Fundo DI com taxa zero não vai deixá-lo rico

Importante: os comentários e opiniões contidos neste texto são responsabilidade do autor e não necessariamente refletem a opinião do InfoMoney ou de seus controladores.

SÃO PAULO – Agora a moda é as instituições financeiras começarem a criar fundos DI com taxa zero de administração.

Eu sei, para quem está acostumado a pagar taxas para tudo que faz, pode até parecer algo sensacional.

Fazer um investimento super seguro (já que os fundos DI investem apenas em Tesouro Selic), sem pagar nenhuma taxa, parece surpreendente.

Alguns como eu também ficam com a orelha em pé: “Desde quando banqueiro começou a fazer caridade?”, “Cadê a pegadinha?”

Vou tentar mostrar como você pode estar sendo na verdade iludido. Não há nada de errado com a taxa zero, mas isso também não vai deixá-lo rico.

Fundo DI TAXA ZERO é apenas para inglês ver

A estratégia é exatamente a mesma usada pouco tempo atrás.

Vamos voltar um pouco no tempo: há alguns anos, diversas corretoras começaram a dar taxa zero para investir em Tesouro Direto e e em planos de previdência privada (taxas de carregamento e saída). Isso foi uma revolução.

Diversos clientes aproveitaram para abrir contas em corretoras, o começo de um grande movimento criado pela XP Investimentos.

A maioria dos grandes bancos correu atrás do prejuízo e zerou suas taxas para Tesouro Direto e previdência privada, como mostra esta reportagem.

E o anúncio:

Mas, se a taxa é zero, como as instituições ganham dinheiro?

Simplesmente não ganham, não com Tesouro Direto ou fundo DI em específico.

Mas essa foi e é uma estratégia para que os investidores começassem a investir por de uma corretora ou de uma nova instituição.

Tática de desconto na entrada. Até a Empiricus paga para você comprar o primeiro relatório, aqueles baratinhos de R$ 7,90.

Você abre conta para investir no Tesouro Direto, daqui a pouco compra um CDB melhor que no seu banco, depois investe em alguns fundos multimercados, compra ações…

E booom, lucro para a corretora.

A estratégia é não pensar no ROI (Retorno sobre o Investimentos) inicial na entrada do cliente, mas sim no LTV (Life Time Value). Ou seja, o cliente vale o quanto ele gasta ao longo do tempo, e portanto vale a pena pagar para trazer novos clientes.

Ideia genial da XP Investimentos.

Na previdência privada, não são cobradas as taxas de carregamentos. Isso é o mínimo que uma instituição séria e customer centric deveria fazer.

Taxas de carregamento e saída em planos de previdência são um assalto a mão armada. Vou explicar melhor: em um fundo com 5% de taxa de carregamento, de cada R$ 100 que você aplica, o banqueiro leva R$ 5,00; ou seja, esses 5% nem sequer vão render.

Eu disse, é um assalto.

A estratégia funcionou, tá aí a XP Investimentos entre as maiores corretoras do Brasil. E, agora, todo mundo quer copiá-la. É exatamente isso que estão fazendo ao lançar fundos DI com taxa zero.

Veja os fundos que estão com taxa zero:

– BTG Pactual Digital Tesouro Selic Renda Fixa Simples
Aplicação inicial: R$ 500

– Órama DI Renda Fixa Simples
Aplicação inicial: R$ 100

– Pi Selic Renda Fixa Simples (Santander Corretora)
Aplicação inicial: R$ 30

– Trend DI Simples (Rico.com.vc)
Aplicação inicial: R$ 500

Porque fundo DI taxa zero não vai deixar você rico?

Isso já foi tema em diversas discussões minhas no Twitter. Não que eu não ache que vale a pena pagar menos ou até zero para um fundo que apenas compra Tesouro Selic, acho até que vale, mas não é isso que vai deixar você mais rico.

Vamos a um simples exemplo:

Vamos supor que você tenha R$ 1 milhão de reais para investir.

