Stock Pickers

Méliuz (CASH3): um IPO que deu muito certo

Ação da empresa de cashback dispara 18% nesta segunda e já acumula alta de quase 90% desde seu IPO; entenda o modelo de negócio dela

(CONDADO DA FARIA LIMA) – Enquanto o Ibovespa perdeu forças nesta tarde e caminha para fechar o primeiro pregão de 2021 perto da estabilidade, as ações da Méliuz (CASH3) subiam 19%  às 16h31 (horário de Brasília). Com menos de 2 meses desde seu IPO, a empresa de cashback já ganhou 90% de valor de mercado desde então – no mesmo período, o Ibovespa subiu 21%.

Essa disparada faz da Méliuz um dos melhores IPOs da B3 dentre as várias estreantes que tivemos ao longo de 2020. Mas afinal, o que explica o sucesso da empresa?

Foi justamente essa pergunta que fizemos no final de 2020 para Pedro Fagundes, analista de ações do XP Private e cujas carteiras montaram uma expressiva participação na empresa desde o IPO. Separamos o trecho de 8 minutos no qual ele explica o modelo de negócios da empresa e por que ela chamou tanto a atenção deles como investimento.

“Basicamente, ela é uma empresa de cashback. Ativando o plug in da empresa em seu navegador, ao fazer a compra em algum site que tem a Méliuz como parceiro, você automaticamente recebe cashback. E por que esse negócio chama tanto atenção? Porque ela gera muito caixa. Pra você ter uma ideia, mesmo ela sendo uma empresa muito pequena, com R$100 milhões de faturamento por ano, ela já conseguia um ‘break even’ de Ebitda”, explica Fagundes. A forte captação obtida no IPO, o mercado endereçável com muito potencial (e-commerce) e a baixa penetração (apenas 2% de market share) ajudam a sustentar o otimismo com CASH3.

No vídeo abaixo, você confere os 8 minutos de explicação sobre a tese de Méliuz:

Para assistir a live completa, acesse o canal do Stock Pickers no youtube.