Em mercados

É preciso priorizar melhora do ensino básico e vocacionar o aluno, diz CEO da Somos

"Acesso à educação cresceu, mas prestamos pouca atenção à qualidade", diz CEO da maior empresa de educação básica do Brasil

SÃO PAULO - Um dos maiores problemas que o Brasil tem hoje é o fraco nível de educação oferecido para a população. E nesta semana, o UM BRASIL, parceiro de conteúdo do InfoMoney, entrevista o CEO da Somos Educação, a maior empresa de educação básica do país, Eduardo Mufarej.

O executivo comenta os desafios de se construir um sistema de ensino inclusivo, de qualidade e moderno. Na entrevista, Mufarej aborda as deficiências na formação dos professores e no modelo educativo, as reformas da base curricular e do ensino médio, o papel da tecnologia no aprendizado, novas habilidades necessárias aos alunos e as dificuldades decorrentes da atual crise.

Para Mufarej, não adianta dar bolsas de ensino superior a alunos que deixam as escolas sem formação adequada: investimentos devem priorizar o ensino básico. Além disso, ele reforça a ideia de que é preciso vocacionar o aluno no ensino médio: "não faz sentido você obrigar todos os alunos a consumirem 13 disciplinas com o mesmo tipo de carga horária", afirma.

Contato