Pronto para o combate

Toma Lá, Dá Cá: Temer já preparou sua estratégia para combater as denúncias de Janot

Advogados de defesa do presidente deverão desqualificar a gravação e base aliada irá criticar postura do procurador-geral da República 

SÃO PAULO – Conforme prometido, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, apresentou ao STF (Supremo Tribunal Federal) denúncia contra Michel Temer pelo crime de corrupção passiva, a primeira das três esperadas para essa semana. Antevendo os fatos, o governo já tem uma estratégia para desqualificar a denúncia e, assim, derrubá-la na Câmara.

Os advogados do presidente vão utilizar a própria gravação de Joesley para defender o presidente, questionando a interpretação da PGR (Procuradoria-Geral da República). De acordo com a Veja, em um dos trechos da conversa, Temer afirma que Eduardo Cunha “tentou me fustigar”, expressão, que segundo a defesa, demonstra que o presidente estava indo contra ao que o ex-presidente da Câmara desejava.

Assim como no passado, os advogados irão questionar a perícia da Polícia Federal que descartou manipulação da conversa entre Temer e o empresário. Para isso, será convocado mais uma vez o perito Ricardo Molina, que foi contratado em maio para avaliar o áudio. Naquela oportunidade, Molina afirmou que a gravação era “imprestável” e não poderia ser aceita.

PUBLICIDADE

Além dos advogados, a “tropa de choque” congressista de Temer também atuará criticando a denúncia de Janot, alegando que o procurador-geral está atuando contra a classe política e fazendo conclusões sem fatos concretos, atacando diretamente o principal ponto da denúncia que é a conclusão de associação direta entre o presidente e seu ex-assessor, Rodrigo Rocha Loures.

Esperar para ver

Diante da avalanche de notícias negativas, aliados de Temer, leia-se PSDB, deverão se reunir ao longo desta semana para reavaliar seu apoio, já que foi a primeira vez que um presidente da república é denunciado durante o exercício do cargo.

Além disso, segundo a Folha de São Paulo, o Palácio do Planalto irá avaliar o impacto da denúncia junto à opinião pública. Pelo último Datafolha, cuja pesquisa apontou que o nível de aprovação do governo caiu ao menor índice para um governo federal em 28 anos, o ecoar das ruas não será nada animador.