Minas Gerais

Cervejaria Backer é multada em R$ 5 milhões após casos de contaminação em 2020

Casos de contaminação com dietilenoglicol presente em cervejas da marca causaram dez mortes

Por  Agência Brasil

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) condenou a Cervejaria Backer a pagar multa de R$ 5,09 milhões, além da inutilização dos produtos apreendidos e interdição parcial do estabelecimento, em processo administrativo aberto após casos de contaminação de bebidas da empresa que resultaram em dez mortes.

Os casos de contaminação com dietilenoglicol foram descobertos em janeiro de 2020. A fábrica foi interditada no mesmo mês.

Conforme o ministério, as infrações foram detectadas pela equipe de auditores fiscais federais agropecuários e as penalidades foram impostas devido ao estabelecimento ter ampliado e remodelado a área de instalação industrial registrada, sem devida comunicação ao Mapa.

Também, segundo o ministério, a empresa deixou de atender intimações, dentre elas a de recolhimento dos produtos; alterou a composição de cervejas sem a prévia comunicação; comercializou cerveja sem devido registro do produto e produziu, engarrafou e comercializou 39 lotes de cerveja com presença de monoetilenoglicol ou dietilenoglicol.

Leia também:
Polícia conclui inquérito sobre Cervejaria Backer e 11 pessoas são indiciadas

A cervejaria substituiu em seu processo o fluido refrigerante por solução hidroalcoólica — solução que contém água e álcool — e, desde novembro de 2021, vem produzindo cerveja no parque fabril em formato teste.

O ministério havia autorizado a retomada parcial da produção e comercialização da empresa no último mês. A liberação, que foi concedida para duas adegas no parque industrial da empresa, continua em vigor.

9 formas de transformar o seu Imposto de Renda em dinheiro: um eBook gratuito te mostra como – acesse aqui!

LEIA MAIS

Compartilhe