A taxa Selic hoje está em 5,5%, com o mercado precificando chegar a 4,75% nas próximas reuniões do Comitê de Política Monetária (Copom), do Banco Central. Tirando a inflação de aproximadamente 3%, temos um rendimento real de 1,75% AO ANO.

Sim, terrível, eu sei.

Mas lembre que investir em um fundo DI é apenas para PRESERVAR seu patrimônio, gerar LIQUIDEZ e não para buscar gerar mais renda.

É sempre importante ter parte de seus recursos “estacionada” em CDI, para preservar patrimônio; Com a outra parcela, a estratégia deve ser buscar aumentar o seu patrimônio de forma significativa, seja investindo em fundos imobiliários, ações ou fundos multimercado.

Só para exemplificar como esta taxa zero não muda quase nada.

Suponha um fundo DI que, no passado, cobrava 0,2% ao ano e, agora, deixou de cobrar esses 0,2%: se você ficar investido 30 anos nesse fundo (quase uma vida), terá 6,18% a mais de retorno, já contando juros sobre juros.

Se você tem R$ 1 milhão hoje, o que menos de 1% da população brasileira tem, você ganharia R$ 60 mil a mais em 30 anos – e nem descontei inflação no período.

Se tem R$ 100 mil reais hoje, ganhará R$ 6 mil em 30 anos; se tem R$ 10 mil reais hoje, o valor é de R$ 600 em 30 anos.

Entende como pagar essa taxa ou não não vai deixá-lo rico?

Se não vai me deixar rico, o que devo fazer então?

Eu me preocupo muito mais com investidores que pagam caríssimo por fundos ruins, como é o caso de MUITOS fundos multimercados.

É meio que padrão da indústria cobrar o famoso 2 com 20, ou seja, 2% de taxa de administração com 20% de taxa de performance. Muitos desses fundos, apesar de baterem o CDI, não batem o benchmark, índice de referência para fundos da categoria multimercado, o IHFA (Índice de Hedge Funds da Anbima). Veja abaixo:

Ou seja, para que você pague a um gestor 2 com 20, ele precisa minimamente entregar mais que este índice IHFA, se não, você está levando gato por lebre.

E você sabe: em 30 anos, o fundo ruim comeu muito, muito dinheiro.

Esse já é grande começo para passar a ganhar mais dinheiro, só por observar se o seu fundo ganha do índice de referência.

Além disso, lá vão 3 PREMISSAS CRUCIAIS, anota aí:

– Investimentos de renda fixa PRECISAM superar o CDI.

– Fundos multimercado PRECISAM superar o IHFA

– Investimentos em ações PRECISAM superar o IBOVESPA.

E o segundo ponto mais importante é criar uma carteira de investimentos equilibrada entre preservar patrimônio, para você ter segurança e tranquilidade e rentabilizar patrimônio para alcançar seus sonhos e objetivos.

Vou explicar na próxima coluna aqui na Infomoney como montar uma carteira de investimentos vencedora no longo prazo.

Por hoje eu quero que você, faça um check-up em seus investimentos e veja se não está pagando caro demais por fundos ruins.

Um grande abraço e até a próxima semana.

Twitter – @j_camargo_nyc – https://twitter.com/j_camargo_nyc

Linkedin – https://www.linkedin.com/in/jonathanbcamargo/

Importante: os comentários e opiniões contidos neste texto são responsabilidade do autor e não necessariamente refletem a opinião do InfoMoney ou de seus controladores.

Jonathan Camargo

Sócio Fundador da New York Capital, empresa de assessoria de investimentos afiliada à XP Investimentos com foco em investidores de elevado patrimônio e empresas de participações com alta disponibilidade líquida para investimentos. Co-Autor do blog e curso de investimentos “O Investidor Milionário”. Formado em Administração de Empresas, com formação em Administração Financeira pelo Insper e Gestão de Investimentos pela Universidade de Genebra