PDT ameaça derrubar votação do Orçamento, se mínimo não subir para R$ 580

Partido vai pedir verificação de quórum e, caso não seja garantido número de parlamentares, votação não acontece

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – O PDT (Partido Democrático Trabalhista) quer garantir recursos no Orçamento para aumentar o salário mínimo para R$ 580. O partido pode requerer a verificação de quórum, contagem de deputados e senadores presentes, na sessão para votar o Orçamento de 2011.

O Projeto de Lei do Orçamento é votado todo ano por acordo de líderes, já que a maioria dos deputados e senadores está nos seus respectivos estados para as festas de fim de ano. Caso o PDT peça a verificação de quórum na reunião plenária, a sessão poderá ser derrubada por falta do número mínimo de parlamentares presentes. Dessa forma, a presidente eleita, Dilma Rousseff, começará o mandato sem o Orçamento definido.

“Se não tiver um acordo na comissão ou no plenário, vamos, sim, requerer a verificação de quórum”, afirmou o líder do PDT, Paulo Pereira da Silva (SP), segundo a Agência Brasil.

Aprenda a investir na bolsa

O presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, encaminhará ao Congresso a medida provisória com a fixação do salário mínimo em R$ 540. O PDT pretende apresentar uma emenda elevando o valor para R$ 580 e com 10% de reajuste das aposentadorias e pensões pagas pela Previdência Social.

Calendário
Para o presidente da comissão, Waldenir Moka (PMDB-MS), não haverá atrasos no calendário estipulado, que prevê o encerramento da votação do Orçamento 2011 pelo Congresso na quarta-feira (22).

“Tem até gente insatisfeita, mas não vejo radicalização. Pedir verificação de quórum seria, para o parlamentar, um desgaste político grande”, afirmou Moka.

A reunião suspensa na segunda-feira (20) foi retomada nesta terça (21). A relatora-geral do Orçamento, senadora Serys Slhessarenko (PT-MT), tem até às 17h para analisar esses destaques e dar o parecer. É possível que a votação seja concluída ainda nesta terça na comissão.