Efeitos da pandemia

Comércio eletrônico no Estado de São Paulo crescerá 32% em 2020, diz FecomercioSP

A tendência de crescimento deve permanecer em 2021, segundo a Federação

Online shopping / ecommerce and retail sale concept : Shopping cart, delivery van, credit card, world globe logo on a laptop keyboard, depicts customers order things from retailer sites using internet
(William_Potter/ Getty Images)

O comércio eletrônico paulista terminará 2020 com crescimento de 32% no faturamento em relação a 2019, segundo projeção da Pesquisa Conjuntural do Comércio Eletrônico (PCCE), da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP).

Com a previsão de vendas para o Natal e somando às compras de Black Friday, em novembro, as vendas do setor serão de R$ 29,2 bilhões, contra R$ 22,1 bilhões em 2019.

Segundo a pesquisa, realizada trimestralmente pela FecomercioSP a partir de informações fornecidas pela EbitNielsen, os resultados expressivos foram alcançados principalmente pela demanda por produtos duráveis.

No entanto, a projeção revela forte impacto negativo da pandemia no setor de serviços em São Paulo, principalmente em turismo e hospedagem.

A tendência de crescimento deve permanecer em 2021, segundo a Federação.

Com o receio de uma nova onda de contaminação, o comércio eletrônico deve crescer 6% no próximo ano, atingindo R$ 31,1 bilhões.

Além disso, há a projeção de um aumento de 2% no faturamento em relação a 2020, motivado pela volta, ainda que lenta, das famílias ao consumo.

Treinamento gratuito: André Moraes mostra como identificar operações com potencial de rentabilidade na Bolsa em série de 3 lives – assista!