Carros “populares”: entenda o cálculo do desconto e veja exemplos

Descontos vão de R$ 2 mil a R$ 8 mil e o valor do desconto será definido por meio de um sistema de pontuação

Giovanna Sutto

Carros estacionados

Publicidade

A medida provisória que trata do desconto de carros “populares” foi publicada nesta terça-feira (6) com as regras para que o consumidor possa entender e escolher a melhor opção na hora de comprar o zero-quilômetro.

O programa para baratear o preço tem validade de quatro meses e engloba apenas veículos que custam até R$ 120 mil. Pessoas físicas terão exclusividade na compra pelo menos nos primeiros 15 dias.

Os descontos vão de 1,6% a 11,6% (entre R$ 2 mil e R$ 8 mil). O valor do desconto será definido por um sistema de pontuação baseado em quatro critérios: fonte de energia; consumo energético; preço do automóvel; e densidade produtiva (percentual de peças produzidas no Brasil).

Masterclass Gratuita

Rota Liberdade Financeira

Aprenda a investir e construa um patrimônio do zero com o treinamento exclusivo do InfoMoney

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Na prática, quanto maior a pontuação, maior o desconto que o veículo recebe. A depender da pontuação (que soma todos os critérios mencionados), o veículo se enquadra em uma das sete faixas definidas na MP.

Na faixa 1, o desconto concedido é o máximo de R$ 8 mil (para carros que pontuarem 90 pontos ou mais nos critérios mencionados). A faixa 7 dará o desconto mínimo de R$ 2 mil (para os que tiverem menos de 69 pontos).

Veja a tabela completa de descontos por faixas:

Continua depois da publicidade

Tabela de desconto para carros populares
Faixa Pontuação Desconto em R$
Faixa 1 Maior ou igual a 90 R$ 8 mil
Faixa 2 Maior ou igual a 85 e inferior a 90 R$ 7 mil
Faixa 3 Maior ou igual a 81 e inferior a a 85 R$ 6 mil
Faixa 4 Maior ou igual a 77 e inferior a 81 R$ 5 mil
Faixa 5 Maior ou igual a 73 e inferior a 77 R$ 4 mil
Faixa 6 Maior ou igual a 69 e inferior a 73 R$ 3 mil
Faixa 7 Inferior a 69 R$ 2 mil

A lista oficial do governo federal, com 11 montadoras e 32 modelos de veículos, foi divulgada apenas no dia 14 de junho. São ao todo 233 versões de carros que terão descontos de R$ 2 mil a R$ 8 mil do governo (veja no link abaixo).

Entenda o cálculo do desconto

O desconto vai depender, portanto, do número de pontos que o carro obtiver.

Entre os critérios está o preço sugerido dos veículos: carros mais baratos, ou seja, que custam menos de R$ 70 mil, somam mais pontos. É o caso do Renault Kwid, que custava R$ 69.990 e com o desconto do programa e incentivo da montadora passou para R$ 58.990.

Do outro lado, carros que custam entre R$ 90 mil e R$ 120 mil, compilam menos pontos. O Volkswagen T-Cross, por exemplo, passou de R$ 116.550 para R$ 107.550.

Ainda, entre os critérios a fonte de energia é considerada: veículos híbridos, elétricos ou a etanol poluem menos, portanto, recebem mais pontos: 25. Na outra ponta, carros flex, movidos a combustão de etanol ou gasolina, ganham 20 pontos na soma.

Ainda, quanto menor for o consumo energético, maior a pontuação. Assim, um carro que tenha um índice abaixo de 1,4 Mj/Km (megajoule por quilômetro) recebe 25 pontos. O Renault Kwid Zen, por exemplo, se encaixa nessa categoria porque consome 1,36 Mj/Km, segundo o Inmetro.

Carros que consomem entre 1,6 e 2,0 Mj/Km ganham somente 15 pontos, como é o caso da Volkswagen Saveiro Trendline 1.6, que tem um consumo de 1,77 Mj/Km, segundo o Inmetro.

Por fim, o último critério tem relação com a densidade produtiva, que mede a quantidade de componentes do carro fabricados no Brasil. Quanto mais peças produzidas aqui, maior a pontuação que o modelo recebe. Se o carro tem 65% das peças feitas em território nacional recebe 20 pontos, por exemplo. Esse dado pode ser encontrado na ficha técnica do carro, divulgada pelas montadoras.

No final, a soma total dos critérios vai definir em qual faixa de desconto (tabela acima) o modelo se encontra.

Por exemplo:

Nesse caso, os noventa pontos somados classificariam o veículo na primeira faixa, que permite o maior desconto, de R$ 8 mil (conforme tabela 2). O veículo, que inicialmente seria no valor de R$ 120 mil, passaria a custar R$ 112 mil.

Veja a tabela de pontuação, conforme a MP:

Critérios para a concessão de descontos 
Critérios Índice Pontos
Fonte de energia  Etanol 25
Eletricidade 25
Flex 20
Consumo energético  Menor ou igual a 1,4 MJ/KM 25
Entre 1,41 e 1,5 MJ/KM 20
Entre 1,51 e 1,60 MJ/KM 18
Entre 1,61 e 2,0 MJ/KM 15
Preço público sugerido  Menor ou igual a  R$ 70 mil 25
Entre R$ 70.000,01 mil e R$ 80 mil 20
Entre R$ 80.000,01 mil e R$ 90 mil 18
Entre R$ 90.000,01 e R$ 120 mil 15
Densidade Produtiva   Maior ou igual a 75% 25
Maior ou igual a 65% e abaixo de 75% 20
Maior ou igual a 60%  abaixo de 65% 15

Tópicos relacionados

Giovanna Sutto

Repórter de Finanças do InfoMoney. Escreve matérias finanças pessoais, meios de pagamentos, carreira e economia. Formada pela Cásper Líbero com pós-graduação pelo Ibmec.