Reforma política

Sistema eleitoral atual está falido, diz Eduardo Cunha

Presidente da Câmara dos Deputados destaca que a reforma política como a principal proposta que está sendo analisada atualmente pela Casa

O presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, destacou há pouco a reforma política como a principal proposta que está sendo analisada atualmente pela Casa.

Segundo ele, o sistema proporcional atual está falido, pois permite que, muitas vezes, um candidato a deputado pouco votado possa ser eleito pelos votos de outro mais votado. E aqueles que tiveram uma votação mais expressiva acabam virando suplentes.

Cunha participa neste momento da 6ª edição do programa Câmara Itinerante, em Cuiabá (MT). No debate, ele lembrou que “durante as eleições, todos defendem a reforma política, mas, na hora de votar, não há consenso e por isso a proposta não sai do papel”.

PUBLICIDADE

O presidente reafirmou que vai votar em plenário a proposta (PEC 352/13) em 26 de maio, tendo ela sido votada em comissão especial ou não. Eduardo Cunha justificou o prazo para que as mudanças possam valer para 2016. Há ainda a possibilidade de se fazer um referendo popular e o texto só vai valer para 2018.

O prefeito de Cuiabá, Mauro Mendes, também defendeu a reforma política para acabar com os vícios na administração pública que levam a esquemas de corrupção e atrapalham o desenvolvimento do País.