Nível de emprego na Construção Civil cai 4% em dezembro de 2008

Descontando os efeitos sazonais, a queda foi de 1,2%, de acordo com pesquisa mensal do SindusCon e da FGV Projetos

SÃO PAULO – A construção civil do País registrou queda no nível de emprego no último bimestre de 2008. De acordo com a pesquisa mensal do SindusCon-SP (Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado de São Paulo) e da FGV Projetos, a redução em dezembro foi de 4%.

Descontados os efeitos sazonais, o número, levantado com base nos dados do Caged/MTE, revelou retração de 1,2%. Isso significa que 25% dos 87,4 mil postos perdidos no último mês do ano não foram decorrentes de chuvas e férias, motivos recorrentes nesse período.

Desaceleração não esperada

De acordo com o presidente SindusCon-SP, Sergio Watanabe, o impacto da crise sob o nível de empregos no setor não era esperado tão cedo. “Vale notar que o estoque de trabalhadores com carteira fechou o ano no patamar de 2,084 milhões. No entanto, a continuidade desse ritmo estará condicionada ao início de novas obras, especialmente a partir do segundo semestre”.

PUBLICIDADE

Apesar de fechar 2008 com índice médio de emprego em torno de 17,3%, a FGV Projetos já registrava queda em novembro. De acordo com o levantamento, a retração no índice foi de 0,2%, desconsiderados os fatores sazonais.

Brasil

Todas as regiões do País, apresentaram queda no nível de emprego no último mês do ano. O Sudeste concentrou as maiores perdas: 44,7 mil. A maior variação mensal ficou por conta da região Norte, com índice negativo de 7,5%.

RegiãoVariação MensalNúmero de Vagas
Norte-7,50%-8.000
Nordeste-3,43%-13.298
Sudeste-3,68%-44.703
Sul-2,99%-8.889
Centro-Oeste-7,49%-12.477
Brasil (Total)-4,02%-87.367

Em São Paulo

Descontados os efeitos sazonais, o estado registrou em dezembro queda de 0,96% no nível de emprego na construção civil. No total, em relação a novembro, a retração foi de 2,62%.

Frente a 2007, o setor paulista fechou o ano com saldo positivo de 76,35 mil vagas, uma alta de 14,8%.

Na capital, a redução foi de 1,71% no último mês do ano. Entre as regiões do Estado que mais demitiram no setor, Sorocaba lidera, atrás somente da capital, com 2,37 mil trabalhadores, uma redução de 3,55% no quadro.

A maior variação no último mês do ano ficou por conta de Presidente Prudente, com índice negativo de 7,38%. Foram demitidos na região 592 trabalhadores.

RegiãoVariação MensalNúmero de Vagas
São Paulo-1,71%-4.957
Santo André-2,56%-755
Campinas-3,31%-2.039
Ribeirão Preto-3,84%-1.323
Santos-2,58%-603
Sorocaba-3,55%-2.372
São José dos Campos-3,51%-1.856
Bauru-4,20%-1.033
São José do Rio Preto-2,47%-410
Presidente Prudente-7,38%-592