portanto, através da plataforma da KBB, que tem uma base de dados própria sobre os preços dos carros, o estudo compara o preço 0 km dos carros em janeiro de 2020 com o preço dos modelos usados em dezembro de 2020, que é a referência para saber por quanto os lojistas estão revendendo os carros em suas lojas.

Leia também: Quanto custam os serviços de carro por assinatura? Compare aluguéis na Localiza, Unidas, Porto Seguro, Fiat, etc.

Na prática, o conceito de desvalorização serve para identificar o quanto o carro perde valor de mercado após ser comprado. Assim, quanto menor for o valor de venda do modelo usado, mais desvalorizado o modelo, ou seja, dá mais prejuízo ao dono na hora da revenda.

Um outro estudo da KBB confirma que existe uma correlação entre os fortes aumentos de preços de carros 0 km em 2020 e a consequente valorização de modelos seminovos, sobretudo quando falamos de modelos mais recentes. Em reportagem anterior, o InfoMoney mostrou os 10 veículos seminovos que menos desvalorizaram em 2020 e tornaram-se, então, os mais valorizados.

Saída da Ford do Brasil e o impacto na demanda pelo Ford Ka

Com a o fechamento das fábricas da Ford no Brasil e o encerramento da produção nacional de veículos da montadora americana no país, a KBB avalia se apostar nos modelos da Ford pode ser uma boa aquisição.

PUBLICIDADE

Questionada pelo InfoMoney se o momento é propício para comprar carros da montadora, a empresa avalia que é possível estimar que ocorrerá uma queda nos preços dos carros da Ford em decorrência desta decisão da marca:

“A primeira é de cunho mais prático. Devido à necessidade de esvaziar os estoques da sua rede, podemos esperar que a companhia faça campanhas de bônus ou outros incentivos para tornar os preços mais atraentes para o consumidor, a fim de motivá-lo a adquirir os modelos que acabaram de sair de linha. Este movimento deve influenciar os preços das opções seminovas e usadas, fazendo-as seguir a tendência de desvalorização, uma vez que as opções 0 km estarão com preços mais competitivos”, disse a KBB em nota.

Leia também: Carros elétricos, megafusões e expansão das marcas chinesas: o que a saída da Ford diz sobre o futuro dos automóveis

“O outro fator é referente à percepção da marca pelo consumidor. Ainda que a Ford tenha deixado claro que vá manter a sua operação no Brasil, a decisão de deixar de fabricar veículos aqui impacta diretamente a confiabilidade que o consumidor tem perante a marca e isso pode afetar tanto o interesse pelos modelos que saíram de linha quanto o desejo dos atuais proprietários de permanecerem com seus carros”, continua a empresa.

Ainda segundo a KBB, é esperado que os proprietários possam querer antecipar a troca destes modelos por receio de maior desvalorização, o que aumentaria a oferta deles no mercado. Contudo, se a demanda por estes modelos arrefecer, a maior oferta no mercado pode contribuir para os preços tenham tendência de queda – com base na lei de oferta e demanda do mercado.

“Por isso, para quem está à procura de um veículo novo, esta pode ser uma oportunidade para encontrar boas ofertas no mercado, uma vez que o consumidor terá maior poder de barganha, devido ao impacto do anúncio da companhia”, conclui a KBB.

Entretanto, a empresa faz uma ressalva e diz que, nesse primeiro momento, é preciso acompanhar a movimentação do mercado nos próximos meses para realmente ter uma dimensão mais completa do cenário.

O que o consumidor pode esperar do preço do Ford Ka nos próximos meses?

Milad Kalume Neto, diretor de novos negócios da consultoria automotiva Jato Dynamics, acredita que o valor do Ford Ka vai cair ainda mais nos próximos meses e avalia que o consumidor que mira a aquisição de um modelo deve ter cautela.

PUBLICIDADE

“O [Ford] Ka vai depreciar mais fortemente. Assim o seu valor final de revenda após o primeiro ciclo de uso ficará menor. É uma situação comum em casos de veículos que sofrem alterações visuais (face-lift) ou que finalizam a produção”, avalia Kalume.

O consultor ainda lembra que a depreciação no mercado de automóveis é basicamente instantânea, ou seja, no momento que o carro sai da concessionária, ele já perde valor. Então, é preciso ter isso em mente antes de buscar esse tipo de bem.

“Sempre que você compra um veículo novo e sai da loja você não consegue vendê-lo pelo preço que pagou. Você vai vender por um preço menor. Essa diferença é a desvalorização ou mais tecnicamente a depreciação que o veículo sofre”, explica Kalume.

“O consumidor médio não sabe o que vai acontecer na prática. Se você possui a informação que seu veículo vai sofre alguma alteração, pode-se evitar a compra deste automóvel ou pedir um bom desconto para ‘compensar’ a perda”, conclui o especialista.

O diretor da Jato Dymanics, contudo, não acha que a desvalorização do Ford Ka esteja totalmente relacionada ao momento que a Ford vive no Brasil. Para o especialista, a falta de inovação do próprio modelo e a imagem desgastada do carro são responsáveis por essa desvalorização.

“A desvalorização observada até então é decorrente da imagem já desgastada do veículo, não necessariamente do encerramento da produção”, avalia Kalume.

Metodologia da KBB

A KBB Brasil utiliza análise de dados e big data para produzir os levantamentos de precificação de veículos novos e usados. De acordo com informações da empresa, o processamento dos dados é realizado por um algoritmo alimentado semanalmente por uma base com mais de 800 mil informações de preços, vindas de diferentes fontes do mercado.

Quer ser trader e tem medo de começar? O InfoMoney te ajuda a chegar lá: participe do Full Trader, o maior projeto de formação de traders do Brasil e se torne um faixa preta em 3 meses – inscreva-se de graça!

PUBLICIDADE