Voos comerciais da base aérea de Canoas (RS) devem ser liberados na 3ª feira, diz TV

A base aérea de Canoas (RS) funcionará com uma alternativa ao Aeroporto Internacional Salgado Filho, em Porto Alegre (RS), que segue debaixo d’água e está interditado por tempo indeterminado

Fábio Matos

Aeroporto Salgado Filho, em Porto Alegre (RS), continua debaixo d'água (Divulgação/Fraport)

Publicidade

Os voos comerciais na base aérea de Canoas, no Rio Grande do Sul, uma das cidades atingidas pela tragédia climática que vem assolando o estado desde o fim de abril, devem ser liberados pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) já a partir de terça-feira (21).

A informação foi divulgada pela jornalista Camila Bomfim, da TV Globo e da GloboNews. O órgão responsável pelo setor de aviação civil do país já havia dado sinal verde para a operação, mas não se sabia a partir de quando os voos seriam autorizados.

Baixe uma lista de 11 ações de Small Caps que, na opinião dos especialistas, possuem potencial de crescimento para os próximos meses e anos

Continua depois da publicidade

De acordo com a emissora, a Fraport (concessionária que administra o Aeroporto Internacional Salgado Filho, em Porto Alegre, que está completamente alagado) conseguiu viabilizar o início das operações em Canoas. As vendas de passagens aéreas devem começar a qualquer momento.

O governo do Rio Grande do Sul deve anunciar a liberação, oficialmente, ainda nesta segunda-feira (20). A base aérea de Canoas funcionará com uma alternativa ao aeroporto de Porto Alegre, que segue debaixo d’água e está interditado por tempo indeterminado.

Toda a operação na base aérea de Canoas será conduzida pela própria Fraport. A companhia vem trabalhando na base aérea para a instalação de equipamentos de raio-x e escadas para acesso dos passageiros às aeronaves.

Continua depois da publicidade

Fábio Matos

Jornalista formado pela Cásper Líbero, é pós-graduado em marketing político e propaganda eleitoral pela USP. Trabalhou no site da ESPN, pelo qual foi à China para cobrir a Olimpíada de Pequim, em 2008. Teve passagens por Metrópoles, O Antagonista, iG e Terra, cobrindo política e economia. Como assessor de imprensa, atuou na Câmara dos Deputados e no Ministério da Cultura. É autor dos livros “Dias: a Vida do Maior Jogador do São Paulo nos Anos 1960” e “20 Jogos Eternos do São Paulo”