Em mercados

Economistas projetam corte de 100 pontos na Selic em julho, mostra BC

Do lado do PIB, o cenário é o mesmo do último levantamento: 0,34% de crescimento neste ano e 2% em 2018

SÃO PAULO - As expectativas do mercado para o desempenho da inflação oficial e da taxa básica de juros voltaram a cair, conforme aponta a mais recente edição da pesquisa Focus, feita semanalmente pelo Banco Central com economistas. Segundo o levantamento, em meio à fraqueza da atividade, os especialistas consultados passaram a projetar corte de 1 ponto porcentual da Selic já no fim de julho.

Conforme as projeções mais recentes, após o corte de 1 ponto neste mês, a Selic cairá 0,50 ponto em setembro e 0,50 em outubro. Em dezembro, pelas expectativas, a taxa básica cairá mais 0,25 ponto porcentual, atingindo 8,00% ao ano. Isso representará o fim do ciclo. A mediana das projeções para o IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo) caíram de 3,38% para 3,29% neste ano, ao passo que para o ano seguinte recuaram de 4,24%, para 4,20%.

Do lado dos juros, os economistas passaram a projetar mais um corte neste ano. Agora, a mediana das expectativas para a Selic foram de 8,25% para 8% em 2017, enquanto para o ano seguinte, as projeções seguiram em 8%. Do lado do PIB (Produto Interno Bruto), o cenário é o mesmo do último levantamento: 0,34% e 2% para os dois anos, respectivamente. Já para o câmbio, as apostas são de que o dólar encerre este ano a R$ 3,30 (R$ 0,05 a menos em comparação com a última pesquisa) e o ano seguinte a R$ 3,45 (mesmo patamar do levantamento da semana passada).

Entre os cinco economistas que mais acertam em suas projeções -- o chamado "top 5" --, no cenário de curto prazo, as projeções para a inflação oficial subiram de 3,03% para 3,07% em 2017 e continuaram em 4,49% em 2018. Já para a Selic, as apostas continuam em 8% nos dois anos. Para o câmbio, as expectativas continuaram no dólar valendo R$ 3,45 ao final deste ano, ao passo que para o ano seguinte caíram de R$ 3,58 para R$ 3,55.

(com Agência Estado)

Ilan Goldfajn
(Bloomberg)

Contato