Política

Vice-presidente do Conselho de Ética “bate de frente” e Aécio ainda poderá ser cassado

"Não se trata de condenar previamente o senador, que terá todo o direito de defesa. O que proponho, e a sociedade brasileira exige, é uma investigação criteriosa da denúncia"

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – Depois de ser absolvido da cassação do mandato na sexta-feira (23) pelo presidente do Conselho de Ética do Senado, João Alberto Souza (PMDB-MA), o vice-presidente do Conselho de Ética, Pedro Chaves (PSC-MS), confirmou nesta segunda-feira (26) que irá assinar requerimento para reverter o arquivamento do pedido de cassação.

“Não se trata de condenar previamente o senador, que terá todo o direito de defesa. O que proponho, e a sociedade brasileira exige, é uma investigação criteriosa da denúncia”, justificou o vice-presidente do Conselho em entrevista à Rádio Difusora Pantanal, que classificou o ato de Alberto Souza como “autoritário e equivocado”.

Em sua entrevista, Pedro Chaves afirmou que está trabalhando para conseguir as 5 assinaturas dos 12 membros do Conselho de Ética restantes para que o pedido apresentado pela Rede e pelo PSOL seja aceito e o senador investigado. Os partidos oposicionistas argumentam que houve quebra de decoro parlamentar por Aécio com base na delação premiada do empresário Joesley Batista.

PUBLICIDADE

Segundo o depoimento do empresário, o tucano teria pedido R$ 2 milhões em propina para pagar despesas com sua defesa no âmbito das investigações da Operação Lava Jato. A denúncia motivou o afastamento do senador pelo STF (Supremo Tribunal Federal).

Gilmar Mendes vai julgar Aécio

Na sexta-feira (23) passada, o ministro do STF, Gilmar Mendes, foi sorteado para assumir a relatoria do inquérito que apura irregularidades de Aécio por suposto recebimento ilegal de dinheiro da Odebrecht para sua campanha. O processo estava nas mãos de Edson Fachin.

Sobre o assunto, o ministro do STF afirmou nesta segunda-feira que não tem intenção de se declarar como impedido para relatar inquérito do senador tucano: “Nada impedido. Nenhum constrangimento”, destacou.