MERCADOS AO VIVO Taxa de desemprego no Brasil atinge recorde de 14,6% no 3º trimestre, diz IBGE

Taxa de desemprego no Brasil atinge recorde de 14,6% no 3º trimestre, diz IBGE

Eleições americanas

Super Terça: Sanders entra como favorito, mas recuperação de Biden abre chance de surpresa

Pesquisas ainda colocam Sanders como favorito, mas após vencer na Carolina do Sul, Biden chega com força na Super Terça

(Reprodução)
Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – A Super Terça chegou e as primárias democratas seguem cheias de incertezas. Se a corrida eleitoral começou com a surpresa de Pete Buttigieg, agora são três nomes que verão uma definição em suas campanhas hoje: o senador de Vermont Bernie Sanders, o ex-vice-presidente Joe Biden e o ex-prefeito de Nova York Michael Bloomberg.

Eles não são os únicos que concorrem à vaga democrata, que conta ainda com a senadora Elizabeth Warren e a congressista do Havaí Tulsi Gabbard, mas ambas chegam nesta terça com poucas chances.

Os pré-candidatos entram na Super Terça com quatro primárias já ocorridas, em Iowa, New Hampshire, Nevada e Carolina do Sul. Neste momento, Sanders lidera com 60 delegados, seguido de perto por Biden, que tem 54.

Aprenda a investir na bolsa

Pete ainda é terceiro, com 26 delegados, mas já está fora da disputa. Warren aparece com oito. Bloomberg, por sua vez, só entra nas primárias hoje, e, portanto, ainda não tem nenhum delegado.

Considerando as mais recentes pesquisas, o senador de Vermont aparece como favorito para ganhar a maioria dos delegados em disputa. Porém, como aponta relatório da XP Política, estes levantamentos podem não ter capturado um recente impulso apresentado por Biden.

Colocado com uma posição mais de centro, Joe Biden, antes do início das primárias, era apontado como um dos favoritos para levar a vaga do partido nas eleições. Porém, seu início foi desastroso, ficando atrás de Pete e Sanders nos primeiros estados. Além disso, a chegada de Bloomberg era uma grande preocupação, já que os dois brigam pela parcela de centro dos democratas.

Porém, tudo mudou no último fim de semana, quando ele conseguiu uma grande vitória na Carolina do Sul, onde obteve 48,4% dos votos, angariando 39 delegados. A vitória já era esperada, mas por uma margem menor.

Leia também:

PUBLICIDADE

Antes da primária, o agregador de pesquisas do Real Clear Politcs indicava que a vantagem de Biden seria de 15,4 p.p. sobre Sanders no estado, mas ele venceu por 28,5 pontos.

“A vitória de Biden implica complicação para a candidatura de Michael Bloomberg, que não participou das primárias nos ‘early-states’, como são chamados os primeiros quatro estados no calendário eleitoral”, aponta a XP Política.

E se as pesquisas ainda não mostraram este crescimento de Biden, o mercado de apostas já mudou completamente nas últimas semanas, com uma disparada do ex-vice-presidente.

O gráfico abaixo, do Real Clear Politcs, mostra que Biden desabou no início das primárias, em janeiro, mas voltou a ganhar força há cerca de uma semana, e durante o fim de semana, com a vitória na Carolina do Sul, passou Sanders.

Para completar, Biden agora ganhou reforços: Pete Buttigieg, Amy Klobuchar e Tom Steyer, após abandonarem suas campanhas declararam apoio ao ex-vice.

Sanders e Biden devem disputar cada delegado desta noite, sem descartar as chances de Bloomberg surpreender. Mas se o cenário agora esta difícil de prever e favorece o ex-vice de Obama, a disputa pela ala centrista do partido pode favorecer o senador de Vermont.

Isso porque existe uma cláusula de barreira em que, na prática, um candidato precisa de pelo menos 15% dos votos para conquistar delegados. Com isso, se Bloomberg e Biden dividirem os eleitores, há um sério risco de, no fim, nenhum dos dois conseguir este percentual, dando um “presente” para Sanders.

PUBLICIDADE

Mais do que nunca, esta Super Terça será crucial para definir quem tem chance de se tornar o candidato democrata que irá enfrentar Donald Trump em novembro.

Quer investir melhor o seu dinheiro? Clique aqui e abra a sua conta na XP Investimentos